Vacina e doação de alimentos para famílias vulneráveis caminham juntas no Interior

Números parciais indicam arrecadação de mais de 25 toneladas em 115 cidades que aderiram à Campanha de Vacinação Solidária

“Estava precisando muito e chegou na hora certa porque não tinha quase nada em casa para dar de comer a meus três filhos”, relatou Naisolôngia Borges de Oliveira ao receber a doação de alimentos por uma assistente social em Várzea Alegre
Legenda: “Estava precisando muito e chegou na hora certa porque não tinha quase nada em casa para dar de comer a meus três filhos”, relatou Naisolôngia Borges de Oliveira ao receber a doação de alimentos por uma assistente social em Várzea Alegre
Foto: Fábio de Oliveira/Divulgação

Quando a assistente social, Laura Raquel Leandro, na manhã desta segunda-feira (21), bateu à porta da dona de casa Naisolôngia Borges de Oliveira, moradora da Vila Zé Teté, na cidade de Várzea Alegre, não imaginava que era a entrega de uma cesta de alimentos, oriunda da Campanha Vacinação Solidária. Emocionada, desabafou: “Estava precisando muito e chegou na hora certa porque não tinha quase nada em casa para dar de comer a meus três filhos”.

A dona de casa é uma das 2.500 famílias beneficiadas em 115 cidades cearenses, até agora, com a ação solidária cujo objetivo é arrecadar alimentos não perecíveis levados pelas pessoas que vão se vacinar contra a Covid-19 para serem doados a famílias em situação de vulnerabilidade social.

Solidariedade

A comerciária Maria de Fátima Bezerra recebeu a primeira dose de vacina contra a Covid-19 na cidade de Várzea Alegre e foi uma das que participaram da campanha. Ela levou um pacote de massa de milho e um quilo de arroz. “Estava esperando muito por esse momento e estou feliz por ter me vacinado e por doar alimentos para quem precisa”, disse. “Nessa pandemia tem muita gente passando necessidades, quase sem ter o que comer”.

Os gêneros alimentícios são entregues nos pontos de vacinação e recolhidos ao final do dia, quando são levados para uma sala, onde são feitas as cestas básicas.

De acordo com a coordenação estadual da campanha, até esta segunda, foram arrecadadas 25 toneladas de alimentos, em um pouco mais de um mês de início da campanha.

O balanço mais recente aponta que a cidade de Jaguaribe lidera o ranking estadual de doação de alimentos com 3.560 kg arrecadados. Em seguida vem Milagres (3.047 kg) e Várzea Alegre (1.987 kg).

Adesão

O coordenador da campanha em Jaguaribe, Levi Pinheiro, divulgou números mais atualizados e frisou que a campanha local já recolheu cerca de 5 toneladas. “A adesão está boa porque estamos incentivando muito, reforçando a campanha”, explicou.

Na pequena cidade de Piquet Carneiro a população também está unida e participa ativamente da campanha. “Quem vem se vacinar traz sim um quilo de alimento”, disse a coordenadora da ação social, Valdelice do Vale. “A resposta que estamos tendo é positiva”. Até o fim deste mês, o município espera ter arrecadado e distribuído cerca de quatro mil quilos de alimento.  

As doações são espontâneas e incluem arroz, feijão, macarrão, leite em pó, açúcar, bolacha, óleo comestível, massa de milho.

A iniciativa é do governo do Estado em parceria a Associação dos Municípios do Ceará (Aprece), Sistema Fecomércio/Sesc (Programa Mesa Brasil) e Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE).

O prefeito de Várzea Alegre e vice-presidente da Aprece, Zé Hélder Máximo, destacou a ampla participação das gestões municipais à campanha solidária. “Já temos 82% das cidades engajadas na ação e acreditamos que esse número pode crescer com mais divulgação”, pontuou. “Somos solidários e juntos podemos aliar proteção contra a Covid-19 e ajuda às famílias de baixa renda”.

A campanha deve ganhar um reforço a partir da adesão de Fortaleza e, assim, “a quantidade de produtos doados deve aumentar e chegar a mais famílias cearenses”, pontuou a titular da pasta da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), Socorro França.

Além de doações voluntárias individuais, há participação de instituições e de empresas privadas. A Cagece, por exemplo, doou cerca de três toneladas de alimentos, em uma ação interna com seus colaboradores. Na cidade de Piquet Carneiro, a empresa responsável pela coleta do lixo entregou 37 cestas.

“A participação de cada um é importante para ajudar nesse momento de dificuldades em que milhares de famílias sofrem com a falta de alimento em casa”, observou o coordenador regional do Sesc, responsável pela ação solidária Mesa Brasil, Raimundo de Carvalho Neto. “Estamos satisfeitos com a adesão das pessoas”.

Como participar

Programa Mais Nutrição

(85) 99113.2246
(85) 99662.9158 (Mesa Brasil)
Pix: mesabrasil@sesc-ce.com.br
Site: vacinacaosolidaria.ceara.gov.br

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores