Primeira usina de hidrogênio verde do País deve operar a partir de dezembro de 2022 no Ceará

Instalada no Ceará pela empresa EDP Brasil, a usina será a primeira do Brasil com a tecnologia

Legenda: Hub deve colocar o Estado como referência na produção de energias renováveis
Foto: Shutterstock

O governador Camilo Santana anunciou na tarde desta quarta-feira (1º) a implantação do projeto piloto do que deve ser a primeira usina de hidrogênio verde do Ceará e do Brasil. O investimento é da empresa EDP Brasil, que hoje opera a termelétrica do Pecém. 

A perspectiva é que a usina, que terá capacidade de produção de 3MW, comece a operar a partir de dezembro de 2022. O investimento para a instalação do empreendimento é de R$ 42 milhões. 

A produção da usina será voltada para o abastecimento energético da usina do Pecém. 

Ceará casa do hidrogênio verde

O CEO da EDP Brasil, João Marques, defende que o Ceará pode se tornar a casa do hidrogênio verde no Brasil. O estado tem condições geográficas favoráveis para a produção da fonte de energia, além de abundância em energias renováveis.

"Nós estamos muito felizes em fazer esse investimento de pesquisa e desenvolvimento, vai capacitar centenas de pessoas que trabalham conosco", disse.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico do Ceará, Maia Júnior, além da contribuição real na produção do combustível, a iniciativa é benéfica por fomentar o desenvolvimento de conhecimento sobre a área ainda nova, permitindo a formação de cearenses e a geração de emprego.

"Esse é mais um largo passo que a gente dá para tornar o Ceará um dos maiores produtores do mundo de hidrogênio verde", considera.

O estado já fechou memorando de entendimento com três empresas internacionais, a Enegix e a Fortescue, da Austrália e a Qair, da França. Só a Enegix trará um investimento de US$ 5,4 bilhões e a Qair, de US$ 6,95 bilhões.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios