Estudante de escola pública do Ceará cria paródia musical de combate à Covid-19; veja vídeo

“A mensagem da música é para os muitos que não acreditam, que pensam que é só ‘balela’”, diz Vinícius Sousa, de 17 anos

Legenda: Jovem explica que produção ocorreu após trabalho da disciplina propor o debate sobre a doença de maneira mais lúdica
Foto: Arquivo pessoal

Com a preocupação de criar um conteúdo que conseguisse conversar de forma mais próxima com os jovens sobre a segunda onda da Covid-19, o estudante do 2º ano de ensino médio da EEFM Aloysio Barros Leal, em Fortaleza, Vinícius Sousa, 17 anos, criou uma paródia musical intitulada “Não Duvide”. 

A iniciativa surgiu após a professora da disciplina de Linguagens e Códigos, Aliciane Teixeira, compartilhar a proposta de abordar a pandemia de maneira mais lúdica. Os alunos puderam escolher trabalhar com poemas, gráficos, cartazes e paródias. “Como eu gosto de cantar faz tempo, me senti inspirado”, relata Vinícius. 

Produzida em fevereiro, o estudante levou apenas duas horas para criá-la. O jovem organizou o trabalho sozinho, da composição da letra, até a produção e edição do vídeo, inspirando-se na melodia da canção “Vida de Rico”, do artista colombiano Camilo.

“Eu me baseei na nossa realidade, em todos os discursos que a gente escuta dos governantes, dos responsáveis e também um pouco na minha opinião sobre a pandemia. A mensagem da música é para os muitos que não acreditam, que pensam que é só ‘balela’, que não age de acordo, do jeito que é para agir”, detalha o estudante. 

Veja o vídeo

Construindo outros diálogos

Além do alerta para as pessoas não duvidarem da gravidade da pandemia e de respeitarem os protocolos de prevenção, a música também traz uma abordagem humanizada de tratar sobre os óbitos. 

No começo, por exemplo, o estudante já canta: “Tu pensas que sair para festas é mais importante, só que tem um monte de gente morrendo a cada instante. Deixa de egoísmo, só pensa no próprio umbigo. Pensa nos parentes de muita gente que foram perdidos”.

Conforme Vinícius, ele buscou escolher palavras que se aproximassem mais da forma de falar, desejando que a mensagem conseguisse chegar em um público maior. “Porque às vezes tem pessoas têm dificuldade de entender uma linguagem excessivamente formal”, conclui.

Estímulo ao pensamento crítico

De acordo com a professora da disciplina, atuando há um ano na escola, a atividade buscava dar liberdade para os estudantes desenvolverem a criatividade tendo como tema a pandemia de Covid-19. Por isso, a felicidade foi imensa ao ver o resultado do trabalho dos estudantes, incluindo o de Vinícius.

“A conscientização atualmente é muito importante, nós precisamos deixar isso bem claro, não só para eles, mas para outras pessoas também. Então, através da criatividade do trabalho desses alunos, nós podemos alcançar mais público para que a gente possa conscientizá-los, aponta Aliciane.

Para Vinícius, esse tipo de trabalho é “extremamente necessário” no ambiente escolar porque além de estimular o lado artístico dos estudantes, também levanta o debate para um tema presente na vida de todos os alunos. 

“Muitos deles não tinham essa conscientização. Apesar de ouvirem os responsáveis, é como se muitos deles não entendessem a grandeza da situação, então é muito necessário falar sobre isso na sala de aula”, finaliza. 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores