Cearense conta como é viver na cidade brasileira com 97% dos adultos vacinados contra Covid-19

Iniciativa faz parte do Projeto S, do Instituto Butantan, que busca garantir a vacinação contra o novo coronavírus para quase 100% dos adultos e conferir o efeito em Serrana

Legenda: Vacinado contra Covid-19 nos dia 10 de março e 7 de abril, João faz parte dos 27.150 moradores serranenses que receberam o imunizante contra o novo coronavírus
Foto: Arquivo pessoal

Comércio e parques fechados, praças vazias, dias silenciosos e solitários. Esse cenário tem sido gradualmente modificado no município de Serrana, no interior de São Paulo, após 97,7% da população adulta ter sido imunizada contra o novo coronavírus. Agora, o cearense João de Monte Castro, 56 anos, já consegue ver a terra que o acolhe há mais de 20 anos, lentamente ganhar vida, movimento e alegria.

A alta porcentagem é resultado da iniciativa Projeto S, no qual o Instituto Butantan buscou entender como a aplicação em massa da vacina contra Covid-19 na população adulta de uma cidade poderia modificar o cenário epidemiológico. Ao todo, o município concentrava uma população de  aproximadamente 28 mil pessoas acima de 18 anos, destes, 27.150 foram imunizados. 

A gente já vê as pessoas mais alegres, antes as pessoas estavam muito tristes. A gente está um pouco mais à vontade. Em si, a cidade melhorou. Não está tendo os casos, a intubação de pessoas. Não está mais a correria, mas a cidade passa gente.
João de Monte Castro
Servidor Público

No caso de João, a primeira dose da CoronaVac foi aplicada no dia 10 de março e o reforço em 7 de abril. “Estou muito feliz, dá um alívio, porque essa vacina é segura. Tenho certeza que deu certo, tanto que a gente vê o resultado na cidade”, comenta.

A alegria vivida em meio à imunização consegue amenizar os receios e as incertezas que marcaram o período da chegada dos primeiros casos de Covid-19 no município. “Eu mesmo fiquei abismado com a notícia”, diz, ainda surpreso com a velocidade da vacinação. 

Mudança na rotina

Legenda: O movimento de pessoas em praças e parque voltou a aumentar de forma gradual depois da imunização dos adultos
Foto: Arquivo pessoal

“De casa para o trabalho, do trabalho para casa”, é dessa forma que João explica seus hábitos. No entanto, mesmo com suas características de sujeito caseiro, sentia saudade da calmaria da praça. De poder se sentar no banco, observar o movimento, se divertir com o fluxo de crianças e ver o sol se pôr por trás das árvores e casas.

As coisas que gosto de fazer mesmo é final de semana em casa, mas à tarde vou para o parque, dar uma olhada no movimento de gente, minha vida é isso aí.
João de Monte Castro
Servidor Público

Porém, mesmo com a liberação dos comércios e a abertura do Parque Ecológico, as festas e eventos similares ainda estão proibidos. Além disso, a população segue recomendada a utilizar álcool em gel, máscara e a respeitar o distanciamento, explica João.  

“As autoridades competentes na cidade ainda estão segurando e cobrando os cuidados. O parque tem horário de abrir e de fechar, mas está voltando aos poucos, com segurança”, detalha.

Visita ao sertão

Legenda: O chefe de divisão de espaço público no Parque Ecológico de Serrana agora percebe o aumento do fluxo de moradores pela cidade e por seus pontos turísticos
Foto: Arquivo pessoal

O viúvo se mudou para São Paulo ainda em 1999, deixando seus três filhos no município de Icó, no Ceará. Apesar de quase duas décadas de acolhimento em Serrana e estando próximo de receber a honraria de cidadão serranense, o amor pelo Nordeste e por suas raízes segue forte em seu peito. 

Em 2020, se organizava para visitar os filhos, mas precisou adiar os planos em decorrência da pandemia. Com a imunização, considera retornar ao fim deste ano, caso ocorra a melhora no cenário dos casos no Ceará.

“Talvez no final do ano vá visitar a minha terra, meu Icó e Fortaleza também, que é onde minha filha mora. As coisas vão se acalmar, se Deus quiser vai dar tudo certo"
João de Monte Castro
cearense que mora há 20 anos em Serrana (SP)

Projeto do Instituto Butantan

O Projeto S, do Instituto Butantan, contratou pelo menos 400 profissionais de Ribeirão Preto e região para atuar como seguranças, atendentes, enfermeiras e médicos. A vacinação  contra o novo coronavírus no município de Serrana iniciou em 17 de fevereiro deste ano e finalizando no dia 11 de abril. 

“O município foi dividido em quatro grupos, e a cada semana um dos grupos era vacinado – nas primeiras quatro semanas, com a primeira dose da vacina; nas quatro semanas seguintes, com a segunda dose”, detalha o Instituto Butantan.

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores