Gravado na pandemia, disco de cantor cearense exalta a natureza, poesia e música locais

Após 15 anos sem trabalhos inéditos, Isaac Cândido lança “Pra visitar aldeias”, obra que destaca o renascimento pessoal do artista a partir do enlace com memórias e parcerias

Legenda: Quarto CD da carreira de Isaac Cândido, “Pra visitar aldeias” é resultado de um esforço coletivo
Foto: Vanessa Melo

Feito a maioria das pessoas nesta pandemia, Isaac Cândido também voltou-se para o mais profundo de si. Isolado com a família em um sítio a cinco quilômetros do centro de Guaramiranga, região serrana do Estado, o cantor e compositor cearense mergulhou em um processo de reconhecimento do próprio potencial artístico ao revisitar antigos poemas, projetos e canções de sua autoria. Um ato que lhe desestabilizou. Para melhor.

“Quando me vi totalmente sem trabalho e horizonte por conta da crise sanitária, percebi, trancado no quarto, que a meu lado estava toda a minha obra mofada, anos e anos dedicados à composição”, conta o músico em entrevista ao Verso por telefone. “Então pensei que queria deixar alguma referência para o meu filho de cinco anos. Porque, claro, com a pandemia me veio o medo da morte. Achei que não ia passar dessa”.

A maneira que encontrou para perpetuar o legado culminou na realização de mais um disco, o quarto da carreira. “Pra visitar aldeias” está disponível nas plataformas digitais desde dezembro do ano passado e pode ser adquirido também na versão física, por meio das redes sociais (@pravisitaraldeias, no instagram) e na Livraria Leitura, no shopping RioMar Fortaleza. No interior do Ceará, o disco se encontra em lojas específicas de Iguatu e Juazeiro do Norte.

Por meio de 12 faixas, o novo trabalho de Isaac contorna um hiato de 15 anos sem iniciativas inéditas por parte do artista, passeando por uma diversidade de afetos e memórias como forma de prestar tributo a aspectos caros ao compositor. Nesse movimento, ganham amplitude a natureza, a poesia e a música locais, além dos tantos afetos abraçados em décadas de contato com o som.

Legenda: O cantor e compositor esteve isolado com a família em um sítio a cinco quilômetros do centro de Guaramiranga, região serrana do Estado
Foto: Vanessa Melo

Parcerias

Com direção musical do multi-instrumentista Thiago Almeida, “Pra visitar aldeias” é resultado de um esforço coletivo. No projeto, Isaac une-se a antigos e novos amigos a fim de propagar mensagens de esmerado valor íntimo e humano. Um time que vai desde Marcus Dias – principal parceiro de trabalho, cujo novo disco, “Lado a lado”, traz uma canção deste lançamento de Cândido – até César Nascimento, Dawlton Moura, Henrique Beltrão, João Mamulengo e Rogério Lima.

As mulheres também ganham fôlego no disco ao terem poemas musicados por Isaac. Íris Cavalcante, Silvia Varela e Patrícia Poliana dedicam um olhar particular ao expressarem inquietações intrínsecas a elas e que encontram eco no fazer borbulhante de Cândido. “O CD, assim, tem essa visão feminina”, sublinha o cantor. “Eu não seria nada, a minha música não teria grandeza, se não fossem os meus parceiros”.

Legenda: Filho do artista, o pequeno Iago Cândido, de cinco anos, também participa do projeto ao cantarolar a melodia de uma das faixas do disco
Foto: Vanessa Melo

Até o próprio filho do artista – o pequeno Iago Cândido, de cinco anos – participa do projeto. Além de estampar a bela fotografia de capa do disco, é dele a melodia presente no início de “A Casa Nossa”. De delicado sonido, a canção descreve o cotidiano de um lar que “tem menino em árvore, casal na cama, amiga na rede (...), um silêncio contrito de gratidão”.

“Musicalmente, sou uma pessoa que renasceu completamente. A partir de agora, vou continuar fazendo minhas produções, mas vai ser numa intensidade muito maior e estarei à frente dos meus projetos”, destaca Isaac, cujos últimos anos foram dedicados exclusivamente à atuação como empresário e produtor cultural do mercado de show business, por meio da Direção das Artes Produções Artísticas, empreendimento sob sua gestão. “A ideia agora é colocar mesmo a minha música à disposição do maior número de pessoas”.

Articulações

Fruto de um singular empenho, o novo disco de Isaac realmente deve agradar os amantes da Música Popular Brasileira, uma vez que bebe da fonte desse gênero e do próprio legado do cancioneiro cearense. A faixa-título, por exemplo, remonta à “Terral”, música de Ednardo, abrindo a seleção de canções com uma poderosa mensagem de renovação ao bradar: “Alguém daqui saiu/ pra visitar aldeias/ procurando sonhos/ talvez outro mar”.

Aconchego sonoro que segue com “Ver Estrelas”, “Além da fronteira” e “Outra Estação”, entremeando tons soturnos e atmosferas solares. A luminosidade do Ceará abraçada a toques de nostalgia mineira. Um primor. Na sequência, outras tantas caprichadas criações, a exemplo de “Maria e o Mar”, “Olhos Rasos D’água” e “Noite em mim”, até culminar na já citada “A Casa Nossa”.

“Em torno de 70% das canções do CD são novas, feitas nos últimos oito meses”, diz. “E eu estou me sentindo na obrigação de levantar a bandeira da música do Ceará, de fazer com que as pessoas retomem o olhar pra gente”.

Não à toa, o cantor planeja um grande show de lançamento no pós-pandemia, em Fortaleza e em outras capitais brasileiras, estendendo o raio de alcance do que é feito aqui. 

Até lá, deve lançar mais dois discos neste ano – apenas um de forma autoral, contudo –, entrelaçando novamente as mãos a uma vastidão de parceiros. “Agora pretendo viajar para ressoar esse novo trabalho e plantar sementinhas, torcendo para que floresçam com rapidez”, conclui.

 

Pra visitar aldeias
Isaac Cândido

Direção das Artes Produções Artísticas
2020, 12 faixas
R$ 30

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?