Camilo recomenda evitar viagens intermunicipais e proíbe áreas de lazer de condomínios de praia

Dentre as medidas anunciadas na manhã desta quinta, está o aumento de leitos em todo o Estado. Unidades de UTI e enfermaria serão reabertas

Dr. Cabeto, Camilo Santana e Sarto Nogueira em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira
Legenda: Novas medidas de enfrentamento à Covid-19 foram anunciadas em coletiva de imprensa no Palácio da Abolição
Foto: José Leomar

O governador Camilo Santana anunciou, na fim da manhã desta quinta-feira (21), que o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 decidiu aumentar o número de leitos em todo o Estado, proibir o uso de áreas comuns de lazer em condomínios de praia e recomendar que a população evite viagens intermunicipais. A decisão é baseada no aumento da concentração viral da doença pandêmica, atualmente, em Fortaleza. O texto foi publicado na noite desta quinta-feira (21) no Diário Oficial do Estado (DOE). 

"Nós vamos recomendar que a população não viaje nos transportes intermunicipais, só faça esse fluxo para trabalho ou em ações essenciais, porque o maior foco está sendo na Capital", afirmou. 

Apesar da maior fiscalização em transportes públicos, condomínios de temporada ou veraneio e barracas de praia, o decreto mantém as medidas do fim do ano, segundo o qual os shoppings podem optar pelo horário ampliado, das 9h às 23h. Os hotéis também continuam liberados a funcionar com a capacidade máxima de 80%.  

Veja detalhes do decreto:

I - Proibição do uso de espaços comuns e equipamentos de lazer, em condomínios de praia, de uso misto (moradia e lazer) e/ou preponderantemente de temporada ou veraneio, ensejando o descumprimento da regra a interdição do correspondente espaço, sem prejuízo da imposição ao condomínio das demais sanções previstas na legislação;

II - aumento do controle e da fiscalização do uso de espaços comuns e de equipamentos de lazer em condomínios residenciais, barracas de praia e clubes, no tocante à obediência às regras de protocolo sanitário já existente, evitando, especialmente, aglomerações;

III - recomendação para o não deslocamento de pessoas em viagens intermunicipais, especialmente de Fortaleza para municípios do interior cearense, exceto para fins de trabalho, acesso a atividades essenciais ou moradia, permanente ou eventual, respeitada as regras de proibição de aglomeração;

IV – intensificação da fiscalização do serviço de transporte público municipal e intermunicipal de passageiros, como garantia de que sejam observadas todas as medidas sanitárias necessárias ao seguro desempenho da atividade;

V – aplicação de multa e interdição imediata, por sete dias, do funcionamento de estabelecimentos que descumpram as normas sanitárias estabelecidas para a atividade, ampliado esse prazo para 30 dias em caso de reincidência, sem prejuízo de nova aplicação de multa.

Aumento de leitos

Ainda durante a manhã, o governador detalhou que a rede de saúde deverá preparar a capacidade estrutural de atendimento para receber infectados com demanda de internação hospitalar. As acomodações criadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e em enfermarias serão reabertas. O incremento foi de 211 leitos em todo o Estado, segundo a Secretaria da Saúde.  

"Nós vamos retomar muitos dos leitos que criamos ao longo da pandemia, praticamente 2.800. Todos eles foram mantidos para atender outras demandas. Agora, nós vamos retomar os leitos de UTI transformando de volta para Covid-19 exatamente para garantir não só na Capital, mas em todo o Interior, que a população tenha leitos". 

O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, explicou que o Governo está aumentando 100 leitos em um prazo de duas semanas. "Estamos projetando um limite bem razoável para ampliação em duas semanas, algo em torno de 100 leitos de UTIs. Está bem acima da nossa necessidade. [..] A gente vai depois especificar quais leitos estão sendo colocados. Os hospitais regionais do interior estão tendo reativação dos leitos de campanha. Alguns deles nós estamos aumentando em torno de 10 a 20 leitos e UTI e a mesma quantidade de enfermaria em cada hospital regional, o Leonardo da Vinci, IJF e assim como as outras unidades também". 

Variante do novo coronavírus no Ceará 

Dr. Cabeto afirmou, durante a coletiva desta quinta-feira, que segue estudando a existência de infecções causadas pela nova variante do coronavírus no EstadoAmostras de casos cearenses suspeitos foram enviadas à Fiocruz para detecção da mutação do vírus. A variante já registra casos no Amazonas e levou o Reino Unido a decretar lockdown no início do mês. 

"Há muita dúvida acerca da forma de transmissão da gravidade da nova cepa. O que estamos vendo no Ceará é a mudança do perfil epidemiológico. A doença está acometendo mais os jovens", disse o gestor da Pasta.

Secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, durante coletiva no Palácio da Abolição
Legenda: Crescimento de casos de Covid-19 das últimas semanas foi composto por pacientes com menos de 50 anos, disse secretário da Saúde
Foto: José Leomar

Segundo o secretário, o índice de atendimento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus teve um aumento de cerca de 30%, em média, chegando a ser de 70% em algumas unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Estado. Sendo que esse crescimento foi composto por pacientes mais jovens, com idades abaixo dos 50 anos. Entretanto, a maior parte não se converteu em internações. 

"Quando analisamos, especificamente, os atendimentos nas UPAs, o número de pacientes graves está menor que vimos em fevereiro, março e abril de 2020. Mas isso não quer dizer que não precisamos ser precavidos", alertou Cabeto.  

Reveja o anúncio

Nessa quarta-feira (20), o chefe do Executivo estadual já havia antecipado que a reunião das autoridades de Saúde discutiria a situação epidemiológica diante do "aumento dos números da Covid-19", também motivo de "muita preocupação". 

CAMILO SANTANA
Legenda: O Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19 esteve reunido na manhã desta quinta-feira (21)
Foto: Reprodução/Redes sociais

Camilo voltou a mencionar o acréscimo de testes positivos no Ceará para justificar a decisão. Dados do IntegraSUS, por exemplo, apontam que 107 dos 184 municípios estão com níveis de alerta "alto" ou "altíssimo" de propagação do SARS-CoV-2. Um mês atrás, esse alerta  era registrado em 90 cidades. 

 

Durante a coletiva de imprensa, o gestor explicou que a aceleração de casos até então não vinha trazendo reflexos negativos na demanda por atendimento médico em hospitais e nem no número de mortes, mas na última semana essa situação mudou.

“Houve aumento significativo na demanda assistencial, principalmente na Capital. Isso acende uma luz de alerta”, disse. 

Manutenção da economia

O governador justificou que as novas medidas foram pautadas como estratégias para conter o vírus ao mesmo tempo em que se preserva a economia local. "A nossa intenção, nesse momento, é não tomar nenhuma medida que afete a economia do Estado. Vamos tomar medidas que possam evitar aglomerações e o risco de aumentar a transmissão. Vamos avaliar semana a semana o comportamento dos números da pandemia". 

Camilo afirmou ainda que irá se reunir com o setor de transporte público para tentar diminuir a aglomeração nos veículos, principalmente, na Capital e que vai intensificar a fiscalização. 

Último decreto

O decreto anterior, cuja validade seria até 31 de janeiro, seguiu as mesmas recomendações sanitárias impostas nas festas de fim de ano para evitar a disseminação do novo coronavírus. As recomendações obrigatórias foram publicadas no Diário Oficial do Estado do último dia 9. 

Além da proibição de festas, shows e eventos sociais, além da ampliação do horário comercial de estabelecimentos para evitar aglomerações, o documento citou ainda o cancelamento do carnaval em ambientes abertos e fechados.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza