Ceará alcançou em junho a maior taxa de positividade em testes de Covid desde fevereiro

Um a cada 4 exames feitos no Estado neste mês deu positivo; em 15 dias, junho já tem mais novos casos confirmados do que maio inteiro

Escrito por Theyse Viana, theyse.viana@svm.com.br

Ceará
Homem realiza teste de Covid via swab nasal
Legenda: Testes rápidos e RT-PCR têm mostrado mais resultados positivos para a presença do coronavírus em cearenses
Foto: Tiziana Fabi/AFP

A escalada do coronavírus no Ceará tem voltado a aparecer em números: 1 a cada 4 testes de Covid feitos no Estado teve resultado positivo, neste mês, uma taxa de positividade de 25,3%. Em apenas 15 dias, junho já é o mês com mais novos casos desde fevereiro de 2022.

Até quarta-feira (15), foram realizados 12.911 exames para diagnóstico da doença no Estado, dos quais 3.266 deram positivo. Para se ter ideia, maio inteiro registrou quase 22 mil testes feitos, e menos de 1.900 positivos.

Os dados são do Integra SUS, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), coletados às 8h desta sexta-feira (17). O levantamento inclui testes rápidos e RT-PCR realizados nas redes pública e privada. Testes com resultados "inconclusivos" não foram considerados.

Com a queda de mortes e internações por Covid após a vacinação, a taxa de positividade é um dos principais indicadores para monitorar a pandemia no Ceará. O índice alcançou alarmantes 47% em janeiro, mês-pico da 3ª onda, e caiu para 36% em fevereiro.

Em março e abril, a taxa chegou ao menor nível do ano, quando apenas 5 a cada 100 testes diagnosticaram novos casos. Mas voltou a subir em maio e já atinge um patamar preocupante, na primeira quinzena de junho.

As 10 cidades com mais casos confirmados de Covid em junho são:

  1. Fortaleza – 1.296 casos
  2. Juazeiro do Norte – 121 casos
  3. Sobral – 118 casos
  4. Barbalha – 78 casos
  5. Santa Quitéria – 63 casos
  6. Eusébio – 61 casos
  7. Boa Viagem – 57 casos
  8. Crato – 52 casos
  9. Russas – 45 casos
  10. Quixeré – 40 casos

Outros 179 pacientes infectados não tiveram o município de residência informado, até a atualização do Integra SUS das 6h09 desta quinta-feira (16). Duas mortes por Covid foram registradas neste mês.

A auxiliar administrativa Gabriela Silva, 29, está entre os cearenses que testaram positivo para Covid em junho. Após amanhecer “com a garganta arranhando e o nariz meio entupido”, ela fez o teste rápido em uma farmácia de Fortaleza e confirmou a infecção.

Imaginei que tava só gripada, mas resolvi fazer o teste mesmo assim, já que precisava ir trabalhar e tinha medo de passar pro pessoal. Infelizmente, deu positivo e tive que me isolar.
Gabriela Silva
29 anos

Gabriela relata ainda que não teve nenhum sintoma além dos iniciais, o que atribui às 3 doses da vacina já tomadas.

Fazer teste de Covid e se isolar em caso positivo é uma das principais formas de prevenir a disseminação da doença. As opções de testagem gratuita em Fortaleza, porém, reduziram. Além de postos de saúde e UPAs, só 2 centros disponibilizam o exame por livre demanda. Confira locais.

Legenda: Em Fortaleza, postos de saúde, UPAs e 2 centros de testagem realizam teste de Covid gratuito
Foto: Thiago Gadelha

Para a epidemiologista Lígia Kerr, pesquisadora e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), há grandes chances de a taxa de positividade no Estado ser ainda maior, devido à subnotificação e à baixa procura por exames.

“Muitas pessoas não estão testando, e justamente por isso não sabemos ao certo quais variantes estão circulando no Ceará. Estudos mostram que, provavelmente, predominam a BA.2, BA.4 e BA.5, sub variantes da Ômicron”, avalia a médica.

20
pessoas podem ser contaminadas pela variante Ômicron do coronavírus a partir de apenas uma infectada pela Covid, segundo Lígia Kerr.

A epidemiologista alerta que a população precisa usar máscaras de proteção, principalmente e, se possível, dos modelos PFF2 e N95, mais eficazes para barrar a transmissão da variante Ômicron.

Além disso, Lígia reforça a importância de completar o esquema vacinal de todas as faixas etárias, sobretudo de crianças e adolescentes, “que muitas vezes levam o vírus da escola para casa”.

O uso de máscaras em ambientes fechados no Ceará não é mais obrigatório desde abril, mas voltou a ser recomendado pelo Governo do Estado, na última sexta-feira (10). O decreto destaca ainda a importância de usar o equipamento de proteção em ambientes abertos com aglomeração de pessoas.

Assuntos Relacionados