Ceará assina protocolos com mais quatro empresas para investir em produção de hidrogênio verde

Estado já soma dez projetos com companhias do setor para investir em hub de combustível verde no Pecém

Camilo Santana assinando protocolo de intenção para projetos de hidrogênio verde no ceará durante live no palácio da abolição
Legenda: Governador assinou memorandos durante live nesta quarta-feira (13)
Foto: Divulgação/Governo do Ceará

O governador Camilo Santana assinou nesta quarta-feira (13) quatro memorandos de entendimento para a implantação de projetos de Hidrogênio Verde (H2V) no Ceará. Com isso, o Estado já soma dez protocolos de intenção para investimentos na área. 

As quatro novas empresas que deverão se instalar no HUB de Hidrogênio Verde do Pecém são a Eneva, a Diferencial Energia, Hytron e a H2helium Energia. 

Assinaturas foram feitas durante live do chefe do Executivo Estadual nas redes sociais no fim desta tarde. Para Camilo, o momento representa avanço para "concretizar esse sonho de transformar o Ceará em um grande hub de hidrogênio verde".

Estiveram presentes representantes das companhias e também Ricardo Cavalcante, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e Cândido Albuquerque, reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), que firmaram parceria técnica com o Estado no desenvolvimento das políticas de H2V.

Ainda assinaram os memorandos time de titulares de pastas estaduais como Maia Júnior, secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Artur Bruno, secretário do Meio Ambiente, Inácio Arruda, secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Lúcio Gomes, secretário da Infraestrutura, Francisco Teixeira secretário dos Recursos Hídricos

Danilo Serpa, representante da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará do Complexo do Pecém também participou da live e assinou os protocolos.

Combustível do futuro 

Classificado como "combustível do futuro" pelo governador Camilo Santana, o H2V é obtido por meio da hidrólise da água do mar, retirando hidrogênio dela e transformando em combustível. 

A ideia é que o H2V, um produtor mais limpo, substitua no futuro os combustíveis que emitem muitos poluentes. "Temos uma oportunidade de dar uma grande contribuição ambiental para o planeta", definiu Camilo. 

Durante a live desta quarta, o governador ressaltou ainda que representantes da Sedet estiveram na Espanha para conhecer a experiência com o hidrogênio verde na Europa. 

Camilo deve viajar à Europa 

Conforme o colunista do Diário do Nordeste, Egídio Serpa, informou, Camilo Santana deve viajar para a Europa ainda em outubro, ou no início de novembro, para celebrar novos protocolos de intenção de projetos de H2V com três grupos internacionais. 

No dia 23 de junho passado, o colunista anunciou, com base em informações do secretário Maia Júnior, que “a Petrobrás da Europa” manifestara interesse de investir no Ceará.
 
A British Petroleum, maior empresa de óleo e gás do Reino Unido e uma das maiores do continente europeu, famosa por sua sigla BP, seria essa empresa, mas o secretário, impedido por cláusula de confidencialidade, não confirmou em junho e nem o confirma agora.
 
De acordo com o que apurou esta coluna, a BP estaria disposta a investir não somente no H2V, mas também em projetos de gás natural (o Porto do Pecém tem um píer exclusivo para isso).

HIDROGÊNIO VERDE NO CEARÁ 

Neste ano, o Governo do Estado fechou acordos importantes outras quatro empresas, que somadas poderão investir mais de US$ 17,35 bilhões (R$ 91,25 bilhões). 

Com cronogramas diferentes, as empresas envolvidas ainda estão na fase de realização de estudos para equacionar o tamanho das plantas, analisar questões de viabilidade econômica e ambiental, além de seguir na busca por fornecedores de energia. 

O QUE SE SABE SOBRE AS USINAS? 

FORTESCUE METAL GROUP 

A empresa australiana foi a última a firmar o memorando de entendimento com o Estado e tem planos para iniciar as operações o mais rápido possível, mas não previsão consolidada ainda.

  • Potência: 2 gigawatts
  • Potencial de empregos: 3.300 
  • Investimento: US$ 5 bilhões
  • Previsão de operações: não informado

QAIR BRASIL

A empresa francesa fechou uma parceria com o Estado  para implantar a usina que receberá o nome de Projeto Liberdade. O equipamento deverá ser construído em 4 fases e tem previsão para início de operações até o fim de 2023.

  • Potência: 2.240 gigawatts 
  • Produção anual: 296 mil toneladas
  • Potencial de empregos: 2.000 (fase construção) / 600 (fase de operação)
  • Investimento: US$ 6,95 bilhões (US$ 3,9 bilhões para usina de hidrogênio / US$ 3 bilhões para planta de energia eólica offshore)
  • Previsão de início da operação: 2023

WHITE MARTINS 

A empresa que faz parte de um grupo multinacional comandado pela irlandesa Linde, fechou um acordo de intenção para investimento em uma usina de hidrogênio, mas ainda não há detalhes sobre o projeto. 

ENEGIX ENERGY 

A empresa australiana vinha negociando desde o começo do ano passado com o Estado para fechar um possível investimento de US$ 5,4 bilhões para ter o projeto Base One. 

Em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste, o CEO da operação enalteceu o potencial energético do Ceará.

  • Potência: 3,4 gigawatts 
  • Potencial de empregos: não informado
  • Investimento: US$ 5,4 bilhões 
  • Previsão de início de operação: 2022
Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios