Klara Castanho faz primeira publicação após revelar estupro e gravidez: 'estou me cuidando'

Em relato nas redes sociais, atriz revela que está fazendo acompanhamento psicológico

Escrito por Beatriz Rabelo, beatriz.rabelo@svm.com.br

Zoeira
Atriz Klara Castanho posando para uma foto dentro de um carro
Legenda: Klara Castanho foi vítima de estupro
Foto: Reprodução/Instagram

Klara Castanho fez a primeira publicação no Instagram, na noite desta quarta-feira (6), após compartilhar carta aberta revelando ter sido vítima de estupro. A atriz relatou que, apesar das dificuldades vividas nos últimos dias, quis agradecer "por cada palavra de amor, de afeto e de acolhimento" que tem recebido. 

No dia 25 de junho, Klara usou as redes sociais para publicar detalhes acerca da violência sofrida. A atriz apontou que engravidou depois de ser vítima de estupro e que a criança, fruto da violência, foi entregue posteriormente à adoção. 

"Todo esse carinho tem sido muito importante para mim e eu precisava dividir a minha gratidão com vocês. Obrigada do fundo do meu coração".
Klara Castanho
Atriz

Ciente da preocupação que muitos estão tendo com ela, quis declarar que está se cuidando e fazendo acompanhamento psicológico. "Sigo cercada de profissionais que estão trabalhando para a preservação dos meus direitos", compartilhou.

No texto, ainda agradeceu pelo apoio da família, dos amigos, dos colegas de profissão e dos fãs. "Quero agradecer também a imprensa séria e responsável, que vem me respeitando durante esse momento", concluiu.

Pôr do sol
Legenda: Imagem de um entardecer foi postada junto com o texto de agradecimento pelo apoio
Foto: Reprodução/Redes sociais

Relembre o caso

Na carta aberta divulgada, Klara Castanho disse que tomou pílula do dia seguinte e tentou seguir a vida apesar do trauma. Após sentir muitas dores, foi ao médico e descobriu a gravidez em meio a uma tomografia. 

Castanho ainda disse ter sido vítima de violência médica. O profissional de saúde a obrigou a "ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo".

O hospital onde a atriz permaneceu internada, na Região Metropolitana de São Paulo, informou, no dia 26 de junho, que será aberta uma sindicância interna para investigar a denúncia feita pela artista de que uma enfermeira teria ameaçado divulgar para a imprensa o fato dela ter entregado para adoção o bebê fruto de estupro que sofreu. 

Investigação do Conselho Regional de Enfermagem 

O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo informou, na última segunda-feira (4), que o Hospital Brasil - acusado de vazar informações da atriz Klara Castanho, vítima de estupro - negou acesso ao prontuário de atendimento da artista.

De acordo com nota divulgada pelo órgão, o acesso foi negado por conta da necessidade de autorização prévia da paciente, o que é previsto no Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

Conforme informações do g1, com o novo desdobramento, o Conselho Regional se colocou à disposição da atriz para orientá-la sobre os procedimentos para averiguar a conduta dos profissionais de enfermagem que a atenderam e também sobre o acesso ao prontuário.