Gramado (RS) é opção de viagem para quem busca sossego e opções culturais

Ao oferecer bom serviços ao público e incentivar a realização de eventos ligados à arte e à cultura, a cidade localizada na Serra Gaúcha consolidou-se como um dos destinos mais procurados do País. O clima característico da região é outro convite tentador para passeios gastronômicos com a família

Legenda: A Casa do Colono incentiva e desenvolve a agricultura familiar da Serra Gaúcha
Foto: Antonio Laudenir

O trajeto pelas organizadas estradas da capital gaúcha até Gramado já aguça a curiosidade do visitante. Afinal, quais as razões do município, localizado a 120 km de Porto Alegre, figurar no mapa brasileiro como um dos territórios turísticos mais desejados? Aproveitar o clima, a beleza nativa da vegetação ou o reconhecido roteiro gastronômico são algumas das pistas mais óbvias. Porém, a cidade é generosa para quem deseja compreender o encanto local.

As opções de hospedagem incluem hotéis, pousadas, serviço de hostel e até disponibilidade de estadia via aplicativo. Alugar um veículo e percorrer as cidades vizinhas é uma forma comum das famílias desbravarem a região.

Outra alternativa de harmonia com a natureza e com a arquitetura do lugar é investir no BusTour, transporte coletivo turístico oficial de Canela e Gramado. Os ônibus panorâmicos atravessam um roteiro de 35 pontos entre as duas cidades. Bicicletas e fartas caminhadas são outra boa pedida.

Legenda: De longe, o cheiro dos pães caseiros assados no forno chamam o turista. De preços acessíveis, recomendamos o pão de linguiça, feito na hora
Foto: Antonio Laudenir

O cearense Eleazar de Carvalho (1912-1996) é um nome querido da população. O busto do maestro situado próximo à Igreja Matriz São Pedro é uma das chaves para entender a força turística de Gramado. A homenagem ao iguatuense é uma forma de agradecer sua contribuição ao "Natal de Luz", um dos mais festejados e procurados eventos do Rio Grande do Sul. Uma frase atribuída ao ícone da música erudita está na placa de apresentação da estátua. Resume bem a importância de Eleazar àquele povo: "Iluminem a cidade que a música é comigo".

O calendário cultural programado para o ano todo alimenta a intensa cadeia produtiva. Além do "Natal de Luz", que funcionará de 24 de outubro a 12 de janeiro de 2020, a celebração da Páscoa e o Festival de Cultura e Gastronomia são outros chamarizes pontuais.

Legenda: Edição 2020 do Festival já tem data marcada: 14 a 22 de agosto
Foto: Antonio Laudenir

Nacionalmente, a relevância da cidade para a cultura é evidenciada pelo tradicional Festival de Cinema. Desde 1973, uma das mais prestigiadas premiações da sétima arte no Brasil leva artistas, diretores e produtores para o lugar. Além do tapete vermelho, no qual o público pode presenciar astros e estrelas, o mês de agosto oferta sessões de curtas e longas-metragens da mostra competitiva na cidade.

Acolhedores

Longas caminhadas ajudam na contemplação dos aspectos culturais de Gramado. Para melhorar o trânsito, a cidade utiliza rótulas (rotatórias) para agilizar o fluxo dos veículos. Pedestres são respeitados tanto por motoristas como pela organização das calçadas. O passeio ao ar livre é tranquilo e a curta distância entre os pontos turísticos favorece à imersão.

Próximo à Igreja Matriz consta a rua Madre Verônica, popularmente conhecida como "Rua Coberta". A via possui uma estrutura de telhados que protegem os pedestres seja de sol ou chuva. Não há tráfego de automóveis, lojas e restaurantes cercam o espaço e a rua sedia apresentações artísticas durante épocas festivas. Caso do citado tapete vermelho.

Legenda: Visitar as fábricas e lojas de chocolate é um deleite para os visitantes
Foto: Antonio Laudenir

A poucos metros dali consta o Palácio dos Festivais. Além de teatro e sala de exibição, o prédio abriga um museu que conta a história do Festival de Cinema, o qual completou 47 edições em 2019. É um passeio inspirador para compreender a realização e o carinho dos moradores pela arte. A tradição também está no paladar.

A Praça das Etnias fica ao lado da rodoviária. Ali, cerca de 148 colonos da Associação de Fornos de Gramado se revezam para utilizar os fornos cedidos pela Prefeitura. A preços módicos, podemos saborear cucas, pães, biscoitos e apfelstrudel. A Casa do Colono é um verdadeiro passeio pela culinária da região e permite o encontro de geleias, linguiças, queijos, doce de leite, mel, frutas e temperos. O artesanato também é destaque.

Legenda: Homenagem a Eleazar de Carvalho lembra a capacidade da cultura em gerar ofertas de trabalho
Foto: Antonio Laudenir

É farta a opção de restaurantes que ofertam fondue, café colonial, chocolates, doces e vinhos. O famoso galeto ao primo canto gaúcho é a pedida do Nonno Mio, casa com 37 anos de história. Cultura é economia e os trabalhadores de Gramado sabem bem disto.