Dia da cachaça: 7 locais para degustar uma boa caninha artesanal em Fortaleza

Além da produção da típica cachaça, a bebida também pode ser encontrada em um formato artesanal. Confira uma lista de lugares para comemorar o Dia Nacional da Cachaça

Legenda: A Embaixada da Cachaça é um dos locais tradicionais e com muitas opções para degustação
Foto: Kleber A. Gonçalves

A cachaça é uma bebida com raízes brasileiras que acompanha a história do País, desde o começo do cultivo da cana-de-açúcar. Em 2010, o Dia Nacional da Cachaça foi definido para ser comemorado em 13 de setembro, em homenagem a liberação oficial para a fabricação e venda  da bebida, que aconteceu nesta data no ano de 1661.

Dentre as opções de consumo da cachaça está a artesanal, que se diferencia a partir do processo de produção. Fabricadas em menor escala, as artesanais se diferenciam também no preço, que costuma ser  mais elevado. Além disso, a fermentação é feita com leveduras selvagens ou selecionadas, de forma natural.

O envelhecimento, processo que evidencia características como sabor, cheiro e cor, é feito em barris de madeira, diferentemente da cachaça normal, que  não tem essas características bem definidas, tornando-se perfeita para o consumo de drinks.

Para quem quer degustar a cachaça artesanal, veja uma seleção de lugares em Fortaleza para conhecer neste Dia Nacional da Cachaça:

1. Boteco do Imprensa

O  bar oferece duas opções das artesanais vendidas apenas em doses, nos sabores Caju e Frutas, que leva abacaxi, goiaba, acerola e morango. A primeira, a que tem maior saída devido ao seu gosto mais doce, custa R$4,90, sendo assim a mais barata. A dose da Cachaça de Frutas é vendida por R$5,50 e entrega um sabor mais cítrico.

Ambas as artesanais são produzidas no Ceará, no processo de barril de alambique. Como iniciativa para celebrar o Dia da Cachaça, o Boteco do Imprensa promoverá hoje rodadas de shots de aguardente grátis a cada hora, a partir das 19h. A noite seguirá com música ao vivo de Elayne Moreno e Thiago Araújo. 
Endereço:  Av. Desembargador Moreira, 2355, Aldeota Horário  de funcionamento: quarta a domingo, de 17h às 23h. 

2. Embaixada da Cachaça

Loja e bar, a Embaixada da Cachaça, possui mais de 400 opções de garrafas para a venda e 60 opções disponíveis no bar para serem servidas em doses. Com maior quantidade das cachaças artesanais produzidas em Minas Gerais, estado que concentra a maior cultura da  bebida junto com o Rio de Janeiro, as garrafas também são compradas de outras regiões do país.

Dentre as cachaças artesanais mais consumidas estão a Famosinha de Minas, a Vale Verde, a Germana Caetano e a Claudionor. As de sabores mais diferentes servidas  na Embaixada são a Banabee com sabor de banana, a Honey Hunter de laranja e gengibre, a Ouro 1 Vida Boa de mel e limão e a Jambucana ou Meu Garoto, que são à base de extrato de jambu. Sobre as diferenças de preço, a cachaça alambique ou artesanal é vendida  a partir de R$35,00 e chega a R$1000,00, a exemplo da Havana.
Endereço:  Rua João Brígido, 1245, Joaquim Távora. Horário  de funcionamento: segunda, de 10h30 às 23h; terça e quarta, de 10h às 23h; quinta e sexta, de 10h à 00h; sábado, de 10h30 às 19h.

3. Cantinho do Frango

As  cachaças são vendidas em doses, garrafas e compõem três drinks da casa: o Maranguape, Rabo de Galo e a famosa caipirinha. As misturas à base de cachaça conferem um sabor exótico, como a Banana Mineirinha e a Jambu Cachaça, com jambu e licor de chocolate na  composição, que provocam uma sensação de dormência na boca.

As cachaças artesanais mais pedidas pelos clientes no Cantinho do Frango são a Germana Caetano, a Seleta, a Colonial Tradição e a Cedro do Líbano. Dos estados brasileiros, as cachaças artesanais do  bar vêm do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraíba, Pará, e claro, do Ceará. A carta oficial abrange cerca de 450 marcas que variam de R$44,00 a R$2000,00.
Endereço:  Rua Torres Câmara, 71, Aldeota. Horário  de funcionamento: segunda a quinta, de 10h às 16h; sexta, de 10h às 22h30; sábado e domingo, de 9h às 19h.

Legenda: A dose de cana varia de valores dependendo da fabricação
Foto: Foto: Fernanda Siebra

4. Buteco  do Raul

No cardápio de cachaças artesanais o Buteco do Raul oferece 5 opções de garrafas, que podem ser vendidas também em doses. Os produtos são trazidos de São Paulo, Minas Gerais, e das cidades cearenses de São Gonçalo e Maranguape, nome da cachaça artesanal mais  pedida do bar. Em relação ao preço, a mais barata é a Velha Coroca, também de Maranguape, vendida por R$25,00 a garrafa e R$2,50 a dose. Já a mais cara é a Cedro do Líbano, com valores de R$120,00 a garrafa e R$25,00 a dose.

A diferença entre as cachaças artesanais  do Buteco do Raul refere-se ao tipo de barril em que a bebida foi conservado e a sua idade. Dentre as mais antigas está a Douradinha, produzida em 1980 e vendida por R$60,00. Nos barris de bálsamo e carvalho, os mais valorizados, foram feitas as cachaças artesanais  Salinas, uma única marca, mas com barris diferentes. Além disso, a bebida também pode ser encontrada na caipirinha de pitaia, morango, kiwi, limão siciliano, cajá e a tradicional de limão.
Endereço:  Rua Azevedo Bolão, 2102, Parquelândia. Horário  de funcionamento: terça a sábado, de 11h30 à 00h

5. Stilo Mineiro

Localizado  em Eusébio, região metropolitana de Fortaleza, o bar fornece as cachaças artesanais apenas em doses a partir de R$7,90 e têm preço máximo de R$10,90. O foco do Stilo Mineiro são as cachaças artesanais com sabores mais comuns, sem opções diferentes ou exóticas.  

Dentre elas, que formam um cardápio de 13 opções, a preferida dos consumidores é a Sabor de Minas, produzida em Minas Gerais, de onde são trazidas a maior parte desses produtos. 
Endereço:  Av. Manoel Mavignier, 4131, Lagoa Redonda, Eusébio. Horário de funcionamento: todos os dias, de 09h às 16h.

6. Engenho Dedé

Com  outras unidades espalhadas pelo país, o Engenho Dedé oferece 240 opções de cachaças artesanais no cardápio. Produzidas em Minas Gerais, as cachaças são embaladas com o nome da marca por uma empresa parceira do restaurante.

Elas podem ser encontradas tanto  em doses, em garrafas ou na caipirinha. A mais procurada pelos clientes está na lista das cachaças artesanais mais diferentes: a Jambucana, uma versão com jambu, melaço de cana, gengibre e canela, responsáveis pela sensação de dormência. A Cachaça Dedé Prata  representa a mais barata do cardápio, custando R$44,90 e a Dedé Imperial, a edição limitada de 10 anos de barril de carvalho, custa R$1290,00, sendo a mais cara. 
Endereço: Av. Washington Soares, 85, Edson Queiroz. Horário de funcionamento: todos os dias, de 11h à 01h

7. Seu Zé - Bodega

Dentre as opções das cachaças artesanais, 20 são servidas em doses, e 5 estão disponíveis para a venda em garrafas, não podendo faltar a caipirinha. Os principais pedidos são comprados de Minas Gerais, a Claudionor e a Famosinha de Minas, e do Ceará, a Coroca, produzida  em Maranguape. A cearense, inclusive, é a mais barata do cardápio, custando R$40,00 a garrafa e R$6,00 a dose.

A Reserva é vendida apenas em dose, por R$14,00 e a Claudionor por R$80,00 a garrafa, e a dose por R$ 7,00. Para quem gosta de sabores diferenciados,  as escolhas perfeitas são as cachaças Banabee, de banana, e a Honey, de laranja, cravo e mel. 
Endereço:  Rua Carlos Vasconcelos, Aldeota. Horário  de funcionamento: terça a sexta, de 17h à 00h; sábado, de 11h à 00h


Assuntos Relacionados