Encontros de Izolda com deputados e prefeitos mostram estratégia de influência em bases eleitorais

Aproximação com lideranças do Interior tem peso político tanto para a gestão como para planos com foco nas eleições

Izolda Cela
Legenda: A governadora tem realizado uma série de reuniões com deputados estaduais e prefeitos ligados aos parlamentares, além da agenda intensa pelo Interior
Foto: Governo do Ceará

Desde o início de maio, a governadora Izolda Cela (PDT) tem realizado reuniões para receber os prefeitos ligados a deputados estaduais da base governista. Prática comum durante a gestão do ex-governador Camilo Santana (PT), os encontros ganham peso com a aproximação do período eleitoral e com o acirramento da disputa entre Izolda Cela e o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT) pela indicação para a pré-candidatura ao Governo do Estado

Dos 46 parlamentares estaduais, pelo menos 38 integram a base aliada à gestão de Izolda Cela - além dos suplentes em exercício no Legislativo estadual. Segundo a assessoria do Governo do Estado, todos devem ser recebidos entre maio e junho pela governadora. Até o momento, oito parlamentares estiveram no Palácio da Abolição para a rodada de reuniões individuais.

Em publicações no perfil do Instagram, na qual registra cada prefeito recebido ao lado do respectivo deputado estadual, Izolda Cela destaca a manutenção de "diálogo firme" com os gestores municipais para "conhecer as principais necessidades de cada município". 

Parlamentares que já foram recebidos pela governadora destacam o tom administrativo dos encontros, mas admitem que, em ano eleitoral, o momento acaba servindo também para que Izolda conheça melhor as bases eleitorais do grupo político liderado pelo PDT e possa se fortalecer  nesses municípios. Um movimento que pode ser essencial para a disputa eleitoral, a exemplo de eleições anteriores para o Governo do Estado. 

"Em outras eleições, principalmente em transições (entre gestões), o Interior se mostrou importantíssimo para a vitória de políticos. Em 2014, (na primeira vez em que Camilo Santana concorreu ao Governo) a virada de chave foi com os municípios do interior, porque na Capital não teve essa vantagem". 
Monalisa Torres
Professora da Universidade Estadual do Ceará e pesquisadora do Lepem-UFC

Aproximação com as bases

O movimento de aproximação com municípios do Interior não é exclusivo de Izolda Cela. Adversários na corrida pelo Palácio da Abolição - seja em partidos da oposição seja quem concorre dentro do PDT pela pré-candidatura - já têm feito visitas a diversas regiões do Estado. 

Reuniões com lideranças políticas, eventos religiosos, palestras e mesmo solenidades de recebimento de títulos de cidadania nas câmaras municipais têm feito parte da agenda de pré-campanha nas cidades cearenses. 

Monalisa Torres aponta que Izolda Cela possui a vantagem "de ter a caneta na mão", facilitando a costura de alianças e o fortalecimento das bases eleitorais. Por outro lado, continua a pesquisadora, "ela nunca experienciou como agora essa atividade política, já que esteve sempre mais na parte burocrática e de administração da política pública". 

Um dos deputados que já esteve reunido com a governadora, Osmar Baquit (PDT) ressalta a importância "desse contato com todos os prefeitos" por parte da gestão. Um movimento que ocorre, segundo ele, "independente de ser eleitoral", já que vem desde a gestão Camilo Santana. 

O deputado acompanhou os prefeitos Branco do Angelim (Uruburetama), Matheus Góis (Pedra Branca), Cirilo Pimenta (Quixeramobim) e Dr Lorim (Missão Velha) nas reuniões individuais com a governadora. 

Fortalecimento nas bases eleitorais

Para Baquit, os encontros tiveram intenção administrativa e política, mas "não de voto" e sim de "ouvir a base dela, base do grupo político que governa o estado do Ceará". 

Guilherme Landim (PDT) afirma que as reuniões ajudam a governadora a ter a "visão de todo o estado". "A governadora Izolda está querendo entender as demandas dos municípios, conhecer melhor e entender como está a relação estado-município", afirma. 

Apesar de concordar que o tema girou em torno de demandas administrativas, o deputado Antônio Granja (PDT), que foi um dos primeiros deputados estaduais a ser recebido no Palácio da Abolição, admite o impacto eleitoral que essa movimentação pode ter. 

