Primeiro peixe-boi reabilitado no Ceará será solto no mar nesta terça-feira (25)

O mamífero marinho será monitorado nas primeiras 48 horas para garantir um retorno seguro ao habitat

Peixe-boi sendo cuidado por equipe de resgate da ONG Aquasis no Ceará
Legenda: Maceió encalhou na Praia do Pontal do Maceió, em Fortim, em dezembro de 2013 e, agora, foi solto em Icapuí, no literal cearense
Foto: Thiago Tavares

Após quase sete anos de seu encalhe, o primeiro peixe-boi reabilitado da história do Ceará retorna ao mar nesta terça-feira (25). Maceió será solto em Icapuí, no literal cearense, pela equipe da ONG Aquasis, depois de quase 10 meses de readaptação. 

O animal está no chamado cativeiro de aclimatação desde junho de 2020, onde cumpriu a etapa pré-soltura constantemente monitorado pelo Programa de Mamíferos Marinhos (PMM). Os preparativos para o retorno do animal à natureza começam às 5h e têm previsão de terminar às 10h. 

O peixe-boi encalhou na Praia do Pontal do Maceió em 15 de dezembro de 2013. Ele foi resgatado pelo PMM e acolhido para iniciar a reabilitação quando tinha cerca de um dia de vida. 

Para garantir um retorno seguro depois de livre no mar, Maceió será acompanhado por 48 horas por duas equipes da Aquasis, Após o período o Projeto de Monitoramento de Praias (PMP), feito pela ONG cearense e gerido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), passa a monitorar o animal.

Novas solturas 

Segundo a ONG Aquasis, estão planejadas mais três solturas de peixes-bois para este ano. Com a saída de Maceió, restarão quatro mamíferos (Alva, Tico, Maní e Pintada) na estrutura flutuante construída no mar de Icapuí para aclimatá-los ao habitat, localizada a 300 metros da costa da Praia da Peroba.

Alva foi translocada ao local no mesmo dia que Maceió e tem retorno ao mar esperado em breve. Maní e Pintada chegaram no Icapuí em novembro do ano passado, enquanto Tico foi o último a entrar no cativeiro, em dezembro do mesmo ano.

O cativeiro é a última e decisiva etapa para que os animais sejam soltos com segurança. Antes disso, eles passam anos nas instalações Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRRM), em Caucaia. 

Todos esses procedimentos são pioneiros no Brasil e integram as ações do Projeto Manatí, braço da Associação que realiza resgate de mamíferos marinhos. 

Pioneirismo no Estado

De acordo com Vitor Luz, coordenador da equipe do CRMM, o momento é "muito simbólico" e faz parte de uma momento inovador no Estado. A soltura sedimentará uma nova plataforma de retorno desses mamíferos no Brasil. 

Além de Icapuí, apenas Alagoas e Paraíba possuem estruturas desse tipo. 

"Essa é a primeira oportunidade de retorno de animais oriundos do Ceará, estado onde mais encalham filhotes no Brasil, para a sua população de origem, já que anteriormente os animais eram levados para outros estados", pontua o veterinário.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores