Hub de hidrogênio verde: governo negocia implantação de mais uma usina no Pecém

Com investimento da ordem de US$ 5 bilhões, planta deve abastecer a australiana Fortescue Metals Group, do ramo de mineração. A expectativa do governo é que um memorando de entendimento seja assinado até o fim de junho

Legenda: Comitiva de empresários australianos visita amanhã Complexo do Pecém
Foto: Carlos Marlon

A empresa australiana Fortescue Metals Group, do ramo de mineração, negocia com o Governo do Estado a implantação de mais uma usina de hidrogênio verde no Complexo do Pecém.

O investimento, da ordem de US$ 5 bilhões, pode ser o terceiro protocolo de entendimento fechado pelo Estado com empresas no âmbito do desenvolvimento do hub de hidrogênio verde.

Embora a empresa seja do ramo de mineração, o projeto visa, inicialmente, construir uma usina de hidrogênio verde para consumo próprio do grupo, que tem como meta neutralizar as próprias emissões de carbono.

 As informações são do secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior, que prevê que o acordo seja fechado até o fim de junho.

"Tem uma proposta de uma planta relativamente grande, que consome cerca de 2GW de energia. Tem investimento nas duas pontas, na planta de hidrogênio e na geração de energia", aponta o secretário.

Os próximos passos, segundo Maia, é um detalhamento das necessidades da empresa para firmar o memorando e construir a planta, que é esperado para o início da semana que vem. 

"Gostei muito da agilidade deles, veio uma comitiva grande, de sete pessoas, e agora estamos mostrando as possibilidades de apoio para poderem tomar essa decisão que seria o terceiro memorando", aponta,
Maia Júnior
Secretário de Des. Econômico e Trabalho do Estado

Maia e o governador Camilo Santana se reuniram na noite desta quarta-feira (19) com uma comitiva de representantes da empresa para discutir detalhes da proposta. Amanhã, o grupo irá visitar as instalações do Complexo do Pecém.

Protocolos de entendimento

O primeiro memorando de entendimentos foi assinado pela empresa australiana Enegix, chamada de Base 1, de onde sairá investimento de US$ 5,4 bilhões. Em abril, a White Martins foi a segunda empresa a assinar um memorando para participar do hub de hidrogênio verde.

O projeto, que pode transformar o Estado em um grande exportador mundial do hidrogênio verde, é uma das principais apostas do executivo estadual para impulsionar a economia cearense nos próximos anos. Potenciais e experientes investidores estrangeiros têm demonstrado bastante interesse em participar da iniciativa.

O que é o hidrogênio verde? 

Hidrogênio verde é o hidrogênio obtido a partir de fontes renováveis, sem a emissão de carbono. Diferentemente dos combustíveis fósseis, o aproveitamento energético do hidrogênio raramente se dá por sua combustão, e sim por meio de uma transformação eletroquímica, realizada em células conhecidas como "células a combustível". 

O oxigênio presente na atmosfera se combina com o hidrogênio, produzindo energia elétrica e água. Assim, a geração de energia por meio de células a combustível em si não causa danos ao meio ambiente. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios