Mostra de cinema do Dragão do Mar promove 16 estreias nas salas de Fortaleza

A sétima edição da Mostra Retroexpectativa acontece a partir da próxima quinta (21), com três faixas de exibição - Retrospectiva, Expectativa e Clássicos

Legenda: Cena de "Cabeça de Nêgo", do cineasta Déo Cardoso
Foto: Divulgação

O cinema do Centro Dragão do Mar sedia nova maratona de exibições da sétima arte, a partir desta quinta (21) até 3 de fevereiro. A sétima Mostra Retroexpectativa acontecerá na Sala 2 do Cinema do Dragão, com sessões a partir das 14h, sempre de terça a domingo. Em duas semanas, o evento reunirá 44 sessões, distribuídas para a veiculação de 39 longas-metragens e 2 médias-metragens. A programação está dividida em três faixas de exibição: Retrospectiva, Expectativa e Clássicos.

Desse total, 16 filmes que circularam na programação online de festivais em 2020, dentre outras plataformas de streaming, vão ter sua estreia em salas de cinema da capital cearense. O Cinema do Dragão está funcionando de acordo com os protocolos de biossegurança orientados pela Secretaria de Saúde do Estado, em virtude da pandemia do coronavírus. Apenas 35% da capacidade máxima de público de cada sala está liberada. 

Um dos filmes que chega ao circuito "físico" é "Cabeça de Nêgo", dirigido pelo norte-americano, radicado no Ceará, Déo Cardoso. A exibição do longa acontecerá dia 24, às 20h. Ele conta como o lançamento comercial do filme teve de ser adiado: a previsão era para agosto ou setembro do ano passado. No entanto, a produção circulou pela programação de festivais a exemplo do Olhar de Cinema (PR), Mostra Tiradentes (MG, onde houve a estreia nacional, há um ano), Festival de Cinema de La Plata (Argentina) e San Francisco (EUA). 

"O filme atraiu uma atenção e gerou um burburinho bacana. Ele surge da necessidade de lutar contra a práxis do racismo, do fascismo, a partir de onde essas práticas surgem e machucam no dia a dia. Resumindo, a pandemia foi terrível pra todos e todas. Fábricas fechadas, desemprego, salas de cinema fechadas, e algum alento com os bons comentários sobre o filme no fim do ano", atesta o cineasta. 

Ele pontua que, embora esteja feliz com a exibição do filme no Dragão, o público precisa ainda atentar para os cuidados de prevenção do contágio da Covid-19 nos espaços públicos. Com o início da vacinação, Déo vislumbra que a situação para o cinema deve melhorar e espera que "Cabeça de Nêgo" chegue em uma audiência diversa - e esteja acessível ao povo das periferias, em referência a sua própria origem. 

"Os streamings são um barato. São ótimas plataformas e foram extremamente vitais para nossa sanidade mental durante essa pandemia. Mas é uma experiência completamente diferente da completa e fascinante imersão que a sala de cinema traz. O 'Cabeça de Nêgo' mesmo, apesar de chamar atenção na tela menor, ganha uma dimensão e um impacto extremamente poderoso no cinema", reflete Déo Cardoso. 

Cores

"As Cores do Divino", do cearense Victor Costa Lopes, lança um olhar sobre a relação entre religião e sexualidade. O documentário captou a perspectiva de pessoas LGBT+ atravessadas por alguma experiência religiosa, no passado e no presente. O filme será exibido pela mostra no próximo dia 31, às 18h.

O cineasta recapitula que o filme já estava pronto em 2020 e só sofreu interferência da pandemia quanto à distribuição e exibição. Ele viu como as salas de cinema ficariam desativadas por um tempo, e investiu no lançamento virtual. O documentário foi lançado em junho passado, seguiu disponível para locação online e em plataformas de streaming. "Tem sido uma oportunidade de experimentar algo que, muito provavelmente, veio pra ficar", sintetiza. 

Legenda: "As cores do divino", de Victor Costa Lopes
Foto: Divulgação

Além disso, o filme também participou de festivais, como o cearense For Rainbow (voltado às produções audiovisuais na temática LGBT+). O cineasta fortalezense observa que a Mostra Retroexpectativa ocupa um lugar "muito especial" no imaginário do público de cinema de Fortaleza.

"Obviamente é uma pena que a estreia nas salas de cinema aconteça ainda em situação de pandemia, o que limita drasticamente a ocupação que o filme poderia ter presencialmente nos espaços culturais da cidade. Mas não deixa de ser interessante que o filme possa atingir outros públicos em um lugar tão especial", reflete.

Para Victor, não resta dúvida como a sala de cinema proporciona, ao espectador da linguagem, uma experiência única de fruição da arte.

"E particularmente não acredito que ela vá se acabar. Mas acho que a sala de cinema não tem dado conta, sozinha, de todas as demandas audiovisuais que nossa época aponta. Por isso, sou um grande entusiasta das novas plataformas, por entender que elas também possuem um papel na cadeia atual", complementa. 

Serviço
7ª Mostra Retroexpectativa

De 21 janeiro até 3 de fevereiro, na sala 2 do Cinema do Dragão do Mar (Rua Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema). Sessões a partir das 14h. Ingressos custam R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia), de quarta a domingo. Às terças, há promoção: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). As entradas podem ser adquiridas na bilheteria ou pelo site Ingresso.com.

Programação:

Faixa Retrospectiva

O Farol (Robert Eggers, Canadá/Estados Unidos)
Local: Sala 2
Quando: 21/01, 19h40; 30/01, 15h10

Adoráveis Mulheres (Greta Gerwig, Estados Unidos)
Local: Sala 2
Quando: 22/01, 19h40; 29/01, 15h

Os Miseráveis (Ladj Ly, França)
Local: Sala 2
Quando: 26/01, 17h20

Frankie (Ira Sachs, França/Portugal)
Local: Sala 2
Quando: 25/01, 17h50

Tarde para morrer jovem (Dominga Sotomayor, Brasil/Catar/Chile/Holanda)
Local: Sala 2
Quando: 21/01, 15h10

Você não estava aqui (Ken Loach, Reino Unido/França/Bélgica)
Local: Sala 2
Quando: 25/01, 15h35

Fim de Festa (Hilton Lacerda, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 24/01, 14h

Liberté (Albert Serra, França/Portugal/Espanha/Alemanha)
Local: Sala 2
Quando: 26/01, 19h30

Os olhos de Cabul (Zabou Breitman e Eléa Gobbé-Mévellec, França)
Local: Sala 2
Quando: 27/01, 18h

Partida (Caco Ciocler, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 3/02, 17h40

Ontem havia coisas estranhas no céu (Bruno Risas, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 2/02, 15h10

Três Verões (Sandra Kogut, Brasil/França)
Local: Sala 2
Quando: 23/01, 18h

Apocalipse Now - Final Cut (Francis Ford Coppola, EUA)
Local: Sala 2
Quando: 27/01, 14h45

Guerra de Algodão (Cláudio Marques e Marília Hughes, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 24/01, 16h

A Febre (Maya Da-Rin, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 22/01, 15h20

Babenco (Bárbara Paz, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 23/01, 14h

Mulher Oceano (Djin Sganzerla, Brasil/Japão)
Local: Sala 2
Quando: 1/02, 15h35

Pacarrete (Allan Deberton, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 22/01, 17h30; 31/01, 15h30

Sertânia (Geraldo Sarno, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 26/01, 15h

Querência (Helvécio Martins Jr., Alemanha/Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 23/01, 16h; 3/02, 15h30

Pequena Garota (Sébastien Lifshitz, França)
Local: Sala 2
Quando: 25/01, 20h

Um crime em comum (Francisco Márquez, Argentina/Brasil/Suíça)
Local: Sala 2
Quando: 21/01, 17h30

Faixa Expectativa

Sete anos em maio (Affonso Uchôa, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 2/02, 17h40

Vaga Carne (Grace Passô e Ricardo Alves Jr., Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 2/02, 17h40

Sementes: Mulheres pretas no poder (Éthel Oliveira e Júlia Mariano, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 24/01, 17h50

As cores do divino (Victor Costa Lopes, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 31/01, 18h

Os melhores anos de uma vida (Claude Lelouch, França)
Local: Sala 2
Quando: 1/02, 17h45

Dente por Dente (Julio Taubkin e Pedro Arantes, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 3/02, 19h40

PJ Harvey: um cão chamado dinheiro (Seamus Murphy, Irlanda/Reino Unido)
Local: Sala 2
Quando: 29/01, 20h

Perfil de uma mulher (Kojii Fukada, Japão/França)
Local: Sala 2
Quando: 30/01, 19h40

Vitalina Varela (Pedro Costa, Portugal/Cabo Verde)
Local: Sala 2
Quando: 2/02, 19h40

Eu estava em casa, mas... (Angela Schanelec, Alemanha/Sérvia)
Local: Sala 2
Quando: 27/01, 20h

Casa de Antiguidades (João Paulo Miranda Maria, Brasil/França)
Local: Sala 2
Quando: 23/01, 20h

Cabeça de Nego (Déo Cardoso, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 24/01, 20h

Pajeú (Pedro Diógenes, Brasil)
Local: Sala 2
Quando: 31/01, 20h

Faixa Clássicos

Z (Costa Gravas, França)
Local: Sala 2
Quando: 29/01, 17h30

Contos de Verão (Eric Rohmer, França)
Local: Sala 2
Quando: 1/02, 19h45

O Dinheiro (Robert Bresson, França)
Local: Sala 2
Quando: 30/01, 17h40

A Fraternidade é Vermelha (Krystof Kieslowski, França/Polônia/Suíça)
Local: Sala 2
Quando: 28/01, 20h

A Igualdade é branca (Krystof Kieslowski, França/Polônia/Suíça)
Local: Sala 2
Quando: 28/01, 18h

A Liberdade é Azul (Krystof Kieslowski, França/Polônia/Suíça)
Local: Sala 2
Quando: 28/01, 15h

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?