Destroços da escultura 'Mulher Rendeira' são encontrados em Fortaleza

Desde 1966, obra do artista plástico Corbiniano Lins ficava e uma agência do Banco do Brasil localizada no Centro de Fortaleza. Trabalho de restauração ainda não foi definido pela instituição

Fotografia
Legenda: Um vídeo com os destroços da escultura "Mulher Rendeira" passou a circular na internet
Foto: Reprodução

Os restos da escultura "Mulher Rendeira" foram finalmente localizados. Entretanto, o processo de restauração da obra ainda será definido pelo Banco do Brasil. 

Para alívio dos cearenses, no início da tarde da segunda-feira (1), um vídeo com os destroços da escultura passou a circular na internet. A imagem revela pedaços da rendeira pelo chão. É possível perceber a cabeça pernas e pés da personagem tão importante à cultura local.

A obra em pedações foi resgatada pelo professor José Viana, que se deslocou imediatamente ao local onde ocorria a obra logo que soube que a escultura havia sido atingida, na sexta-feira (29). Ele recolheu os destroços, levando-os para casa em sua Kombi. 

A sociedade cearense testemunhou um novo descaso com a memória cultural do Estado. No último final de semana, a notícia do desaparecimento da escultura 'Mulher Rendeira' gerou revolta e apreensão nas redes sociais.

Artistas, arquitetos, pesquisadores e entidades denunciaram que a obra do artista plástico Corbiniano Lins tinha sido destruída a marretadas. E pior, o paradeiro do que sobrou da peça seguia desconhecido.

Em nota, o Banco do Brasil explicou que a retirada da escultura foi "resultado de erro de execução no projeto de engenharia, que previa a remoção da escultura durante as obras exatamente para protegê-la, com sua posterior reinstalação".

Colocou ainda que está em contato com as autoridades e intervenientes para encontrar os meios adequados de restaurar a obra, considerando aspectos legais e artísticos envolvidos. Disse também que adota ações que levarão à sua reinstalação. 

Entidades como o Instituto dos Arquitetos do Brasil (Departamento Ceará) e Secretaria da Cultura de Fortaleza criticaram e cobraram respostas. Já na segunda, a Coordenaria de Patrimônio Cultural e Memória da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult-CE) prestou apoio e informou estar em contato com José Viana e com a assessoria do banco.

"Estamos nos colocando à disposição para auxiliar no restauro da obra pela Escola de Artes e Ofício Thomaz Pompeu Sobrinho e, em último caso, a possibilidade de sua instalação na praça Luiza Távora, junto ao CEART", apontou Fabiano dos Santos Piuba.

"Sabemos que essa não é a melhor alternativa. O lugar da obra de arte 'Mulher rendeira' do escultor pernambucano José Corbiniano Lins é no jardim da agência do Banco do Brasil na Duque de Caxias e o Banco do Brasil também já vem tomando providências para tal feito", apontou o gestor.

O professor José Viana conseguiu resgatar os pedaços destruídos da obra Mulher Rendeira
Legenda: O professor José Viana conseguiu resgatar os pedaços destruídos da obra Mulher Rendeira
Foto: Reprodução/Facebook

Recuperação do monumento

José Viana relatou em postagem no Facebook que ficou sabendo da situação da estátua na sexta-feira (29), por volta do meio-dia, ao se deparar com informações nas redes sociais. 

"Ao chegar no local me deparei entristecido com a escultura dentro do contêiner de lixo, toda desmembrada e com alguns danos causados pelas marretadas dadas pelos operário da construção". O professor, então pediu autorização ao encarregado da obra para levar o monumento consigo. Segundo ele, o homem chegou a dizer que os restos seriam levados à um centro de reciclagem no bairro Jangurussu e seriam vendidos como entulhos. 

Em casa, Viana tentou entrar em contato com amigos da área da cultura, buscando orientação sobre como lidar com a obra. Ele tentou ir ao 34º Distrito Policia para prestar boletim de ocorrência, mas não conseguiu, uma vez que a delegacia não está prestando o serviço presencialmente. Apesar de ver a movimentação nas redes sociais, José Viana afirma que preferiu não se manifestar publicamente no momento para tentar se resguardar e cumprir todos os encaminhamentos necessários. 

O professor esteve nesta segunda-feira com a gerência do Banco do Brasil, que o agradeceu pelo ato. Viana também está recebendo acompanhamento institucional da Secretaria de Cultura de Fortaleza (SecultFor). 

"Reitero que desde o início meu intuito foi de proteger a obra e salvá-la dessa situação, para que futuramente ela pudesse voltar a residir e embelezar as ruas de nossa cidade, de onde nunca devia ter saído, e isso acontecerá o mais breve possível", conclui.