Entenda o que é o 5G e as principais vantagens da tecnologia

Tecnologia de conexão móvel deve ser implantada a partir de 2022

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Tecnologia vai possibilitar ampliação da Internet das Coisas
Foto: Shutterstock

Já conhecida mundo afora, o 5G, nova tecnologia de conexão móvel, deve estar disponível ao Brasil em 2022. Nesta quinta-feira (4), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realiza o leilão de quatro de faixas de frequência.

A Winity II Telecom Ltda venceu a disputa pelo primeiro lote do leilão do 5G. Com o arremate, o Brasil terá uma nova operadora de telefonia móvel autorizada para oferecer o serviço em todo o País.

Apesar da difusão, o funcionamento e as vantagens ainda não são tão conhecidas pelos usuários. Tire suas principais dúvidas acerca da tecnologia que deve revolucionar a internet, de acordo com informações da Anatel: 

O que é o 5G?

O 5G é a nova geração de sistemas celulares e arquitetura de rede que fornecerá conectividade de banda larga, ultra robusta, com baixa latência, e massiva para pessoas e coisas. Trata-se de uma infraestrutura que possibilitará a criação de novos serviços e casos de uso, muitos deles ainda desconhecidos.

A integração de diferentes componentes de diferentes tecnologias levará as redes 5G além da arquitetura de banda larga móvel de melhor esforço, na direção de comunicações bem mais confiáveis e de ultraconectividade.

Já se vislumbram tendências, não somente da indústria de telecomunicações, mas também nas indústrias automobilística, agropecuária, de saúde e bem estar, manufatureira e logística no sentido da elevada digitalização, viabilizando os conceitos de indústria 4.0 e agro 4.0.

Quais as características do 5G?

Para que uma rede possa ser considerada 5G, a tecnologia deve atender os seguintes requisitos, conforme recomendação da União Internacional de Telecomunicações (UIT - Rec ITU-R M.2083-0):

  • Velocidade máxima de 20 Gbit/s (Estação Rádio Base – ERB), em aplicações eMBB;
  • Velocidade típica do usuário 100 Mbit/s, em aplicações eMBB;
  • Eficiência espectral três vezes melhor, em aplicações eMBB;
  • Densidade de tráfego de 10 Mbit/s/m2, em aplicações eMBB;
  • Mobilidade de até 500 km/h;
  • Latência de 1 ms, em aplicações URLLC;
  • Conexão de 1 milhão de dispositivos por km2, em aplicações mMTC;
  • Eficiência energética 100 vezes melhor, em aplicações mMTC.

O que muda em relação ao 4G?

A próxima geração trará mudanças significativas em relação ao 4G. As melhorias técnicas são relevantes e os requisitos têm como objetivo atingir três patamares:

  1. Maior velocidade: em teoria, a rede 4G é capaz de atingir a velocidade de um gigabit por segundo (1 Gbps). No dia a dia, porém, não chegamos perto disso em nossos celulares. Com o 5G, a expectativa é atingir velocidade máxima, na ERB, vinte vezes maior em relação ao 4G, chegando a 20 Gbps.
  2. Menor latência: a meta é atingir uma latência - tempo necessário entre o estímulo e a resposta real da rede - de apenas 1 milissegundo com o 5G. A rede com tecnologia 4G apresenta, em média, latência de 50 milissegundos.
  3. Maior eficiência energética: a rede 5G terá nível de eficiência energética 90% mais alto que a 4G, o que viabilizará a internet das coisas, já que baterias de diversos tipos de dispositivos muitas vezes não podem ser substituídas ou recarregadas com frequência.

Quais aplicações do 5G?

Espera-se que aplicações comerciais e industriais críticas utilizem a infraestrutura 5G como suporte para seus negócios.

A indústria de saúde e bem estar poderá praticar cirurgias remotas. Sensores no corpo humano poderão, constantemente,  monitorar e transmitir suas informações, por meio de uma rede confiável com baixa latência.

Redes 5G possibilitarão a evolução da infraestrutura de transporte em áreas como carros autônomos e vias inteligentes. Aplicações de realidade virtual e realidade aumentada serão possíveis. 

No mesmo sentido, os setores de agricultura, finanças, comércio, educação e turismo também poderão se beneficiar de uma rede de comunicação que permite a evolução e a criação de diversos serviços digitais.

Celulares compatíveis com 2G, 3G e 4G vão deixar de funcionar?

Não, os telefones celulares com tecnologia 4G, 3G e 2G continuarão a funcionar, como sempre foi o caso em todas as evoluções tecnológicas das redes celulares. No início da implantação do sistema 5G, não há expectativa de descontinuidade das tecnologias anteriores em curto prazo.

O 5G agregará novas faixas de frequência à telefonia celular, sem contudo alterar as faixas já disponibilizadas para o uso do serviço.