Usina solar do Grupo Telles no CE começa a operar em maio

O empreendimento produzirá, inicialmente, 3 MW, potência que será consumida pela Santa Elisa Embalagens

Legenda: Novo parque solar terá 9.223 painéis fotovoltaicos, 1,1 mil já instalados
Foto: Fotos: Helene Santos

Até o fim do próximo mês de maio, estará concluído e entrará em funcionamento o maior projeto de geração distribuída industrial de energia solar do País. Localizado na geografia do município de Pindoretama, entre Aquiraz e Cascavel, esse parque de geração solar terá 9.223 painéis fotovoltaicos, dos quais 1,1 mil já foram instalados.

Todo esse conjunto de painéis produzirá 3 megawatts (MW), potência que será totalmente consumida pela Santa Elisa Embalagens, uma unidade industrial que pertence ao grupo Telles, com sede em Fortaleza, cujo sócio majoritário é o empresário Everardo Telles.

Ontem, uma equipe composta por 23 técnicos da Energia Zero Brasil, de João Pessoa (PB), empresa especializada nesse trabalho, sequenciava o serviço de implantação do parque de energia solar, que ocupa área de seis hectares bem ao lado da fábrica de embalagens.

As placas fotovoltaicas são instaladas sobre estruturas metálicas suportadas por 700 bases de concreto, cada uma medindo 1,40 m x 1,40 m.

Expansão

"Esta é só a primeira fase do projeto", informa Everardo Telles, acrescentando que mais três hectares já estão infraestruturados para receber a segunda etapa do empreendimento, que acrescentará mais 2 MW a serem injetados no Sistema Elétrico Nacional, mas que serão utilizados por outra unidade industrial do Grupo, localizada em Fortaleza. O empreendimento terá potência total de 5 MW.

Os painéis fotovoltaicos em instalação no parque de energia solar da Santa Elisa Embalagens foram fabricados pela multinacional norte-americana Sun Edison, na cidade de St Peters, no Estado de Missouri, nos Estados Unidos. "Eles são de última tecnologia", revela Everardo Telles. Os painéis chegaram a Pindoretama no início deste ano e foram estocados em um dos galpões da antiga fábrica de aguardente que o Grupo Telles tinha naquele município.

Investimento

Na implantação desse parque, o Grupo Telles está investindo R$ 30 milhões, dos quais R$ 10 milhões só na infraestrutura da área, incluída a construção das bases nas quais se instalam os painéis fotovoltaicos. A previsão de conclusão dos trabalhos é a segunda quinzena do próximo mês de maio, de acordo com o engenheiro mecânico Tiago Figueiredo, da Energia Zero Brasil, responsável pela instalação do parque.

Ele revelou que sua empresa, que atua em vários estados do Nordeste, deverá abrir um escritório em Fortaleza para atender à demanda de minigeração de energia solar, cujo mercado são, principalmente, as residências unifamiliares urbanas e rurais.

Everardo Telles considera que está fazendo um investimento oportuno, no lugar certo e com a tecnologia correta. "A Santa Elisa Embalagens vai livrar-se de uma conta de energia que é hoje de R$ 300 mil mensais", conta ele, apostando na rápida superação dos atuais e graves problemas enfrentados pela economia nacional.

A Santa Elisa é uma indústria que produz embalagens usando como matéria prima bagaço de cana e, também, papel e papelão por ela mesma reciclados e recolhidos em diferentes pontos de coleta de Fortaleza. A fábrica produz diferentes tipos de embalagens, que saem dela com todos os detalhes - inclusive de ordem gráfica - determinados pela sua clientela, que se espalha por vários estados do País.

Entre os clientes da Santa Elisa, estão as empresas do Grupo Claudino, maior conglomerado empresarial do Estado do Piauí, uma das quais é uma fábrica de bicicletas, para as quais é feita uma embalagem especial, personalizada em padrões e cores.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios