O que fazer no Cariri em três dias

Com ajuda do guia de turismo cratense Jocyneyson Jorge do Nascimento, preparamos um itinerário que percorre seis municípios da região Sul do Estado

Legenda: A estátua do Padre Cícero, cartão-postal da região, está localizada na Colina do Horto, em Juazeiro do Norte
Foto: FOTO: KIKO SILVA

Turismo cultural, ecológico, de aventura e religioso. Não faltam atrativos na região do Cariri, no Sul do Estado do Ceará. Aos pés da Chapada do Araripe, além das belezas naturais, o chamado “oásis no meio do sertão”, as cidades trazem as memórias de revoluções, marcas do coronelismo, os traços de manifestações populares e a fé. Por isso, traçar um roteiro que contemple tanta riqueza é um desafio. Sempre ficará alguma coisa de fora. Mesmo assim, com ajuda do guia de turismo Jocyneyson Jorge do Nascimento, preparamos o seu itinerário de três dias.

“Nascido e criado no Crato”, como mesmo se define, Jocyneyson é guia profissional há quatro anos e está no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo. Após topar o desafio, ele definiu um passeio que contempla seis municípios da Região Metropolitana do Cariri, mas também oferecemos outras sugestões de visitação.  


PRIMEIRO DIA

Pela manhã, o turista pode conhecer Missão Velha, que fica a meia hora de Juazeiro do Norte. Lá, surgiu o primeiro aldeamento do Cariri, no  início do século XVIII, quando missionários jesuítas se agruparam no Sítio Cachoeira, que seria a célula-mãe do Município. 

Em Missão Velha, a primeira recomendação é conhecer o geossítio Floresta Petrificada, que fica no Sítio Olho D’água Comprido, a 6 km da sede do Município. O local possui troncos fósseis com aproximadamente 145 milhões de anos, que tem um valor incalculável, principalmente para o estudo da paleobotânica e da evolução geológica.

Legenda: O geossítio Floresta Petrificada fica no Sítio Olho D’água Comprido, em Missão Velha
Foto: FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO GEOPARK

De lá, o visitante segue até o outro geossítio, a Cachoeira de Missão Velha, cartão-postal do Município, distante 11 km da Floresta Petrificada. Formada pelo Rio Salgado, o lugar é encantador e conta com três quedas-d’água com aproximadamente 12 metros de altura. Além da beleza, há aspectos geológicos importantes como a sua rocha sedimentar de arenito da formação Cariri, com aproximadamente 420 milhões de anos. A estrutura também preserva icnofósseis, que são vestígios da atividade vital de antigos organismos, neste caso, invertebrados aquáticos.  

Além disso, a Cachoeira de Missão Velha traz diversas lendas e histórias. Alguns pesquisadores acreditam que o lugar serviu de cerimônia para os povos indígenas. O turista também tem acesso a uma trilha com 1,9 km, de nível moderado, que leva até a uma casa de pedra, no Sítio Emboscada. Estima-se que este imóvel, construído no século XVIII, seja um dos primeiros erguidos no Cariri. Antes de ir para a próxima cidade, o visitante pode dar uma volta pelo Centro e observar alguns casarões antigos bem preservados. 

Legenda: Formada pelo Rio Salgado, a Cachoeira de Missão Velha conta com três quedas d’água com aproximadamente 12 metros de altura
Foto: FOTO: ANTÔNIO RODRIGUES

Após almoçar e descansar, a próxima rota é Barbalha, que fica a 22 quilômetros de Missão Velha. Conhecida como a terra dos Verdes Canaviais, o município é notabilizado pela maior festa em homenagem a Santo Antônio do mundo, o Pau da Bandeira. Lá, além das ruínas dos engenhos que tornaram a economia açucareira importante no Cariri, o Centro Histórico é o que possui os casarões mais bem preservados da região.  

Outro aspecto importante são as riquezas naturais. O Município conta com diversas trilhas e balneários no sopé da Chapada do Araripe. Dentro do território do Geopark Araripe, Barbalha também possui seu geossítio, o Riacho do Meio, a 7,6 quilômetros do Centro da cidade. Unidade de Conservação, o lugar possui trilhas, nascentes e é um dos refúgios do soldadinho-do-araripe, ave endêmica da região. “Isso encanta os turistas mesmo”, acredita Jocyneyson.  

Legenda: O geossítio Riacho do Meio, em Barbalha, abriga trilhas e é um dos refúgios do Soldadinho do Araripe, ave endêmica da região
Foto: FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO GEOPARK


SEGUNDO DIA

Logo cedo, o visitante pode conhecer a Colina do Horto, em Juazeiro do Norte, onde está localizada a estátua do Padre Cícero. No cartão-postal do município, ainda há o Museu Vivo dedicado ao fundador da cidade, incluindo itens pessoais que pertenceram ao pároco e incontáveis ex-votos, esculturas de madeira para quem pagou promessa. A alguns metros dali, ainda está erguido o muro da Guerra de 1914, quando os romeiros, em apoio ao sacerdote, derrotaram as forças estaduais e depuseram o governador Franco Rabelo. Ainda no Horto, há uma trilha até o lendário Santo Sepulcro, que possui uma vista deslumbrante.  

Legenda: O Museu Vivo Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, é um dos espaços de visitação mais tradicionais dos romeiros
Foto: FOTO: ELIZANGELA SANTOS

À tarde, o Crato é o ponto de parada. Além de um incontável número de trilhas, a “Princesa do Cariri” tem diversos balneários no sopé da Chapada do Araripe. “Se quiser, pode passar o dia todo fazendo trilha”, brinca o guia. Um lugar ideal para isso é o geossítio Batateiras, que está dentro do Parque Estadual Sítio Fundão. Com cerca de 93 hectares, a unidade de conservação detém as ruínas de um antigo engenho ainda movido a tração animal. Além disso, dispõe de uma rara casa de andar feita toda de taipa. Lá, é cortado pelo Rio Batateiras.  

Legenda: A Trilha das Samambaias, no Geossítio Batateiras (Crato), é feita na sombra, por isso é indicada para toda a família
Foto: FOTO: ROBERTA SOUZA

Outro lugar de visitação que atrai os banhistas é a Cascata do Lameiro, também formada pelo Rio Batateiras. Uma queda d’água de oito metros de altura, com uma área de 2,5 metros de profundidade, é ideal para quem quer relaxar. Aberto ao público e próximo do Centro da cidade, atrai muitas pessoas nos fins de semana. 


TERCEIRO DIA

Indicamos conhecer dois municípios do chamado “Cariri Oeste”. O primeiro é Nova Olinda. Antes mesmo de chegar na cidade, na CE-292, está o geossítio Ponte de Pedra. Com bela vista do vale, é representado por uma formação rochosa natural que lembra uma ponte. Acredita-se que a estrutura tenha 96 milhões de anos.  

Legenda: Com bela vista do vale, o geossítio Ponte de Pedra é representado por uma formação rochosa natural que lembra uma ponte
Foto: FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO GEOPARK

Já no Centro de Nova Olinda, está a Fundação Casa Grande – Memorial Homem Kariri, que funciona como um centro arqueológico da região. Além do trabalho fantástico com crianças do município, o prédio reúne em seu acervo diversos artefatos indígenas. Próximo a ele fica o Museu de Couro do artesão Espedito Seleiro, vizinho a seu ateliê. Suas peças como bolsas, chinelos, carteiras são requisitadas no Brasil e no mundo.   

Legenda: A Fundação Casa Grande - Memorial Homem Kariri funciona como um centro arqueológico e de formação social e cultural em Nova Olinda
Foto: FOTO: ANDRÉ COSTA

A última parada é Santana do Cariri, onde estão três geossítios: Pedra Kariri, Parque dos Pterossauros e Pontal da Santa Cruz. Dentro da cidade, também está o Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, que conta com importante acervo de fósseis e réplicas de dinossauros que viveram no Cariri há milhões de anos.  

Legenda: Em Santana do Cariri, está localizado o geossítio Pedra Kariri
Foto: FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO GEOPARK

No Pontal da Santa Cruz, que oferta excelente almoço, o turista tem uma vista panorâmica do Cariri e pode conferir o pôr do sol que está entre os mais bonitos do Ceará. Se ainda quiser se aventurar um pouco mais, tem a trilha para o Vale dos Buritis ou Vale dos Azedos, com 5,6 quilômetros de extensão. Lá, há um mirante para o vale de Santana do Cariri e, descendo a encosta, encontra um ponto ideal para o banho.  

Legenda: O Parque dos Pterossauros, em Santana do Cariri, contém muitos fósseis e exemplos de escavações
Foto: FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO GEOPARK

Se quiser estender a estada, ainda pode conhecer outros municípios como Altaneira, que oferece trilhas e até rapel, Assaré, terra de Patativa do Assaré, que respira cultura e mantém memorial sobre o poeta, Milagres e Mauriti, que possuem importantes sítios arqueológicos, Porteiras e Jardim, pelos seus mirantes e levadas de água. 

Serviço

Colina do Horto

Endereço: Av. Padre Jezú Flor - Horto, Juazeiro do Norte - CE
Telefone do Horto: (88) 3511-6006
Horário de funcionamento da Estátua de Padre Cícero: todos os dias, de 4h às 21h.
Horário de funcionamento do Museu Vivo do Padre Cícero: todos os dias, de 8h às 18h.

Fundação Casa Grande

Endereço: Av. Jeremias Pereira, 444 - Centro, Nova Olinda - CE, 63165-000
Telefone: (88) 3546-1333
Horário de funcionamento: segunda a sábado, de 9h às 17h

Restaurante do Pontal da Santa Cruz

Horário de funcionamento do restaurante: terça-feira a domingo, de 11h às 17h. Nos feriados de segundas-feiras e em eventos marcados à noite, também é aberto. 
Telefone: (88) 99959-8931

Mais informações: 

Geopark Araripe
Sede: Rua Carolino Sucupira, S/N
Crato
Site: geoparkararipe.urca.br
FaceBook: Geopark Araripe
Telefone: (88) 3102.1237