Lingerie: compras no NE superam a média brasileira

O interesse das consumidoras da Região por informações sobre moda íntima também é superior a do País

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Para quem costuma adquirir as peças em lojas físicas, o bom atendimento e a variedade de peças são os maiores diferenciais. Em seguida, aparecem aspectos como descontos e preços dos produtos
Foto: FOTO: FABIANE DE PAULA

O comportamento de compra das consumidoras de moda íntima varia de região para região em todo o Brasil. Conforme levantamento mais recente, realizado em fevereiro pelo IEMI Inteligência de Mercado, as mulheres do Nordeste apresentaram uma média de compra de 5,6 vezes por ano. Frequência levemente acima da média geral registrada no País, de 5,5 vezes.

A média de gasto no Nordeste com moda íntima verificado no período foi de R$ 119,20, valor superior apenas ao registrado na região Sul (R$ 111,29). Sudeste é a região que lidera o ticket médio (R$ 138,50) de gastos.

Na pesquisa, a maioria (67%) das mulheres nordestinas declarou se informar mais sobre moda íntima feminina, índice também acima da média geral no País (62%). O principal motivo para realizar a compra de itens do segmento foi a "Vontade de me sentir bonita/bem vestida", opção indicada por 17% delas. A segunda motivação de escolha seria mais prática, como a de "substituir uma peça antiga". No Brasil, essa última opção foi a indicada pela maioria (45%).

Leia ainda:

As mulheres do Nordeste também foram as consumidoras que mais indicaram (71%) "ter visto o produto em outra oportunidade". O percentual é superior à média geral de todas as regiões, que foi de 65%.

Formas de pagamento

No levantamento realizado em fevereiro, o IEMI detectou ainda diversas mudanças e insights nos hábitos das consumidoras, principalmente no que diz respeito ao uso da internet na decisão de compra. As mulheres da Região demonstraram maior interesse (21%) em pesquisar sobre "as formas de pagamento" de itens de moda íntima na rede, antes de efetuar uma compra. Já a média geral chegou a 13%.

Participaram do estudo 1.253 consumidoras de produtos de moda íntima, de todas as classes sociais, com idade acima de 18 anos e residentes em diversas cidades do País.

Atributos da loja

Consumidoras que compraram em lojas físicas de todo o País indicaram como principais atributos para escolha o "bom atendimento" e a "variedade dos produtos" (42% em média), seguidos por "bons descontos/promoções" e "preços mais baixos" (29% em média).

Já os principais motivos que as fizeram rejeitar uma loja, foi o "mau atendimento" e os "preços serem acima da concorrência" (45% em média), seguidos pelo fato de a "loja não ter todos os tamanhos" (23%) e "a vendedora ficar andando atrás de mim" (22%).