Hotelaria teme redução de reservas após recomendação para evitar viagens intermunicipais

Previsão foi apresentada por representante de grupo de empresários do setor de hotéis e pousadas

Hotéis e pousadas temem enfrentar uma queda na taxa de reservas a partir da próxima semana por conta da recomendação estadual para evitar viagens intermunicipais, aponta a presidente da Associação dos Meios de Hospedagem e Turismo (AMHT), Vera Lúcia da Silva. 

Já para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih-CE) no Ceará, Régis Medeiros, será preciso aguardar um pouco mais para medir o impacto da nova recomendação. 

No início da tarde de hoje (21), o governador Camilo Santana recomendou aos cearenses que evitassem viajar para outras cidades no Estado com o objetivo de frear o aumento da disseminação da Covid-19 no Estado registrado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

"No decreto, nós vamos recomendar que a população não viaje nos transportes intermunicipais, só faça esse fluxo para trabalho ou em ações essenciais, porque o maior foco está sendo na Capital", afirmou Camilo. 

Para a presidente da AMHT, a sugestão do governador não deve surtir efeito até o fim desta semana, já que ela acredita que "ninguém deverá cancelar viagens que estão marcadas".

A partir da próxima semana, porém, Vera prevê que alguns turistas cearenses repensem a decisão de viajar no Ceará por precauções relacionadas à pandemia, impactando o faturamento de hotéis e pousadas em regiões turísticas. 

Veja o anúncio

Impacto no faturamento

"Não vamos sentir o impacto nessa semana, mas sim na próxima. O público que gera receitas pelo lado corporativo não deve ser afetado, mas algumas pessoas que estão buscando viagens turísticas poderão, sim, cancelar ou desistir de fazer novas reservas. Vamos sentir na semana que vem, quando as pessoas devem ficar com mais medo", disse Vera. 

Com a possível diminuição de receitas, com a redução de reservas, hotéis e pousadas deverão ter problemas com o fluxo de caixa neste começo de ano, quando há uma concentração do pagamento de impostos. 

"As contas continuam chegando, e se tivermos menos reservas a situação deve ficar mais complicada. Sempre que o governador faz essas recomendações, as pessoas ficam com mais receio de viajar, sim, e isso tem impactos para o setor", afirmou Vera. 

Acompanhamento das reservas

Já Medeiros destaca que a Abih-CE irá acompanhar o nível de reservas nas próximas semanas para ter uma noção do impacto.

"Não tivemos tempo de medir impactos porque o termômetro é o setor de reservas, então é muito recente para sabermos como deve ser. O fluxo de turistas de outros estados é muito pequeno comparado ao fluxo de pessoas aqui de dentro do Ceará, e ainda temos muita gente viajando a trabalho. Precisamos sentir a temperatura disso tudo nas próximas semanas. Seria precitado lançar um pensamento de algo tão recente", afirmou Medeiros.  

O presidente da Associação ainda elogia a gestão do Governo do Estado referente à crise gerada pela pandemia. 

"O hotel depende da cadeia produtiva do turismo e tudo isso está funcionando, mesmo com as limitações. Eu estou achando muito coerente esse conjunto de decisões do Estado. Não podemos fechar, devemos funcionar, mas dentro de um limite de tempo, de pessoas sendo atendidas. Vamos tocando o setor e regulando a situação com o andamento da pandemia", aponta o presidente da Abih.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios