Consumo de livro digital e audiolivro ainda é tímido em Fortaleza

A quinta edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil aponta que 17% leram livro digital e 21% ouviram algum audiolivro ou audiobook na Capital cearense

Esta é uma imagem de um leitor com um celular e alguns livros sobre o chão.
Legenda: Entre os leitores de literatura brasileiros, 70% preferem o papel
Foto: Helene Santos

O livro físico ainda é o preferido do fortalezense, de acordo com a quinta edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Isso porque, do total de leitores residentes na Capital, apenas 17% leram algum livro digital e 21% ouviram algum audiolivro ou audiobook. A média se aproxima das demais capitais da Região Nordeste e também do número nacional: entre os leitores de literatura brasileiros, 70% optam pelo papel.

A pesquisa foi realizada com 350 fortalezenses, no período de outubro de 2019 a janeiro de 2020, a partir de entrevistas domiciliares face a face e registro das respostas em tablets. Em todo Brasil, foram 8.076 entrevistas distribuídas em 208 municípios.

> Veja todos os dados de Fortaleza

Esta é a primeira vez que esse estudo traz uma investigação de novos hábitos envolvendo leitura na Internet, além de dados específicos de todas as capitais do País, demandas solicitadas pelo Itaú Cultural, parceiro do Instituto Pró-Livro neste projeto.

O cearense William Soares, 19 anos, até consome e-book, mas reforça outra preferência. “Já li um livro de uma forma digital, porém prefiro ler o físico. E eu já tive uma experiência com um audiolivro, não cheguei a escutar tudo, mas passei bastante tempo ouvindo, pois me despertou uma curiosidade, me chamou atenção ao meu primeiro contato”, revela, não descartando a possibilidade de retomar esse processo.

No caso de Eder Abner, 24 anos, há uma maior resistência a esses novos formatos. “Audiolivros nunca ‘usei/consumi’, mas livros digitais, sim. Tento evitar, pois prefiro os físicos e não gosto muito da experiência de ler em aparelhos digitais, só quando realmente não encontro o que quero na versão física”, aponta.

Vale ressaltar que, entre as atividades mais realizadas na internet brasileira, segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, apenas 7% correspondem à leitura de livros. Trocar mensagens no Whatsapp ou no chat do Facebook (60%), assistir a vídeos, filmes, séries ou programas de TV (42%) e escutar música (35%) concentram muito mais tempo do usuário.

Na hora de escolher um dispositivo para leitura, o celular é o campeão, com 79% dos consumidores, seguido de computador (31%), tablet ou ipad (9%) e leitores digitais, como Kindle, Kobo e Lev (5%). Nesse cenário, como estão as suas experiências?

inter@

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados