Novo decreto de Camilo determina toque de recolher e suspensão das aulas presenciais no Ceará

Dentre outras medidas, o Governo ainda determinou o fechamento de espaços públicos a partir das 17h

Sarto, Camilo e Cabeto
Legenda: Camilo fez o anúncio ao lado do prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, e do secretário estadual da Saúde, Dr. Cabeto
Foto: Divulgação

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, nesta quarta-feira (17), toque de recolher das 22h às 5 horas em todo o Ceará. A decisão vale até o dia 28 de fevereiro. Outra medida é a suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas. E todos os espaços públicos fecharão às 17h. 

Todas as medidas valem a partir desta quinta-feira (18), com exceção das aulas - que voltam a ser exclusivamente remotas na sexta-feira (19). A suspensão das aulas não abrange o berçário e a educação infantil para crianças de até 3 anos das redes pública e privada. As atividades práticas e laboratoriais para concludentes do ensino superior, inclusive de internato, também serão permitidas no período. 

O novo decreto de isolamento social estende algumas restrições definidas para o período de Carnaval, incluindo barreiras sanitárias nos municípios cearenses, com controle do transporte intermunicipal, e horário reduzido de atividades econômicas que não oferecem serviços considerados essenciais. Aos fins de semana, todo o comércio só poderá funcionar até as 17 horas.

Além disso, todo o funcionalismo público não essencial trabalhará de forma remota. E o Governo recomenda que o setor privado faça o mesmo. Festas seguem proibidas em quaisquer ambientes.

A decisão busca conter o avanço de casos do novo coronavírus no Estado, que tem causado alta nas taxas de ocupação em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) voltados para pacientes com Covid-19. 

Toque de recolher

Segundo o decreto do Governo do Estado que define as novas medidas, a circulação de pessoas entre 22h e 5 horas do dia seguinte é proibida, exceto para as seguintes atividades:

I - serviços públicos essenciais;
II - farmácias;
III - indústria;
IV - supermercados/congêneres;
V - postos de combustíveis;
VI - hospitais e demais unidades de saúde e de serviços odontológicos e veterinários de emergência;
VII - laboratórios de análises clínicas;
VIII - segurança privada;
IX - imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
X - funerárias.

Além disso, podem circular os serviços de entrega e profissionais que exerçam "exercício da advocacia na defesa da liberdade individual".

Ainda segundo o decreto, restaurantes de hotéis, pousadas e congêneres poderão funcionar, de segunda a sexta, das 20h às 22h, bem como aos sábados e domingos, das 15h às 22h, "desde que exclusivamente para o atendimento de hóspedes".

Veja as medidas definidas pelo Governo do Ceará

As ações valem até 28 de fevereiro

1 - Toque de recolher em todo o Ceará, todos os dias, das 22h às 5h;

2 - Comércio funcionará de segunda a sexta até as 20h. Depois deste horário, só funcionarão os que oferecem serviços essenciais;

3 - Aos fins de semana, restaurantes e estabelecimentos congêneres só poderão funcionar até 15h, e comércio, incluindo shoppings, até 17h;

4 - Espaços públicos serão fechados todos os dias a partir das 17h, com proibição de circulação;

5 - Suspensão das aulas presenciais nas escolas e universidades públicas e privadas a partir de sexta-feira (19). Atividade permanecerá apenas de forma remota;

6 - Barreiras sanitárias em Fortaleza, com fiscalização na saída e chegada do transporte intermunicipal; governador recomendará aos prefeitos dos municípios cearenses que façam o mesmo;

7 - Permissão de transporte intermunicipal, desde que haja fiscalização na entrada e na saída das cidades;

8 - Funcionalismo público atuará de forma remota, exceto as atividades essenciais;

9 - Recomendação para que o setor privado trabalhe de forma remota.

Situação preocupante

"São medidas duras, difíceis de serem tomadas, mas têm apenas um objetivo: proteger a vida do cearense", destacou Camilo durante o anúncio. Ele frisou que, em um mês, o número de pessoas com Covid-19 precisando de leito de UTI quase triplicou no Estado. O governador ainda destacou que a velocidade de transmissão do vírus é "exponencial" em Fortaleza e no Interior.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 no Ceará chegou a 87,63% nesta quarta. Quando considerados somente os leitos de UTI Adulto, o percentual chega a 90,19%. As informações são do IntegraSUS.

"No pico da pandemia, no ano passado, a demanda da UTI era da ordem de 29 pessoas por dia e atingimos só 17 solicitações agora, no mês de fevereiro. Todos os indicadores vão na direção de que a gente atinge o pico e há possibilidade matemática e científica de que a gente possa ultrapassar o pico - o que nos preocupa. Estamos ampliando os leitos de enfermaria e de UTI, a fiscalização para evitar aglomeração e preservar a saúde das pessoas", explicou o prefeito Sarto Nogueira.

“Esse é mais um momento que precisamos de união. Governador e prefeito colocaram medidas mais restritivas pois servem para reduzir a circulação viral; para que possamos garantir que os mais vulneráveis tenham tempo de se vacinar, com a previsão de finalizar até o final de março para pessoas acima de 60 anos, e evitar o esgotamento pelo serviço de saúde pública”, informou o secretário da Saúde, Dr. Cabeto.

Reveja o anúncio do governador

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios