Serviluz Agroecológico estimula plantio de mudas e alimentos: “queremos construir um ambiente novo”

Com o projeto, a Associação de Moradores do Titanzinho busca criar outra relação com a natureza ao incentivar a prática da plantação de modo mais frequente no bairro

Legenda: Há mais de dois anos, o processo de plantação das mudas ocorre de forma natural organizada pelos próprios moradores do bairro
Foto: Divulgação / Associação dos Moradores do Titanzinho

É bem ali, ao redor do farol velho cantado por Ednardo, que moradores do bairro Cais do Porto, em Fortaleza, tem plantado mudas de milho, feijão, jerimum e macaxeira. Essa iniciativa de plantio estimulada pelo Projeto Serviluz Agroecológico se espalha de modo similar em diversos pontos do bairro.

A ação é tocada pela Associação de Moradores do Titanzinho buscando construir um território mais verde na cidade, fortalecendo redes de afeto e de cuidado, aponta um dos integrantes da associação, Pedro Fernandes, 40 anos. 

É muito ruim as pessoas só terem asfalto e concreto. A gente quer trazer esse contato de novo com a natureza. Vai custar a mudar essa formatação, porque fomos formatados desde criança. Mas queremos incentivar isso, as pessoas a mudarem essa vida.
Pedro Fernandes
Morador do Serviluz

O processo de plantação das mudas tem sido natural e já ocorre de forma mais intensa há mais de dois anos. O que o projeto busca, portanto, é manter uma prática mais regular, presente e atenta através da técnica da agrofloresta, na qual estimula o plantio em abundância com foco em espécies nativas. 

São diversos os tipos de plantas e mudas espalhados por mais de dez pontos do bairro, incluindo espécies de coqueiro, carnaúba, pitaya, mamão, acerola, limão e até abacate. “Não é só a gente que planta, estamos chegando juntos de quem está plantando. Turbinando o que está acontecendo”, reforça. 

Construção de outra cidade

Legenda: O Projeto Serviluz Agroecológico procura também resgatar a conexão dos habitantes da cidade com o meio ambiente
Foto: Divulgação/ Associação dos Moradores do Titanzinho

Para Pedro, a cuidadosa ação de plantar e colher o próprio fruto estimula não só a responsabilidade dos moradores com o espaço em que moram, como aproxima essa pessoas à malha urbana. “Incentiva a cuidarem do local, trazendo a questão da ecologia, da planta”, detalha. 

Considerando que a paisagem de 200 anos atrás carregava muito mais árvores e espaços verdes, o Projeto também procura resgatar essa conexão com o meio ambiente, propondo outros usos e vivências da cidade não movimentadas pelo mercado ou lucro. 

Queremos estimular as pessoas a plantarem em cada metro da cidade. Queremos construir um ambiente novo, dar a volta por cima, trazer a emancipação humana do mercado. A gente sente essa conexão com a natureza, que dá uma alegria maior.
Pedro Fernandes
Integrante da Associação Titanzinho

Essa iniciativa não se restringe ao Serviluz, conforme Pedro percebe, já viu movimentações similares em outros bairros de Fortaleza, como Poço da Draga e Bom Jardim. Neles, também é estimulada a plantação de mudas e a criação de ambientes mais verdes no tecido urbano

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores