Vendas do comércio cearense caem 9,9% em março

É a maior queda nessa base de comparação desde abril de 2020, quando as vendas despencaram 23,7% no primeiro mês completo de medidas de isolamento social

Shoppings
Legenda: Na comparação entre março deste ano e igual período do ano passado, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 8%
Foto: Camila Lima

As vendas do comércio varejista ampliado - que inclui material de construção e veículos, partes e peças - caiu 9,9% no Ceará em março na comparação com o mês anterior. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta sexta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É a maior queda nessa base de comparação desde abril de 2020, quando as vendas despencaram 23,7% no primeiro mês completo de medidas de isolamento social.

Já em relação a março do ano passado, houve crescimento de 8% nas vendas do comércio cearense. O primeiro trimestre de 2021 fechou com relativa estabilidade (0,3%), mas os 12 meses encerrados em março acumulam queda de 4,4% das vendas.

Atividades

O crescimento das vendas na comparação com março do ano passado foi catapultado pelo comércio de veículos, motocicletas, partes e peças, que saltou 35,8% no período, e de material de construção, que cresceu 46%.

A receita nominal do comércio varejista ampliado cearense caiu 9,6% em março deste ano na comparação com fevereiro. Já em março na comparação com igual período do ano anterior, a receita nominal do varejo ampliado no Ceará avançou 19,2%.

Brasil

No País, o volume de vendas do varejo ampliado caiu 5,3% frente a fevereiro, sob influência dos setores de veículos, motos, partes e peças (-20%) e material de construção (-5,6%).

Ante março de 2020, o avanço de 10,1% no País foi acompanhado por 26 das 27 UFs, com destaque, em termos de contribuição, para Santa Catarina (25,8%), São Paulo (2,9%) e Minas Gerais (9,6%). Por outro lado, pressionando negativamente, aparece apenas Tocantins (-1,4%).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios