Trombose após viagens longas: movimentar as pernas é essencial, afirma angiologista

Especialista alerta para os perigos da doença e orienta prevenção

No o período de férias, é preciso estar atento para as longas viagens que, segundo especialistas, são um fator de risco para trombose. O deputado federal eleito Túlio Gadelha foi diagnosticado recentemente com a doença. O  atual namorado da apresentadora Fátima Bernardes relatou, em uma de suas redes sociais, que sentia dores nas pernas, mas imaginou que tivesse sido causada por uma caminhada no frio. A postagem repercutiu na internet e gerou alerta para a condição, diagnosticada na sequência.

A trombrose é um coágulo que se forma dentro da veia e atinge, na maior parte das vezes, as pernas. As causas são variadas e podem estar relacionadas a algo inerente ao organismo, quando a pessoa já possui tendência a desenvolver o problema, a uma situação de período pós-operatório, ou outras ocasiões em que as pernas ficam muito tempo sem mexer como, por exemplo, viagens longas.

O angiologista Jorge Seraphim, do Hapvida Saúde, explica que o perigo está na agravação no quadro de trombose. O caso pode gerar embolia pulmonar, quando as veias do pulmão ficam obstruídas e que em alguns casos são fatais.

"Uma embolia pulmonar extensa também traz grandes sequelas a longo prazo do ponto de vista pneumológico e ainda pode causar afastamento da atividade profissional”, explica o médico.

Sintomas da trombose 

Os sintomas são dores, inchaço nas pernas e, em alguns casos, até úlceras. O tratamento deve ser individualizado e pode ser feito tanto de forma hospitalar, quando há a necessidade de internação, quanto laboratorial. Por isso, é importante que cada caso seja avaliado para que haja um diagnóstico preciso da estabilidade do quadro da doença.

Sobre prevenção, Seraphim falou das medidas que podem ser tomadas para diminuir o risco da trombose. “Cada situação da vida exige uma prevenção. É sempre importante manter uma vida e a alimentação saudáveis. Entretanto, quando se está em situação de risco, como por exemplo, se a pessoa for submetida a uma cirurgia, deve ser feito um protocolo de prevenção personalizado”, conclui o especialista.

A adoção de hábitos saudáveis é essencial principalmente àqueles que têm pré-disposição à trombose. Em situações de viagens longas, onde é preciso ficar sentado durante muito tempo sem se movimentar, outras soluções podem ser tomadas. Algumas simples, como se levantar de tempos em tempos, e outras mais complexas a ser, sempre, sob orientação profissional. 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?