Movimento "Doe de Coração" traz música-tema como novidade na 17ª edição

Campanha da Fundação Edson Queiroz traz uma canção especial, na qual o mais importante fica entre o amor e a necessidade de doar um pouco de si ao outro

Legenda: Edinho Vilas Boas traz voz para a canção de Xico Torres composta para a 17ª edição da "Doe de Coração"
Foto: Foto: Isanelle Nascimento

Ações de amor movem o mundo e tornam a vida mais grandiosa. Esta é uma das grandes ideias defendidas pela campanha 'Doe de Coração', com o incentivo à conscientização e doação de órgãos, realizada pela Fundação Edson Queiroz desde 2003, chegando à 17ª edição neste ano.

Desta vez, a novidade é trazer melodia aos ouvidos de quem abraça a causa ou acredita na possibilidade de ajudar o outro por meio do gesto. Isso porque uma canção de autoria 100% cearense foi escolhida para representar o movimento.

Uma palestra e uma conversa franca com a esposa foram necessárias para despertar a curiosidade e a veia artística de Xico Torres, responsável pela letra da música. Natural de Mombaça, no interior do Ceará, e há anos em meio às composições, ele sentiu a necessidade de falar de coração aberto sobre a causa.

Com as palavras escritas em papel, o passo seguinte foi procurar quem concedesse vida e cor à mensagem. Fã confesso do cantor Edinho Vilas Boas, Xico resolveu recorrer a ele para dar conta da missão.

"No início, a letra ainda não estava conectada com as questões da campanha, era algo que eu desejava falar mesmo. Logo após o contato com Edinho, acabamos pensando nessa possibilidade, e então resolvi falar com a Fundação", diz.

Segundo Edinho, não foi necessário pensar muito para embarcar na ideia da gravação. Entre a letra, a frase "sou transcendente, não vou perecer" fisgou a atenção. Conhecedor do trabalho de Xico, amizade de longa data, celebrar o ato de se doar foi algo de identificação instantânea.

"Junto dos meus filhos, também cantores, já existia esse desejo latente de realizar alguma ação social por meio do nosso trabalho. Então, quando eu li a letra pela primeira vez, foi algo maravilhoso. Nossa parceira foi mútua, o Xico também aprovou de cara a melodia pensada por mim", explicou Vilas Boas em entrevista.

Importância

O clima de solidariedade difundido pela campanha, há quase vinte anos, iniciou-se em todo o Estado do Ceará no início de setembro e segue até o fim do mês, passando, inclusive, pelo Dia Nacional de Doação de Órgãos, comemorado no dia 27 de setembro.

De acordo com a organização, cinco mil camisas com a marca da campanha deste ano, que passou por uma reformulação especial. Elas foram distribuídas na Universidade de Fortaleza e devem ganhar os hospitais públicos e privados do Ceará.

Além disso, entre as atividades pensadas, está o fórum de discussão "A legislação brasileira e suas barreiras", a ser realizado no dia 25 de setembro, que deve tratar sobre as questões legais em relação à doação e transplante de órgãos no País.

"Nosso interesse é completamente voltado a uma causa tão importante para tanta gente. Hoje em dia, podemos ver a dimensão tomada pela 'Doe de Coração'. Fica bem claro que saiu do patamar de campanha para se tornar um movimento, envolvendo tantas ações e pessoas em um objetivo", reitera Xico.

Para ambos, os números representam a eficiência - em 2018, o Ceará registrou 1.536 procedimentos de órgãos e tecidos, 17 a mais que no ano anterior -, mas o conhecimento espalhado para vários moradores cearenses é o que deve mover."É muito bonito de ver e participar disso na prática", afirmam. Assim, a caminhada pelo ato de amor deve seguir captando a atenção e, por que não, o afinco de quem se sentir tocado no coração.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?