Como a entrega de títulos de cidadão a políticos têm se tornado atos de pré-campanha no Ceará

Lideranças políticas que pretendem se candidatar a cargos majoritários em outubro aproveitam as solenidades para marcar presença em municípios cearenses

Escrito por Luana Barros, luana.barros@svm.com.br

PontoPoder
Camilo Santana, Sarto e Izolda
Legenda: Depois de receber a Medalha Iracema da Prefeitura de Fortaleza, Camilo Santana irá receber título de cidadão de Nova Olinda
Foto: Reprodução/Twitter

O período de campanha eleitoral começa apenas em agosto, mas pré-candidatos já se movimentam pelos municípios cearenses em busca de se viabilizar para a disputa eleitoral em outubro.

Reuniões com lideranças locais, inaugurações e assinatura de ordens de serviço de obras públicas e mesmo eventos religiosos entram no radar de políticos durante todo o ano eleitoral.

Com a necessidade de fortalecer as alianças políticas, outro evento tem feito parte da agenda de quem pretende se candidatar a cargos majoritários: o recebimento de títulos de cidadão honorário de cidades no Estado. 

Nos próximos dias, o ex-governador do Ceará, Camilo Santana (PT) deve receber o título de cidadão de Nova Olinda, na região do Cariri. O petista é cotado para concorrer ao Senado Federal pela chapa governista.

A mesma cidade também deve entregar a comenda ao ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). Um dos pré-candidatos à sucessão estadual, ele também deve receber, na próxima semana, o título de cidadão do Crato. 

A agenda não é exclusiva a políticos da aliança governista. Pré-candidato ao Palácio da Abolição pelo União Brasil, Capitão Wagner também recebeu o título de cidadão de vários municípios no Ceará. O anúncio da pré-candidatura ao governo estadual ocorreu, inclusive, durante passagem por Acopiara para receber a honraria, ainda em 2021. 

O cientista político Cleyton Monte aponta que a entrega de títulos, medalhas e comendas a aliados não é novidade, ocorrendo de forma "persistente" na história política cearense. O clima de "campanha antecipada" desde o início do ano acaba fortalecendo essa tendência. 

"Acaba que esse tipo de homenagem acaba se revestindo de um ato político, com dimensão eleitoral. Como não pode pedir votos, a entrega de uma encomenda vinda de uma prefeitura ou de uma câmara municipal se reveste de um simbolismo institucional".
Cleyton Monte
Cientista político

Ele acrescenta que este simbolismo acaba diminuindo, por exemplo, os riscos de acusações por campanha antecipada na Justiça Eleitoral.

Recebimento de comendas

A primeira comenda recebida pelo ex-governador Camilo Santana foi a Medalha Iracema, maior honraria concedida pela Prefeitura de Fortaleza. A solenidade de entrega da medalha ocorreu na última quarta-feira (13) como parte das comemorações do aniversário da capital cearense. 

A premiação foi o primeiro evento público que Camilo participou desde que transmitiu a chefia do Executivo estadual à governadora Izolda Cela, no dia 2 de abril.

Camilo Santana, Sarto e Izolda
Legenda: Depois de receber a Medalha Iracema da Prefeitura de Fortaleza, Camilo Santana irá receber título de cidadão de Nova Olinda
Foto: Reprodução/Twitter

A Medalha Iracema não deve ser, entretanto, a única comenda que o petista irá receber. Fora do governo, ele deve iniciar uma peregrinação por municípios cearenses para receber título de cidadão da cidade. A primeira deve ser Nova Olinda, no Cariri. 

Por enquanto, a agenda ainda não está fechada, mas deve ocorrer nos próximos dias. Outras cidades também devem entrar na rota do ex-governador, mas as datas ainda estão sendo confirmadas, informou a assessoria de Camilo. 

Disputa pela sucessão estadual

Camilo Santana não é o único que irá receber o título de cidadão de Nova Olinda. A Câmara Municipal da cidade também irá conceder a homenagem ao ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. A solenidade para a entrega ocorre na próxima terça-feira (19). 

Legenda: Ex-prefeito de Fortaleza recebeu o título de cidadão do município de Senador Pompeu
Foto: Reprodução/Instagram

No dia seguinte, o ex-gestor municipal deve receber o título de cidadão do Crato, também na região do Cariri. 

Um dos pré-candidatos do PDT à sucessão estadual, Roberto Cláudio iniciou intensa agenda de viagens a municípios do Interior cearense ainda em 2021. Dentre as agendas que cumpriu nas cidades, o pedetista esteve nas câmaras municipais de, pelo menos, quatro cidades no estado para receber a comenda. 

Foram elas: Senador Pompeu, no Sertão Central; Quixelô, no Centro Sul cearense; além de Maranguape e Guaiúba, ambas na Região Metropolitana de Fortaleza. 

Legenda: Ex-prefeito da Capital recebeu o título de cidadão do município de Maranguape
Foto: Reprodução/Instagram

Cleyton Monte afirma que, em uma disputa eleitoral, existem dois tipos de atuações que candidatos devem ter: aquela junto às bases eleitorais e o fortalecimento de alianças políticas com lideranças municipais. 

A solenidade para receber título de cidadão honorário acaba sendo, muitas vezes, um evento com pouca participação popular, mas em que circulam várias lideranças da cidade e do estado, como prefeitos, vereadores e deputados. 

"Acaba sendo importante como networking político. (...) Serve para fortalecer alianças, como termômetro das articulações políticas. É também uma forma de simbolizar prestígio. E prestígio é também capital político", ressalta. 

Oposição

Principal pré-candidato da oposição ao governo estadual, Capitão Wagner (UB) também recebeu o título de cidadão em alguns municípios cearenses. 

Legenda: Pré-candidato a governador recebeu o título de cidadão de Acopiara
Foto: Reprodução/Instagram

Em maio de 2021, por exemplo, ele foi até Acopiara para receber o título de cidadão honorário. Também foi durante a passagem pela cidade, localizada na região Centro-Sul do estado, que ele anunciou a pré-candidatura ao governo estadual

Já em 2022, o deputado federal licenciado recebeu a comenda em, pelo menos, mais duas cidades cearenses: Juazeiro do Norte, no Cariri, e Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O cientista político Cleyton Montes afirma que, para a oposição, existe uma dificuldade maior em participar desses atos, principalmente em anos eleitorais. 

"Os governistas, que têm mais aliados, têm mais possibilidade de participar desses eventos. Para a oposição é mais difícil, porque precisa de votos de outros parlamentares que não são da oposição. Tem esse embate", ressalta. 

Assuntos Relacionados