Hidrogênio verde: Como se preparar para conseguir um emprego na área

Acordos fechados pelo Governo do Estado com empresas da área de hidrogênio verde devem trazer pelo menos 5 mil novos empregos para o Ceará

aperto de mãos entre duas pessoas
Legenda: O profissional que busca um emprego na área de hidrogênio verde deve buscar capacitação
Foto: Pexels

O segmento de hidrogênio verde vem crescendo no Ceará, que pretende se colocar como um dos maiores produtores de energia limpa no Brasil. O Governo do Estado já fechou memorando de entendimento com quatro empresas do setor, que devem trazer pelo menos 5 mil novos empregos para o Estado. 

Como o mercado ainda está se formando, as empresas não devem esperar profissionais completos e com experiência na área no currículo, mas a vontade de aprender deve ser obrigatória, diz a diretora de operações da consultoria LHH no Nordeste, Mariângela Schoenacker.  

Início de desenvolvimento 

O consultor de energia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará, Jurandir Picanço, ressalta que a geração de empregos inicial no Ceará será para segmentos além do desenvolvimento tecnológico. 

Segundo ele, terá mais destaque no mercado neste primeiro momento sobretudo quem já trabalha com energias renováveis. Isso porque será necessária muita energia limpa para a produção do hidrogênio verde. 

“Agora para o funcionamento é preciso a produção de energia em uma quantidade de usinas muito maior, só para atender as grandes demandas. Essa expectativa de empregos é muito favorável, porque a atividade de geração de energia renovável tem uma larga empregabilidade, principalmente na implantação dos projetos”, destaca. 

Ele afirma que outras oportunidades serão abertas para além dos profissionais especializados da engenharia. Devem ser disponibilizadas vagas para:

  • Logística
  • Armazenamento
  • Distribuição
  • Administração e outras áreas necessárias para o funcionamento das usinas.  

Para Picanço, ainda há tempo de ir atrás de capacitação com calma para poder entrar no mercado conhecendo-o. 

Capacitação 

Legenda: Hub deve colocar o Estado como referência na produção de energias renováveis
Foto: Shutterstock

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), a Universidade Federal do Ceará (UFC) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) já estão se preparando para a demanda de capacitação desses novos profissionais. 

Quem quiser trabalhar nesse setor novo deve buscar aprender mais sobre o assunto em cursos formais e leituras.  

A especialista técnica em Energias Renováveis no Senai, Isabela Taveira, conta que o instituto já possui alguns cursos que podem ser importantes para a área em portfólio, mas novas formações devem ser acrescentadas. 

Temos curso de dimensionamento de sistemas fotovoltaicos, temos cursos que ensinam sobre funcionamento de aerogerador. A gente tem um portfólio muito amplo, já tivemos essa experiência com essa capacitação. Nesse hub do hidrogênio a gente vai precisar de outros cursos
Isabela Taveira
Especialista técnica em Energias Renováveis no Senai

Para além das energias renováveis, os profissionais podem trabalhar em áreas como eletrotécnica, técnico em meio ambiente, técnico em química.  

Isabela reitera que, para além da capacitação, é importante que o profissional se mantenha sempre atualizado, pois, como o hidrogênio verde é uma área em desenvolvimento, sempre existem novidades. 

Na hora da seleção 

A diretora de operações da consultoria LHH no Nordeste, Mariângela Schoenacker, destaca que o candidato a vagas na área de hidrogênio verde deve, antes da entrevista, pesquisar para conhecer a empresa e o setor como um todo. 

Ela também chama atenção para a importância do networking na área nova. A especialista indica que o candidato busque seguir e fazer conexões no LinkedIn de pessoas que já trabalham na área, tanto para obter conhecimento como oportunidades de emprego. 

“Na entrevista, preciso me preparar para responder sobre mim, sobre o que eu fiz nas empresas que trabalhei e como eu posso contribuir para aquele setor. Mesmo sendo um setor novo que eu nunca atuei, o que das minhas experiências anteriores pode ajudar”, recomenda.  

Isabela complementa que o segundo idioma pode ser um diferencial na hora da seleção. “Estamos falando de empresas de capital estrangeiro, inglês pode ser um diferencial na hora da contratação. Como estamos falando de contratação de 2023 para 2025, dá tempo”, incentiva. 

Dicas gerais 

  • Procure cursos de capacitação na área 

  • Mantenha-se atualizado sobre o assunto 

  • Conheça as empresas que irão disponibilizar as vagas

  • Aposte no networking para construir contatos que podem levar a novas oportunidades

  • Aprenda ou aperfeiçoe o inglês

  • Na hora da entrevista, tente destacar como experiências anteriores podem contribuir no desenvolvimento da área e se coloque disposto a aprender

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios