Roberto Cláudio x Izolda Cela: entenda a crise no PDT pela escolha do candidato à sucessão estadual

A corrida interna dos pedetistas tem mudanças de favoritismo, ondas de apoio a pré-candidatos e até envolvimento de lideranças nacionais dos partidos

Governadora Izolda Cela e ex-prefeito Roberto Cláudio polarizam disputa no PDT
Legenda: Governadora Izolda Cela e ex-prefeito Roberto Cláudio polarizam disputa no PDT
Foto: Fabiane de Paula - José Leomar

A disputa em torno do nome que irá liderar a chapa governista segue intensa dentro do PDT e entre as siglas que compõem o arco de aliança governista. Com apoio do PP ao nome de Izolda Cela (PDT), a atual governadora já tem ao seu lado três siglas: PT, MDB e PP. A corrida interna dos pedetistas, que já dura mais de oito meses, tem mudanças de favoritismo, ondas de apoio a pré-candidatos e até envolvimento de lideranças nacionais dos partidos.

Além do nome de Izolda, há ainda as pré-candidaturas do deputado federal Mauro Filho (PDT) e do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão (PDT). Completa a lista o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), que despontou como favorito, mas agora encara uma disputa polarizada com a atual chefe do Executivo do Ceará. 

Da prefeitura ao Governo

A primeira declaração pública sobre a cabeça da chapa governista ocorreu ainda em agosto do ano passado, quando o senador Cid Gomes (PDT) disse que Roberto Cláudio era o “melhor nome”. À época, ele ressaltou que o ex-prefeito tinha o melhor desempenho nas pesquisas internas da legenda.

“Mas isso não quer dizer que ele será o candidato. Ele sabe bem disso, tanto é que pode ser deputado federal. Aliás, o que Ciro disse para ele e o que eu disse para ele foi: ‘olha, candidatura a governo é uma fatalidade, não é uma coisa que você coloca como projeto de vida’. Pode até sonhar, mas a hora ali… Ele talvez nunca imaginasse ser prefeito de Fortaleza. E foi. É uma fatalidade. Ele deve se preparar para ser candidato a deputado federal, se na hora a gente conseguir esse entendimento, eu repito, é o nome bem mais posicionado em pesquisas eleitorais”
Cid Gomes (PDT)
Senador

A declaração de Cid ocorreu antes mesmo de o PDT lançar os pré-candidatos, o que só ocorreu no mês seguinte. No primeiro encontro regional promovido pelo partido, no Cariri, a sigla indicou, além de Izolda Cela e Roberto Cláudio, os parlamentares Mauro Filho e Evandro Leitão. 

Favoritismo

Neste período, Roberto Cláudio despontava como o franco favorito para liderar a chapa, tanto que, em março deste ano, o diretório do PDT de Fortaleza iniciou um movimento de apoio explícito ao nome do ex-mandatário. O primeiro a declarar a preferência foi o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT). 

“O nome que hoje representa, encerra e traduz, a meu juízo, o melhor nome do PDT, que tem juventude, experiência, conhece o Ceará, é o Roberto Cláudio"
José Sarto (PDT)
Prefeito de Fortaleza

Além do chefe do Executivo, o apoio ao ex-prefeito foi seguido por vereadores pedetistas, como Adail Jr, Enfermeira Ana Paula, Júlio Brizzi, Lúcio Bruno e Paulo Martins. 

Chefe do Legislativo municipal, o vereador Antônio Henrique (PDT) também fez uma declaração pública de apoio ao ex-prefeito. "Dentro do PDT temos vários nomes, muitos bons, competitivos, mas não tenho dúvidas de que o do ex-prefeito Roberto Cláudio é o melhor nome para o momento que estamos vivendo ao final do Governo Camilo Santana", disse o parlamentar.

“Fico honrado, recebo com gratidão e carinho, claro que anima e estimula (esse apoio), mas é importante registrar que essa decisão, muito certamente, só se dará mais à frente, à luz de mais conhecimento do cenário nacional e estadual”
Roberto Cláudio (PDT)
Ex-prefeito de Fortaleza

“Posição pessoal”

As falas de apoio a Roberto Cláudio, a mais de seis meses das eleições, foram rapidamente amenizadas por lideranças estaduais. O então governador Camilo Santana (PT) disse que a declaração de Sarto foi uma “posição pessoal” do prefeito

“Em respeito aos demais pré-candidatos, ao projeto e em respeito aos nossos aliados, o nome de consenso será anunciado no momento correto”
Camilo Santana (PT)
Ex-governador do Ceará

Cid Gomes também comentou o episódio com cautela. "Vejo com muita naturalidade. Na política, a gente tem relações pessoais, simpatias pessoais, mas, no fundo e no final das contas, o que deve decidir é um entendimento a partir da avaliação política do cenário e da possibilidade de aliança", ressaltou.  

Apesar da ação rápida de Cid e Camilo para minimizar as declarações, a fala de Sarto foi o estopim para uma escalada na disputa interna da sigla. Na mesma semana, em outro encontro regional da sigla, dessa vez em Pacajus, com a presença de uma caravana de vereadores de Fortaleza, Cid Gomes reforçou a união da sigla. 

“É importante dizer que o PDT está unido em qualquer situação. Dos quatro nomes aqui, o que for escolhido poderá contar com o empenho dos outros três”
Cid Gomes (PDT)
Senador

No entanto, desde então, a divisão entre apoiadores de Roberto Cláudio e de Izolda Cela ficou mais claro dentro da sigla. 

Ataques também começaram a ser trocados em direção ao PT, partido que mantém aliança com o PDT no Ceará há mais de 15 anos. A escalada ocorre justamente no momento em que o nome de Izolda ganha força dentro da sigla para disputar a reeleição.

Izolda ganha força

Já no caso de Izolda, as primeiras movimentações com sinais eleitorais ocorreram ainda quando ela estava no cargo de vice-governadora. Em fevereiro deste ano, a pedetista teve um encontro reservado com a ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT). A petista é um dos principais focos de resistência dentro do PT à manutenção da aliança com o PDT. 

Em Fortaleza, a petista é adversária do ex-prefeito Roberto Cláudio. A deputada federal e seu grupo político foram derrotados duas vezes pelo pedetista em disputas eleitorais na Capital. Em 2016, ela própria foi a candidata. 

Izolda e Luizianne
Legenda: Izolda e Luizianne tiveram encontro reservado em fevereiro
Foto: Divulgação

Após o encontro, Izolda e Luizianne disseram que conversaram sobre assuntos relacionados ao Estado. A reunião, porém, foi vista como um movimento contundente de aproximação eleitoral promovido pela então vice-governadora.

O nome de Izolda começa a ganhar força na reta final dela no cargo. A vice-governadora passou a acompanhar Camilo Santana na intensa agenda de inaugurações do petista nos últimos dias como governador. Conforme levantamento feito pelo Diário do Nordeste, ela esteve em 8 de cada 10 inaugurações lideradas por Camilo neste ano.

Paralelamente, o então governador rasgou elogios à companheira de Governo em diversas oportunidades. “A Izolda está comigo há mais de sete anos, é uma mulher extraordinária, e não tenho dúvida que terá até mais habilidade do que eu para conduzir esse projeto”, disse em um dos eventos.

Na cadeira de comando

No último dia 2 de abril, Izolda assumiu oficialmente o Governo do Ceará após a saída de Camilo Santana, que pretende disputar vaga no Senado Federal. Com a pedetista no cargo, seu nome ganha um impulso na corrida e consolida a polarização interna com Roberto Cláudio.

Desde que tomou posse como governadora, Izolda tem promovido encontros com prefeitos e parlamentares cearenses. As reuniões ganham peso com a aproximação do período eleitoral e demonstram a estratégia de aproximação com as bases eleitorais para fortalecimento de seu nome no Interior. 

Ainda assim, ela defende que a disputa entre os pedetistas fique restrita ao período mais próximo ao pleito para evitar que interfira nas atividades do Governo do Estado. No entanto, a própria governadora se viu cercada de uma nova onda de declarações, desta vez em apoio ao seu nome. 

Encontro da bancada do PT com a governadora sinalizou apoio dos petistas ao nome da pedetista
Legenda: Encontro da bancada do PT com a governadora sinalizou apoio dos petistas ao nome da pedetista
Foto: Divulgação

Um dos principais quadros do PT Ceará, o deputado federal José Guimarães (PT) defendeu publicamente, pela primeira vez, o nome da governadora como cabeça da chapa governista para o Governo do Ceará. "Não estamos impondo nada, mas nossa preferência é por Izolda Cela", escreveu no Twitter o parlamentar no fim de abril deste ano.

As falas do petista foram endossadas por deputados estaduais da sigla. A resposta veio do vice-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Adail Júnior, que usou as redes sociais para reforçar o apoio ao ex-prefeito. O parlamentar chegou a insinuar que Izolda teria “sangue petista” e reclamou da decisão do PDT de ter quatro pré-candidatos.

Mas a onda de apoio à governadora não parou. O ex-senador Eunício Oliveira (MDB) declarou que, entre os pré-candidatos, Izolda seria a única com quem ele aceitaria discutir a manutenção da aliança entre MDB e PDT. 

Izolda recebeu apoio até de um pedetista que disputa diretamente com ela a cabeça de chapa. Durante evento em Coreaú, na região Norte do Estado, o presidente da AL-CE, Evandro Leitão, desejou sabedoria à chefe do Executivo "ao longo do seu mandato, nos nove meses e, se Deus quiser, mais quatro anos aí à frente do Governo do Estado do Ceará".

Efeito Ciro

Quando o nome de Izolda Cela ganhava peso na balança interna do PDT, um novo capítulo da disputa se abriu com declarações do ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Em entrevista neste mês, o pré-candidato à presidência atacou integrantes do PT Ceará, ameaçando romper a aliança entre as siglas.

Nas falas, Ciro ainda defendeu o nome de Roberto Cláudio, que é vetado pelo PT. "Todo posto de saúde de Fortaleza, por essa gente aí, esse lado corrupto do PT, era nomeado por cabo eleitoral e por vereador", disse.

Horas após as declarações do líder político, Izolda usou as redes sociais para defender o grupo que compõe o arco de aliança governista.

“Gostaria de expressar todo o meu respeito à aliança de partidos que ajuda a governar o Ceará e tem contribuído para os muitos avanços do nosso estado nesses últimos anos. PDT, PT, MDB, PSD e tantos outros que integram nosso Governo têm sido fundamentais em todo esse processo”
Izolda Cela (PDT)
Governadora do Ceará

Dias depois, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, em entrevista ao jornal O Globo, comentou sobre a crise entre PT e PDT no Ceará. Na declaração, ele defendeu a pré-candidatura de Roberto Cláudio e ainda fez críticas à governadora Izolda Cela. 

"A minha amiga Izolda, que é uma mulher muito preparada, não é muito conhecida. Será que ela consegue em 3 meses ter esse conhecimento antes da convenção para se tornar favorita? Não sei. Acho pouco provável"
Carlos Lupi
Presidente do PDT

Foi a vez do ex-governador Camilo Santana entrar em cena e defender a ex-companheira de chapa. "Muitas pessoas têm falado do grande trabalho que Izolda tem feito como governadora. Firme e competente. Tinha certeza que seria assim", escreveu. 

"Izolda ajudou a construir nosso Governo. Enfrentou todas as crises comigo. Teve papel determinante nos avanços. É merecidamente nossa governadora", completou Camilo.

Pacificação

Encontro dos pré-candidatos do PDT
Legenda: Encontro dos pré-candidatos do PDT
Foto: Divulgação

Após a rápida escalada da disputa, integrantes do PDT começaram a fazer gestos de pacificação. Na última quinta-feira (19), a governadora recebeu os outros três pré-candidatos da sigla no Palácio da Abolição. Todos os postulantes na disputa compartilharam a imagem com mensagens de união e defesa do projeto político.

Nos últimos dias, Izolda também vem promovendo reuniões com lideranças partidárias. Ela já recebeu o senador Tasso Jereissati (PSDB), o deputado federal André Figueiredo, o ex-senador Eunício Oliveira (MDB) e o deputado estadual Zezinho Albuquerque (PP).

O parlamentar, que já foi presidente da AL-CE, anunciou, nesta quarta-feira (25), apoio ao nome de Izolda na disputa pelo Governo do Ceará. O deputado, que inclusive chegou a anunciar os planos de liderar uma chapa para o cargo, admitiu retirar a pré-candidatura caso a atual governadora seja a escolhida do grupo governista.