De pets a jacaré, bombeiro vive rotina de resgatar animais domésticos e silvestres no Ceará

O trabalho da Companhia de Busca e Salvamento envolve o resgate de cachorros, gatos, cobras, cavalos e até iguanas

bombeiro
Legenda: Danillo relata emoção ao deixar os animais em segurança novamente.
Foto: Divulgação/Gilsepe Moura

Danillo Cidreira, 35 anos, vive em meio a gatos, cachorros, jacarés, iguanas, pássaros, cobras e muitos outros bichos. Tenente do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), ele é membro da 1ª Companhia de Busca e Salvamento e divide sua rotina entre salvar a vida de pets criados em ambientes domésticos e também capturar animais silvestres que se aventuram em locais inusitados.

Pernambucano, Danilo está no Ceará há sete anos e lembrou, em entrevista ao Diário do Nordeste, que o ofício de salvar bichos está no seu dia a dia antes mesmo de mudar-se para o Estado, quando ainda atuava como oficial do exército na cidade de Recife. Lá, o bombeiro chegou, inclusive, a capturar um jacaré que estava no quartel.

É algo muito importante porque, no caso dos animais silvestres, eles estão em local que não é próprio pra eles. Então a gente faz a captura pra que eles realmente sejam colocados em um local onde nasceram pra estar, né?”
Danillo Cidreira
Tenente do Corpo de Bombeiros

Após a captura, os animais silvestres são entregues para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ou para algum parceiro credenciado do órgão que “possa receber esses animais e fazer a soltura de maneira correta”.

Ao rememorar suas experiências na capital cearense e na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), ele relembra o resgate de um gato, que ficou preso na parede da casa onde morava, depois de cair de uma tubulação de calha. “A gente só escutava o miado e tentava localizar”, recordou Danilo.

“O dono estava muito angustiado, ele permitiu que a gente quebrasse a parede e tentasse pegar o animal. Depois de fazer o primeiro furo, a gente percebeu que ele [gato] estava um pouco próximo e continuamos quebrando a parede bem devagarzinho, assim conseguimos tirar”.

resgate
Legenda: Resgate de uma vaca, após cair em cacimba, pela 1ª Companhia do 2º Batalhão de Bombeiros Militar em Maracanaú.
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros (CBMCE)

Ele lembra que, quando foi selecionado para o concurso público no Ceará, estudou e buscou tirar as melhores notas para escolher o quartel que atuasse nessa área de resgate. “É algo que faz eu me sentir cada vez mais útil, a gente vê a importância que cada animal tem para os seus donos, que os veem muitas vezes como filhos”.

O tenente esclarece que cada ocorrência é única, havendo a necessidade de adaptações a depender das circunstâncias do animal. “Quando se tem um certo risco ou quando o animal está agressivo, a gente tem uma tensão maior para aplicar a técnica da melhor forma”.

cachorro
Legenda: Equipe de bombeiros resgatam cadela presa em portão em Fortaleza.
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros (CBMCE)

“Em relação aos animais silvestres, eles têm um grau de risco maior, porque alguns são venenosos, agressivos. Então às vezes uma cobra tá mais arisca em cima da nossa cabeça num telhado, por exemplo, isso nos deixa com certo receio, mas temos também equipamentos diversos nas viaturas para nos ajudar”, continua.

Durante a sua formação no Corpo de Bombeiros, Cidreira recebeu dois anos de treinamentos, provas e testes antes de iniciar, de fato, a carreira nessa área. Além disso, o pernambucano explica que o CBMCE conta ainda com cursos específicos de aprimoramento em diversos tópicos para o salvamento de animais.

Dados no Ceará

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará, o Estado já conta - de janeiro a maio de 2021 - com 2.805 resgates realizados. Destes, 1.793 ocorreram na capital e na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e 1.012 no interior.

Já em 2020, houve um aumento de 33,12% no salvamento de animais na região - equivalente a 5.217 animais - em relação ao ano anterior, que teve 3.919 atendimentos. Neste cenário, 60% das ocorrências correspondem à Fortaleza e à RMF.

Como pedir ajuda

Central do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE)

Telefone: 193

Funcionamento: Todos os dias durante 24h/dia

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores