Festival Jazz & Blues realiza edição a partir deste sábado, 13; confira

A 22ª edição do evento traz apresentações de artistas locais e nacionais em formato inédito virtual

Esta é uma imagem de Jaques Morelenbaum
Legenda: Jaques Morelenbaum se apresentaaolado de Paula e banda com repertório que inclui releituras de Tom, Caetano e João Nonato
Foto: Divulgação

Em outro cenário, os amantes da música instrumental estariam finalizando neste momento os preparativos para curtir o Carnaval em Guaramiranga, os músicos realizando os últimos ensaios e a cidade serrana se preparando para sediar por mais um ano o Festival Jazz & Blues. Com o recrudescimento da pandemia, a realização da 22ª edição do evento no formato tradicional está impossibilitada de acontecer, mas a proposta original do festival segue intacta.

De 13 a 15 de fevereiro, músicos e instrumentistas de todo o Brasil se reúnem virtualmente para manter a tradição, que há mais de 20 anos agrega um novo conceito rítmico ao Carnaval cearense. Com shows já gravados, os artistas se apresentam no canal do YouTube de forma gratuita. 

“É a (edição) mais desafiadora porque o festival sempre aconteceu de forma presencial e uma de suas marcas também era esse clima que se gerava na cidade de encontro. O festival sempre foi marcado pelo encontro. Encontro de músicos experientes com músicos jovens. Encontro de gerações”, relata Maria Amélia Mamede, idealizadora do festival. 

Para manter a mesma energia, foram convidados nomes inéditos e artistas já conhecidos pelo público do festival, como os instrumentistas Adelson Viana e Nonato Luiz, em um encontro de acordeom e violão, trazendo músicas do disco “Dourado”; o pianista Gilson Peranzzetta, que volta ao festival em um duo com o violonista Marcel Powell, em uma homenagem ao legado e a obra de Baden Powell; e a cantora Wanda Sá que se une ao guitarrista e violonista Nelson Faria para um show especial.

Esta é uma imagem de Nonato Luiz e Adelson Viana
Legenda: Nonato Luiz e Adelson Viana apresentam o show "Dobrado"
Foto: Divulgação

Novidades

Os desafios de realizar, pela primeira vez, o evento inteiramente online foram vistos como uma oportunidade de fazê-lo crescer, explica a produtora cultural Amélia Mamede. Em 2021, a 22ª edição do Festival Jazz & Blues ocorre em três etapas, as quais estão previstas para acontecerem nos dois semestres letivos. 

A primeira fase se encerra hoje (11) com o fim das residências artísticas, as quais visam a qualificação profissional de músicos cearenses do nível básico ao avançado. Nesta edição, mais de 300 alunos foram contemplados com a ação. Já a segunda etapa tem início no sábado (13) e segue até segunda (15), com os shows virtuais gratuitos. 

Esta é uma imagem do Trio Guará + Rafael Teixeira
Legenda: O Tri Guará se une a Rafael Teixeira para apresentar o show "Só Baião", em que se destaca um passeio pela improvisação
Foto: Divulgação

A terceira fase está programada para acontecer no segundo semestre de 2021 na modalidade presencial, a depender do cenário de pandemia no Estado. Nesta etapa, o Festival Jazz & Blues realiza uma homenagem ao compositor cearense Alberto Nepomuceno, que no ano passado completou 100 anos de morte. 

A ação, inédita até esta edição, é resultado da contemplação do edital da Fundação Nacional das Artes (Funarte).

“Diante desses desafios que nos foram impostos, a gente está conseguindo crescer e dar maior visibilidade para o festival. Se ele se realiza em três etapas, eu vou ter um fortalecimento durante o ano inteiro. Quem sabe a gente não avalia e vê que é uma coisa legal que permaneça depois que passar a pandemia?”, projeta a idealizadora do evento.

Ela acredita ainda que a continuidade das atividades artísticas proporcionadas pelo Festival Jazz & Blues é fundamental para incentivar a cadeia produtiva do setor de eventos culturais, uma das áreas mais afetadas pela pandemia.

“A primeira coisa que eu acho importantíssima é manter a empregabilidade de músicos, de técnicos, de fotógrafos, assessoria de imprensa e design. A gente mantém essas pessoas atuando no mercado. Acho que isso é muito importante. Segundo, é prestigiar (também) o nosso público que tradicionalmente tem comparecido ao festival”, aponta.

Arte em casa

Esta é uma imagem de Felipe Cazaux
Legenda: Felipe Cazaux preparou um show inédito para comemorar 10 anos do seu segundo disco “Good Days Have Come” no festival Jazz & Blues
Foto: Divulgação

Manter a realização do festival é uma oportunidade de perpetuar a propagação da arte, afirma o músico Jaques Morelenbaum, que se apresenta no domingo (14), ao lado da cantora Paula Morelenbaum. Ele acredita que o festival é uma maneira de continuar levando a música para a vida das pessoas e de confortar o “espírito” dos ouvintes diante desse cenário tão desafiador. 

“Eu estou achando maravilhoso que a gente possa fazer a nossa arte em um momento tão complicado da história da humanidade e eu fico muito agradecido ao festival por nos dar essa oportunidade. Evidentemente seria maravilhoso participar presencialmente por mil motivos. É incomparável a sensação que a gente tem de tocar para o público presencial, mas por outro lado, sabemos dessa situação que todo mundo está vivendo”, diz. 

Para o show, a dupla escolheu um repertório de compositores com os quais já trabalharam juntos, como Caetano Veloso, Gilberto Gil e João Nonato. Egressos da Banda Nova, do maestro Tom Jobim, Paula Morelenbaum e Jaques Morelenbaum gravaram a apresentação em casa, no Rio de Janeiro, a qual também teve participação de Dora Morelenbaum na voz e violão. 

Quem também anima a programação de domingo do Festival Jazz & Blues é o compositor e guitarrista Felipe Cazaux. O músico preparou um show inédito para comemorar 10 anos do seu segundo disco “Good Days Have Come”. 

“É sempre especial participar do festival. A produção foi bem legal, gravação foi massa. A gente espera que a galera curta, sinta um pouco da vibe que tem lá no festival, mesmo sem poder sair de casa”, diz. 

Já para Jaques Morelenbaum, a expectativa é que o festival possa transmitir a mensagem artística. “A gente tem consciência do poder da música, do poder curativo da música, e a gente se sente de certa maneira missionário, com essa missão de confortar o espírito das pessoas”, completa.

Confira a programação completa:

Gilson Peranzzetta e Marcel Powell

Sábado (13), a partir das 20h, no YouTube

Adelson Viana e Nonato Luiz

Sábado (13), a partir das 20h, no YouTube

Lu D’Sosa

Sábado (13), a partir das 20h, no YouTube

Felipe Cazaux

Domingo (14), a partir das 20h, no YouTube

Paula e Jaques Morelenbaum

Domingo (14), a partir das 20h, no YouTube

Trio Guará + Rafael Teixeira

Segunda (15), a partir das 20h, no YouTube

Wanda Sá e Nelson Faria

Segunda (15), a partir das 20h, no YouTube

Metallo Trio

Segunda (15), a partir das 20h, no YouTube

Serviço

Festival Jazz & Blues
De sábado (13) a segunda-feira (15), a partir das 20h, no canal do YouTube “Jazz e Blues CE”. Mais informações no site.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?