Ele aponta que a relação tanto com deputados estaduais como com prefeitos "é importante para qualquer gestão e, principalmente, para ela enquanto pré-candidata", ressalta. 

Para Monalisa Torres, o movimento da governadora, com apoio de deputados estaduais da base, serve de algum modo para "equiparar" as pré-candidaturas que estão disputando a indicação do PDT sobre quem será a cabeça de chapa que irá concorrer ao Governo do Estado. 

"Esse momento é um grande teste para o grupo sobre a atuação dela. Como ela vai lidar com esses interesses, até como forma de garantir que o grupo se mantenha coeso. Teste para ver a capacidade dela como gestora, como política dentro de um grupo que se vê um momento de transição". 
Monalisa Torres
Professora da Uece e pesquisadora do Lepem-UFC

Força dos deputados

O movimento de aproximação das bases eleitorais, no entanto, não fortalece apenas a governadora. Os deputados estaduais também irão concorrer, em outubro, à reeleição para a Assembleia Legislativa e para isso precisam consolidar essa relação com os prefeitos aliados. 

"Mostrar que tem proximidade com a governadora, que tem acesso, que pode garantir repasse para o prefeito. O prefeito se sente mais motivado. (Porque)  O prefeito precisa mostrar trabalho no município e isso depende do parlamentar, que precisa do prefeito para consolidar a base eleitoral", ressalta Torres. 

Em grande maioria, os prefeitos recebidos, além de aliados aos deputados estaduais, são também chefes do Executivo municipal de cidades onde os parlamentares possuem ampla votação. 

No caso de Guilherme Landim, por exemplo, uma das prefeitas recebidas foi a de Brejo Santo, Gislaine Landim, mãe do deputado estadual. Ele também foi prefeito da cidade, onde obteve 75,9% dos votos válidos em 2018. 

Outros prefeitos recebidos por mediação de Landim foram Figueiredo (Milagres), Wylna Castro (prefeita interina de Saboeiro) e Joãozinho de Titico (Cedro). De Cedro, o ex-prefeito e pré-candidato a deputado federal, Nilson Diniz também participou do encontro. 

Com berço político em Barbalha, Fernando Santana (PT) levou ao encontro da governadora principalmente prefeitos do Cariri e Centro-Sul do estado. Foram eles: José Ailton (Crato), Guilherme Saraiva (Barbalha), Libório (Assaré), Dr. Aniziário Costa (Jardim) e João Paulo Furtado (Mauriti).

Prefeito do Crato, José Ailton (PT) esteve no Palácio da Abolição reforçou que o encontro com a governadora Izolda foi "mais administrativo, de fortalecimento dos municípios". "Ela não tem discutido política", garantiu. 

"(Fernando Santana) É um dos deputados mais votados no Crato. Ele levou os prefeitos que fazem parte do apoio. Ele tem contribuído muito com emendas e teve essa preocupação de nos levar logo para essa audiência", afirmou o gestor. 

Novas alianças

Enquanto algumas das reuniões fortaleceram a relação de deputados com bases eleitorais já estabelecidas, outras serviram para consolidar alianças mais recentes entre parlamentares e prefeitos. 

Aliado ao deputado estadual Tin Gomes (PDT), o prefeito de Poranga, Carlos Antônio (PT), esteve no Palácio da Abolição no último dia 11 de maio. O gestor afirma que irá apoiar o parlamentar nas eleições, o que pode aumentar a votação dele no município - em 2018, Tin Gomes contou com menos de 1% dos votos na cidade. 

"A gente procura os governantes para trazer benefício para população, principalmente Poranga, que é o município pobre, longe da capital", ressalta Carlos Antônio sobre os diálogos mantidos entre os diferentes Poderes. 

Tin Gomes também acompanhou a reunião entre a governadora Izolda Cela e o prefeito de Itapiúna, Dário Coelho. 

 

Com forte votação na Serra da Ibiapaba, Augusta Brito (PT) levou os prefeitos Marcão  (Ibiapina), Saul Maciel (São Benedito) e Zé Weliton (Carnaubal). Contudo, a parlamentar também acompanhou o prefeito de Jijoca de Jericoacoara, Lindbergh - localizada na região do Camocim. 

Além de não fazer parte da base eleitoral tradicional da deputada, o município deu poucos votos para ela em 2018 - durante o primeiro mandato de Lindbergh.