Estado assina acordo para investimento de US$ 7 bi em mais uma usina de hidrogênio verde no Ceará

Memorando com a Qair Brasil prevê investimento de quase US$ 7 bilhões; 2 mil empregos devem ser gerados na construção do projeto

Legenda: Hub deve colocar o Estado como referência na produção de energias renováveis
Foto: Shutterstock

O governador Camilo Santana (PT) anunciou nesta terça-feira (6) a realização de um acordo com a multinacional Qair Brasil para o desenvolvimento de uma planta de produção de hidrogênio verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). O investimento previsto é de US$ 6,95 bilhões. 

Com a tecnologia, o objetivo é a produção de energia elétrica pelo Complexo Eólico Marítimo Dragão do Mar e um parque de energia eólica offshore (dentro do mar). 

O projeto deve gerar 2 mil empregos durante a construção das plantas, segundo projeção da multinacional informada pelo governador, além de 600 vagas diretas durante a operação.

 “Estamos falando aqui do combustível do futuro. Com a hidrólise da água somada com a energia solar, teremos o hidrogênio verde, uma energia limpa a ser exportada para a Europa e outros países do mundo inteiro. E que deve substituir os combustíveis fósseis no futuro". 
Camilo Santana
governador do Ceará

Estímulo à energia renovável

De acordo com Camilo, o investimento vai permitir descentralizar e estimular a produção de energia renovável por todo o interior do Ceará. 

“É mais um passo na continuação dos investimentos e da estratégia de desenvolvimento da Qair no Brasil, e no Ceará, onde fica nossa sede no Brasil, e vamos continuar aqui e concretizar todos esses investimentos”, afirmou Armando Abreu, presidente da Qair Brasil. 

Para Ricardo Cavalcante, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), o projeto é uma mudança de paradigma para o Estado. "Precisamos acreditar e reconhecer que o Ceará está dando exemplo para o mundo, não só em descarbonizar a emissão de energia que existe, como diminuir a emissão de gás carbônico na camada de ozônio”.

Legenda: Governador assinou memorando nesta terça (6)
Foto: Divulgação

O reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cândido Albuquerque, apontou que o Estado deve se tornar uma referência no setor. “Estamos hoje aqui fazendo um contributo, dando uma contribuição de energia limpa para todas as gerações do mundo”, disse.

Estiveram presentes ainda no ato da assinatura do Memorando de Entendimento a vice-governadora Izolda Cela e outros representantes do Governo. 

Hub de hidrogênio verde

Com o investimento, a multinacional deve implantar um parque de geração de energia eólica offshore com capacidade instalada de 1.216 GW, a ser localizado na plataforma continental da costa de Acaraú-Ceará.

Além disso, o Complexo Industrial e Portuário do Pecém receberá uma planta de elétrolise com capacidade de 2.240 GW, para produção de Hidrogênio Verde de aproximadamente 296 mil ton./ano.

O projeto estima produzir, armazenar, transportar e comercializar a tecnologia a partir de 2023 e pode transformar o Estado em um grande exportador mundial do hidrogênio verde. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios