Entregas mais rápidas e redução de engarrafamentos: veja como o 5G pode impactar a vida das pessoas

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) leiloou lotes de quatro faixas de frequência da tecnologia nesta quinta-feira (4)

Escrito por Lívia Carvalho, livia.carvalho@svm.com.br

Negócios
Legenda: Tecnologia vai promover conexão móvel mais veloz e estável
Foto: Shutterstock

Com a implantação do 5G no Brasil, os consumidores e usuários podem esperar maior agilidade nas entregas de encomendas e até redução de engarrafamentos nas grandes cidades.

Promovendo velocidade de conexão 20 vezes maior que o da 4G, faixas de frequência da tecnologia estão sendo leiloadas nesta quinta-feira (4) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 

De acordo com Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco, com esta conexão móvel, novas aplicações que hoje o 4G não suporta devem surgir, a exemplo de realidade aumentada e virtual, além de proporcionar uma melhor experiência e mais ágil no uso do smartphone.  

“Essa tecnologia é uma plataforma de suporte para a Internet das Coisas, permitindo que cada setor se beneficie de certa forma. Isso pode ser usado na automação de portos, em minas, nas cidades inteligentes, no agronegócio, cada segmento pode se beneficiar”. 
Eduardo Tude
presidente da consultoria Teleco

A Internet das Coisas é um conceito referente à conexão de diversos objetos pela rede, a exemplo de smartphones com smartwatches.  

Apesar disso, o especialista aponta que a implantação não deve ser “do dia para a noite”, uma vez que a maioria dos aparelhos celulares não tem suporte para receber a tecnologia.

“Não vai ser ligar o botão e acontecer, pois vai ter de ser colocado, o espectro ainda não é possível ser utilizado, durante muitos anos ainda vamos ter uma convivência do 4G com o 5G". 

Cirurgias a distância

O presidente da Comissão de Direito da Tecnologia da Informação da OAB-CE, André Peixoto, acrescenta também que uma menor infraestrutura será suficiente para a utilização do 5G, já que a conexão é por antenas

"Vai permitir que vários dispositivos estejam conectados na rede, algo muito superior a internet que temos hoje, podemos ir além. Não é só mais a televisão e os computadores, vão ser robôs, controle de iluminação, entre outros aparelhos". 

Por isso, o advogado destaca que novos usos para a internet vão surgir, especialmente de atividades realizadas offline, como cirurgias a distância, novos recursos para o ensino digital, serviços de entrega por drone atualizados em tempo real. 

"Vamos viabilizar e acelerar a tecnologia de veículos autonômos. O robô que vai estar nele tem que ser independente, vai fazer atualização de mapas, softwares instantaneamente".  
André Peixoto
presidente da Comissão de Direito da Tecnologia da Informação da OAB-CE

Com esse impacto nas profissões, Peixoto pondera o debate jurídico que deve surgir, já que as máquinas são operadas pelos homens. "Caso haja um erro numa cirurgia a distância, por exemplo, quem deve ser responsabilizado?". 

Melhor acompanhamento de rotas  

Além de uma provável redução de congestionamentos com atualização em tempo real da situação do tráfego, o setor de logística deve ser um dos maiores beneficiados com o acompanhamento mais ágil e mais estável de rotas, por exemplo, é o que explica o analista da Frota Aduaneira, Rômulo Holanda.  

“A gente pode ter um planejamento melhor. O acompanhamento das rotas já é feito pelo 4G, mas com o 5G vamos ter menos interferência. Além disso, vamos ter um controle maior do estoque do armazém, reduzindo a instabilidade”. 
Rômulo Holanda
analista da Frota Aduaneira

Conforme o analista, isso deve ainda reduzir o tempo de entrega das empresas, bem como uma interação melhor entre o setor e os clientes.  

“Teremos mudanças pontuais para aquelas empresas que já estão um pouco mais avançadas, mas para as que estão buscando atendimento diferenciado, minha expectativa é de uma melhora no relacionamento entre empresa e cliente, vejo com bons olhos”, destaca Holanda. 

Vencedores do leilão 

A Winity II Telecom Ltda venceu a disputa pelo primeiro lote do leilão do 5G. Com o arremate, o Brasil terá uma nova operadora de telefonia móvel autorizada para oferecer o serviço em todo o País. 

Ligada ao Fundo Pátria, a empresa é uma das 15 a disputarem o certame promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O lote, que permite oferta de telefonia móvel na faixa de 700 Mhz, teve lance de apenas três empresas.

No certame, serão leiloadas quatro faixas de frequência — 700 MHz; 2,3 GHz; 3,5 GHz; e 26 GHz — a operadoras de telefonia fixa. O Governo Federal prevê que o 5G comece a ser ofertado a partir de julho de 2022, inicialmente nas capitais.

A cearense Brisanet, maior provedora de telecomunicações da região nordestina, arrematou os lotes C-4 e E-$, respectivamente nas faixas de 3,5 GHz, nas Regiões Nordeste e Centro-Oeste, e de 2,3 Ghz, também na Região Nordeste.