Cearense de nove anos cria perfil literário na web para “viajar” com os livros

Apesar do confinamento devido à pandemia, a pequena Taís Assis encontrou uma forma de “sair de casa” por meio da leitura e da imaginação

Imagem: Larisse Assis
Legenda: Com a viagem para a Europa adiada, a cearense embarcou em outras culturas por meio dos livros
Foto: Larisse Assis

Faltavam poucos dias para Taís fazer a viagem dos sonhos com a família quando a pandemia do novo coronavírus impôs o isolamento social. O roteiro de 15 dias para conhecer os países europeus França, Bélgica e Holanda estava todo preparado, mas os planos precisaram ser adiados, e a pequena cearense de 9 anos não escondeu a tristeza. Foi aí que ela e a mãe, a advogada Larisse Assis, lembraram de uma outra maneira de passear por novas culturas: embarcando na plataforma dos livros.

Taís ainda era bebê quando começou a ganhar as primeiras obras da avó Marta e da bisavó Ana Dulce, ambas professoras. O incentivo inicial também veio de Larisse e do pai Leonardo, que liam para ela com frequência, além de levarem-na para sessões de contação de histórias numa livraria de Fortaleza. “Os olhos sempre atentos e, com o passar dos anos, ela começou a contar as mesmas histórias para suas bonecas, reproduzindo fielmente nossas entonações, expressões faciais e, mesmo sem ler ainda, já enganava direitinho, pois contava como se lesse”, contextualiza a mãe.

Há aproximadamente um ano, pediram-lhe um texto com a pergunta “Como você pode mudar o mundo?”, e a leitura foi a resposta de Taís. “O livro é um avião, porque com ele a gente pode ir para o lugar que a gente quiser. Lendo para outras crianças, elas podem imaginar um mundo sem violência, sem pobreza, e é isso que fala a redação”, recorda a estudante. 

Imagem: Larisse Assis
Legenda: Para Taís, o livro é um avião que leva o passageiro para o lugar que ele quiser
Foto: Larisse Assis

Esse foi o pontapé para a criação de um Instagram, em agosto de 2019. O perfil na rede social era privado, somente para familiares e amigos que já sabiam da paixão da criança pela literatura. Mas, após a viagem adiada, sobrou tempo para investir em vídeos e postagens sobre o assunto.

“Fiz uma nova assinatura de livros, passei a pesquisar indicações e quando vi, já tínhamos muito conteúdo e não era justo guardar aquilo só para alguns. Se o sonho dela é ler para outras pessoas, estava ali a oportunidade”, explica Larisse. Nascia assim, no dia 15 de maio de 2020, o perfil no Instagram @passaporte.magico.

Imagem: Larisse Assis
Legenda: Desde bebê, Taís já demonstrava a paixão pela literatura. No registro acima, ela visita a Bienal do Livro de 2012, no Centro de Eventos, quando tinha 1 ano e 8 meses
Foto: Larisse Assis

Comunicação

Desde então, a rotina da família na quarentena se divide entre as aulas online de Taís, o trabalho remoto dos pais, os cuidados com a criança mais nova da casa - Leonardo Filho, que já tem 2 anos e adora ouvir as histórias contadas pela irmã -, além das tarefas domésticas. “É bastante puxado, mas bem prazeroso de fazer. Todas as ações do Instagram são definidas por nós duas, desde os livros que vamos gravar, os sorteios e lives a realizar. Ela já sugeriu vídeos, roupas e acessórios para usar nas gravações, enfim, sou apenas uma ferramenta para que ela possa desenvolver seu talento”, conta a mãe orgulhosa.

Taís Assis
Legenda: Taís grava os vídeos para o Instagram Passaporte Mágico com a ajuda da mãe, Larisse
Foto: Larisse Assis

Taís reconhece a ajuda dos familiares, especialmente de Larisse, que a ajuda a selecionar as obras, a escrever as resenhas, a gravar os vídeos e a administrar o Passaporte Mágico. Cita ainda a madrinha Marilia, responsável por fazer algumas artes postadas no perfil e por migrar os conteúdos de lá para um canal do YouTube em construção.

“Eu gosto muito da interação com as pessoas, de ver que elas viram o que eu fiz, e de fazer amigos, que também tem Igs literários”, comenta a garota.

Com leituras diárias, ela assume como preferidas as obras “O estranho caso do sono perdido”, de Míriam Leitão, e “O Diário de Anne Frank”. “Com Anne Frank eu aprendi sobre a época do Nazismo, que foi uma época muito triste na história do mundo, e também aprendi um pouco sobre a cultura holandesa e a cultura alemã”, ressalta. 

Taís Assis
Legenda: A cearense começou a contar as histórias para as bonecas. Agora, ela partilha suas leituras com outras pessoas por meio do Instagram
Foto: Larisse Assis

A jovem leitora cearense destaca ainda outros dois livros a partir dos quais ela conseguiu viajar para outros continentes. “Com Mandela, eu aprendi que teve um período na África em que só os brancos tinham direitos. Os negros tinham direitos muito reduzidos. E com Malala, eu aprendi que no Afeganistão tem algumas meninas que lutam pelo direito de poder estudar, que foi o que ela fez, porque os talibãs dominam aquela região e não permitem que as meninas estudem”, relata, ciente das diferenças sociais do planeta.

Família Taís
Legenda: O incentivo da família é fundamental para a menina. Acima, Taís posa com o pai, Leonardo César, o irmão mais novo, Leonardo César Filho, e a mãe, Larisse Assis
Foto: Arquivo pessoal

A mãe fica feliz de saber que os livros cumprem um papel tão importante na vida de Taís. “É lógico que ela também tem outros entretenimentos, adora uma banda chamada Now United, gosta de gravar Tik Tok, fala com as amigas por chamada de vídeo, mas tenho certeza de que sem os livros, esse período de isolamento teria sido bem mais desgastante”, acredita. Essa sentença é confirmada pela garota:

“Eu sinto muita falta dos meus amigos e os livros me ajudam muito a matar essa saudade, porque eles são como amigos pra gente”.

Por enquanto, Larisse não tem a intenção de profissionalizar a atividade da filha, pois reconhece que, com o retorno das atividades em breve, os momentos disponíveis para gravação serão mais escassos. “Mas, tenho certeza de que a sementinha foi plantada e que ela ainda irá viajar por lugares maravilhosos e tocar o coração de mais pessoas, com seu sorriso e jeitinho cativante. E eu estarei aqui, ajudando dentro das minhas possibilidades e torcendo para que ela voe cada vez mais alto”, aposta.

Confira outros perfis literários recomendados pela Taís:

@eu.to.lendokids
@lululeitora
@pequenomeninograndeleitor
@omundodagabih

@leiturinhamagica


Assuntos Relacionados