Conheça o som do 'trapseiro', novo ritmo que West Reis consolida no Brasil

Cantor e compositor cearense é o responsável pelo estilo musical que une o trap com o piseiro, dois estilos musicais em alta e bem populares no Nordeste

Rimas e experimentação nos beats desde 2008
Legenda: Rimas e experimentação nos beats desde 2008
Foto: Luiz Mendes

O trapseiro pede passagem e batalha seu espaço no mercado. A mistura pode parecer inusitada, afinal, o ritmo une heranças do forró e do rap. West Reis é o nome reconhecido por cruzar estas fronteiras sonoras. Reconhecido pelo trabalho no trap, o cantor e compositor adicionou o corre do piseiro ao caldeirão de referências musicais. 

A estrada do trapper cearense tem sido luminosa ao longo de 2021. Uma composição sua e do pernambucano Luiz Lins é sucesso na voz do artista João Gomes. O single “Mete o Block Nele” foi lançado em julho com o "DVD Ao Vivo em Fortaleza". A música ultrapassou 49 milhões de visualizações no YouTube. 

O destaque nacional como compositor evidencia o esforço de um jovem nascido e criado no São João do Tauape. O trapseiro de West Reis ganhou força com o recente lançamento dos singles "Aquele Chá" e "Cobertor". É como se o músico chegasse ao ponto ideal da alquimia sonora que criou.  "Acho que para mim não existe significado maior que a dedicação", faz questão de enfatizar.

O último ano reservou uma audiência com números favoráveis. Só na plataforma Spotify, coleciona mais de 1 milhão de streams. São mais de 86 mil ouvintes espalhados por 62 países. Com 23 singles lançados na carreira, West assinou também os EPs  “Selva” (2020) e “Isso que é foda” (2020).  Este último conta com a participação de um nome de peso, o cantor Aldair Playboy.

Influências musicais

Os EPs foram gravados durante a pandemia. O isolamento social, necessário a frear a transmissão do vírus, aflorou a criatividade e a buscou por novas fontes de inspiração. Os trabalhos carregam uma sonoridade única capaz de atravessar trap e o brega. "O trapseiro surgiu depois de um estudo. Pesquisei e não ouvi algo parecido com o que eu queria entregar, então eu mesmo produzi. Aproveitei o momento e a oportunidade que João me deu no mercado", detalha. 

West Reis e a busca atenta por imprimir um novo estilo musical
Legenda: West Reis e a busca atenta por imprimir um novo estilo musical
Foto: Luiz Mendes

West Reis sempre ouviu muito forró, rap e música popular brasileira em casa. As primeiras vivências músicas foram com a percussão. É aqui onde o jovem se interessa pela produção de funk e trap. Pelas contas, 2008 marca o início da jornada no ramo artístico. Contudo, o primeiro lançamento só viria em 2017. A música “Empreendedor” fala sobre acreditar no próprio potencial e da batalha de ser artista.

Sobre o começo dessa profissionalização, West é direto. “Foi bem complicado. Iniciou como todo artista independente que passa suas dificuldades. Me esforcei e fui ganhando conhecimentos em produção musical. Passei a me produzir e isso foi uma das coisas que deu o pé inicial, a mudança da minha vida”, compartilha.  

Trapseiro forte

A série de oportunidades com artistas de outras cidades nordestinas o fez apostar nas próprias produções. Outro aspecto é determinante. O intercâmbio com nomes do forró e piseiro é algo enriquecedor, avalia West. “A parceria com essa galera tem sido muito forte. De artistas a compositores, abriram-se bastantes portas e que acabaram ajudando o mercado desde o trap até o forro”, especifica.  

Influências musicais da família estão no radar do músico
Legenda: Influências musicais escutadas em casa estão no radar do músico
Foto: Luiz Mendes

Entre sertão e a cidade, do eletrônico à sanfona, o trapseiro evidencia a mescla de ritmos da recente cena musical nordestina. “Pela convivência que tive, via bastante artistas ouvindo trap e até mesmo querendo reproduzir. Quis fazer essa junção do piseiro com trap com a minha estética de trapseiro”, compartilha West.   
 
Os próximos planos são de continuar gravando e elevando a estrada percorrida pelo trapseiro. Nada de tempo a perder e West diz que também trabalha o próximo EP voltado ao trap. 2022 vem bastante recheado, conta o cearense. A ideia é expandir nacionalmente o nome e os artistas da cidade. 

“A cena de Fortaleza cresce cada vez mais. Com talentos esforçados dedicados e com um projeto de carreira. Vejo novos artistas ganhando espaço como eu. Sinto que fortaleza é o real berço do trap!”, finaliza West Reis.  

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados