Devido à pandemia, festivais de cinema brasileiros são realizados via internet

Quarentena altera o formato dos eventos. Caso mais recente é o Festival Internacional de Cinema de Brasília. O saldo positivo para os cinéfilos é assistir gratuitamente uma lista de filmes premiados

Legenda: "Spartacus" (1960) com Kirk Douglas será um dos filmes exibidos pelo Festival Internacional de Cinema de Brasília, que fará homenagem ao ator
Foto: Divulgação

Fundamentais no mercado cinematográfico brasileiro, os festivais de cinema sentem os efeitos da luta contra a Covid-19. A quarentena exige o isolamento social. Diferente de anos anteriores, com exibições lotadas pelo público, a opção em 2020 é continuar no universo online. Uma oportunidade para os fãs da sétima arte que moram em outras cidades.  

Antes realizado no Cine Brasília, com noites de casa cheia, o Festival Internacional de Cinema de Brasília (BIFF) adotou a transmissão online. A sétima edição celebra os 60 anos de fundação de Brasília. Pela primeira vez, os filmes inéditos, entre ficção e documentários, serão exibidos em ambiente virtual.  

A direção geral e curadoria é da jornalista, produtora e cineasta Anna Karina de Carvalho. Oito títulos inéditos, entre ficções e documentários, compõem a mostra principal. A seleção do 7º BIFF inclui obras inéditas como “Liberté”, do diretor espanhol Albert Serra (“A Morte de Luís XIV”). O filme conquistou o Prêmio Especial do Júri na mostra “Um Certo Olhar”, no último Festival de Cannes.  

Outras estreias recortam um panorama do cinema internacional. Indicado pela Polônia como concorrente ao Oscar, “Corpus Christi”, de Jan Kamasa, é outro destaque. O público também pode assistir a elogiada produção japonesa  “We are little zombies”, de Makoto Nagahisa. Há espaço também para homenagens. 

O BIFF também presta reverência à carreira do ator Kirk Douglas, morto no último dia 5 de fevereiro. A mostra inclui “A Montanha dos 7 Abutres” (1951), “Assim estava escrito” (1952), “Sede de viver” (1956), “Spartacus” (1960) e “Sua última façanha” (1962). Sessões imperdíveis. 

O festival acontece entre os dias 21 e 26 de abril. Para assistir os filmes basta acessar o site oficial do evento.  O visitante será redirecionado para a plataforma LOOKE, de distribuição digital via streaming. O próximo passo é preencher um cadastro e acompanhar toda a programação diária. 

Reinvenção 

Tradicional no circuito, o festival “É Tudo Verdade” completa 25 anos de idade e teve que remodelar sua organização. Com o fechamento de salas de cinema em São Paulo e Rio de Janeiro, parte da mostra foi adiada para setembro. Mas, o festival já começou. Desde o dia 26 de março acontece exibição de filmes online nas plataformas Spcine Play e Canal Brasil Play, além da página do Itaú Cultural.  

São 50 horas de programação em 30 títulos, entre longas-metragens, curtas e séries. A Spcine Play,  exibe dez longas-metragens de cineastas mulheres que marcaram a história do festival, além do inédito “O Segundo Encontro”, de Veronique Ballot. Outra pérola são os dois documentários sobre o cineasta José Mojica Marins (1936-2020),  o famoso Zé do Caixão.  

A série “A Herança da Coruja” (1989), feita pelo diretor francês Chris Marker (1921-2012) está disponível no site do Itaú Cultural. São 13 episódios de 26 minutos. O Canal Brasil Play reúne a série “Cineastas do Real”, com 26 entrevistas feitas pelo fundador e diretor do festival, Amir Labak. 

"Em meio à presente algaravia de informação e desinformação ininterruptas, nunca foi mais importante fazer, assistir e discutir documentários, fomentar sua produção, distribuição e exibição, no que se engajou É Tudo Verdade em cada uma de suas 25 edições. Modesta e apaixonadamente", afirmou, em nota, Amir Labaki. 

Cinema em casa 

O audiovisual cearense também segue prestigiado no mundo virtual. A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) disponibilizou em seu canal de YouTube seis curtas-metragens produzidos por cearenses. Os trabalhos foram exibidos na V Mostra Itinerante de Cinema do Ceará.  

A seleção inclui os curtas documentários “Becco do Cotovelo”, de Pedro Cela e Eduardo Cunha; “Couro Tecido”, de Adriana Botelho, e “Negro lá, Negro cá”, de Eduardo Cunha de Souza. Outros filmes são “Céu Limpo” de Marcley de Aquino e Duarte Dias, “Doce de Coco”, de Allan Deberton e a animação “Esaú, o contador de história”, de André Dias. 

Com mais pessoas ficando em casa, o streaming tem ganhado ainda mais força. Empresas que prestam o serviço sentiram o apelo do momento. A Globoplay, serviço do grupo Globo também funcionará para não-assinantes. Durante 30 dias, filmes infantis, algumas séries e temporadas da novela “Malhação” podem ser vistas gratuitamente. Não é preciso se cadastrar na plataforma. 

Internacional 

A empresa portuguesa Medeia Filmes anunciou que irá disponibilizar três filmes por semana em seu site. Não é necessário cadastro. Toda terça, quinta e sábado será exibido uma produção. A ideia é garantir uma “quarentena cinéfila”, como define a exibidora. A elogiada “Trilogia das Cores”, de Krzysztof Kieślowski (1941-1996) é um dos atrativos da iniciativa.  

Se o inglês anda em dia, que tal assistir alguns clássicos da nostalgia? O papa dos filmes B, Roger Corman, entregou um presente aos fãs. Aos 93 anos, um dos maiores nomes do cinema mundial anunciou uma lista gratuita de filmes pelo site de streaming Tubi.  

“A Pequena Loja dos Horrores” (1960), “Creature from the Haunted Sea” (1961), “Rock All Night” (1957), “Mercenários das Galáxias” (1980), estão entre os escolhidos. “Espero que isso ajude alguém a encontrar algum prazer e talvez uma pequena fuga. Fique seguro”, explicou o mestre via anúncio nas redes sociais.  Uma curiosidade para quem é fã de desenhos animados antigos. A Hasbro entrou na campanha de veicular conteúdo gratuito. A gigante corporação de brinquedos informou que todos os capítulos de “Comandos em Ação” podem ser assistidos no canal oficial de YouTube da companhia.  

G.I. Joe: A Real American Hero”, título original do desenho, teve duas temporadas entre os anos de 1923 e 1986. No Brasil, os “Comandos em Ação” se tornaram uma febre da molecada. A série animada é considerada um marco da cultura pop e já teve duas versões “live action” para o cinema.  

Ainda no território da animação, vale citar o caso da Adult Swin. O canal faz transmissão online gratuita da aclamada série animada "Samurai Jack". Todas as cinco temporadas criadas pelo premiado animador Genndy Tartakovsky estarão disponíveis. Um material extra inclui especiais dos bastidores sobre a criação do desenho e uma entrevista com Tartakovsky.