Carnaval: Governo deve transformar em norma recomendação de evitar viagens intermunicipais

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (29), pelo governador Camilo Santana

CAMILO
Legenda: A reunião do comitê ocorreu nesta sexta-feira (29)
Foto: Reprodução

O governador Camilo Santana (PT) informou, nesta sexta-feira (29), que deve transformar em norma durante o Carnaval a recomendação de evitar viagens entre a Capital e o interior no Ceará. Além disso, anunciou que irá publicar texto específico com as medidas de restrição para o período no Estado.

A decisão é justificada pelo aumento de casos de Covid-19 no Ceará.

"Inclusive, com um decreto específico para o período do Carnaval, quando a recomendação atual de se evitar a circulação de veículos entre a Capital e o interior deve se transformar em norma, além de outras providências", disse no Twitter. 

O decreto atual, cuja vigência terminaria neste domingo (31), será renovado sem modificações por enquanto. O governador ainda indica que novas regras mais duras devem ser estabelecidas na próxima semana, incluindo as diretrizes para o Carnaval. 

"Essa situação tem nos deixado em alerta, inclusive para tomar novas medidas restritivas que visem frear esse aumento. Ficou definido que o atual decreto será renovado, enquanto serão realizadas mais reuniões, desde o início da semana, para estabelecer novas medidas", complementou.

Regras já anunciadas para o Carnaval

Camilo relembrou também que já havia sido definida a proibição de qualquer evento de Carnaval, bem como o cancelamento do ponto facultativo na segunda (15) e terça-feira (16), além da recomendação de funcionamento normal do comércio e do setor produtivo no Ceará durante esse período.

Vacinas

O governador ainda comemorou a notícia de que o Governo Federal irá adquirir os 54 milhões de doses extras da CoronaVac para distribuir aos estados. "Essa é uma ótima notícia e nos dá a perspectiva de receber novas doses nos próximos dias", frisou.

O Ceará já recebeu 262,6 mil doses da CoronaVac, em duas remessas. Além disso, recebeu 72,5 mil doses da vacina produzida pelo laboratório Astrazeneca com a Universidade de Oxford.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios