Confira seis livros para conhecer João do Rio

Um século após a morte do carioca, obra segue atual e inspira pesquisa de outros autores

O escritor, imortal da Academia Brasileira de Letras, João do Rio, em 1921, nas páginas da revista
Legenda: João do Rio escreveu peças de teatro, contos adultos e infantis, crônicas, reportagens, artigos, resenhas, romances, relatos de viagem etc
Foto: Domínio Público

Em uma breve descrição, o pesquisador cearense Gilmar de Carvalho escreveu que “João do Rio é a mais perfeita tradução deste híbrido de jornalismo e literatura e rompe com a ideia de missão ao se sentir descomprometido de fazer da palavra munição”. 

A ideia ajuda a explicar uma “obra lúdica”, mas com “cheiro de povo”,  que transitou entre as páginas de jornais e a Academia Brasileira de Letras, e segue servindo de inspiração para autores da atualidade. 

Neste 23 de junho, que marca o centenário de morte do escritor carioca, apresentamos livros fundamentais de sua autoria, mas também daqueles que dedicaram parte da vida a melhor compreender a trajetória do dândi.

1) A alma encantadora das ruas (1908)

capa a alma

Indicado por escritores como Luiz Antonio Simas e Xico Sá para adentrar a literatura do cronista carioca, este é, provavelmente, o livro mais conhecido e estudado do autor. A obra consiste em uma série de 37 crônicas e reportagens dedicadas às ruas da cidade do Rio de Janeiro e seus diferentes personagens.

Disponível em domínio público

2) As Religiões no Rio (1906)

capa religiões

Candomblé, Umbanda, Espiritismo, Judaísmo, Catolicismo, Protestantismo e outras crenças são visitadas na série de reportagens que logo ganhou o formato de livro pela Gazeta de Notícias. A obra, de caráter histórico e etnográfico, recebeu críticas de quem a considerou irônica e preconceituosa. Ainda assim, serviu de base para a maioria dos pesquisadores que escreveram sobre o tema tempos depois.

Disponível em domínio público

3) Dentro da Noite (1910)

capa dentro da noite

Considerado um clássico da literatura de terror em língua portuguesa, o livro traz contos macabros e relatos urbanos sensuais, sórdidos e fúnebres. Entre os personagens, figuram viciadas no jogo ou na sedução, sádicos, masoquistas e orgíacos. Elementos brasileiros e doses de humor garantem a originalidade da narrativa.

Disponível em domínio público

4) João do Rio - uma biografia, de João Carlos Rodrigues (1996)

capa biografia

Nesta biografia, a partir de determinado ponto, o autor do texto assume a voz do biografado, inclusive com uma narrativa post-mortem. Alguns dos personagens com os quais João do Rio conviveu, como Oswald de Andrade, Isadora Duncan, Antonio Torres, Humberto de Campos, Gilberto Amado e Viriato Correa também são apresentados na obra.

5) João do Rio - o dândi e a especulação, de Raúl Antelo (1989)

capa raúl

Conforme a apresentação de Silviano Santiago, Raúl Antelo analisa nesta obra a transformação do Rio de Janeiro durante a era dos impérios pelo seu viés de escombro, poeira e destruição. O autor encontra em João do Rio e em sua crônica os reflexos de uma cidade que usa a fachada moderna para atrair o capital estrangeiro. 

6) A crônica reporteira de João do Rio, de Ronaldo Salgado (2006)

capa crônica

Resultado da dissertação de mestrado do autor, este livro propõe o conceito de crônica reporteira, definida pela vinculação entre os gêneros crônica e reportagem, a partir da análise da produção de João do Rio na imprensa carioca do início do século XX.  A leitura de “A alma encantadora das ruas” foi determinante para esta pesquisa.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?