moda íntima

Setor se destaca na geração de emprego e renda no CE

01:00 · 14.07.2018
Image-0-Artigo-2426553-1
Trabalhando há nove anos na Econfort, Rosimeire de Sousa se diz feliz por trabalhar no bairro onde mora

O segmento de moda íntima movimenta toda uma cadeia produtiva, fomentando consequentemente a abertura de muitas vagas de emprego no Ceará. Além de empresas como a Liebe e a Econfort, que geram cerca de 350 e 180 empregos diretos, respectivamente, há municípios cearenses em que boa parte da população vive em função da produção de moda íntima.

Frecheirinha, cidade localizada a 58 km de Sobral, se destaca hoje como um dos maiores polos produtores do segmento no Ceará, gerando oportunidades em áreas administrativas, de costura, supervisão, entre outras, para cerca de 4 mil pessoas.

Número expressivo para uma cidade com aproximadamente 15 mil habitantes, endossa Fabiano Aguiar, presidente da Associação dos Confeccionistas de Frecheirinha (Ascof) e diretor da Excelência Lingerie.

Leia ainda:

> Moda íntima do Ceará aposta em inovação e se destaca no mercado
> Ousadia e tecnologia são receitas para crescer 
> Lingerie: compras no NE superam a média brasileira 
> Hub aéreo ajudará a reduzir custos

"A gente vem enfrentando dificuldades, mas não deixamos de investir. Temos máquinas eletrônicas que já fazem o risco de corte pelo computador, participamos de grandes feiras buscando novidades e inspirações da moda e agora aguardamos o Governo do Estado construir o nosso polo de lingerie".

Conforme Aguiar, a prefeitura da cidade já doou um terreno legalizado, às margens da BR-222, para que um shopping/polo de lingerie seja construído. O projeto está pronto e prevê a abertura de até 40 lojas, dos ramos de alimentação e de confecção, principalmente de lingerie.

"Seria um investimento mínimo para o governo, mas que traria um grande crescimento para a cidade, com mais empresas e empregos". A Ascof conta com dez empresas associadas e, com o uso de televendas, as peças confeccionadas na região são demandadas em todo o Brasil.

Oportunidade

Funcionária da fábrica da Liebe, em Fortaleza, Regina Rodrigues comemora o seu desenvolvimento profissional junto ao crescimento da empresa. "Venho acompanhando a evolução da marca ao longo desses 13 anos e ainda tive a oportunidade de trabalhar como costureira e depois como supervisora de produção", conta. Para ela, a fábrica traz benefícios também para o bairro (Autran Nunes), já que a maioria dos funcionários são moradores do entorno.

Benefícios

Rosimeire de Sousa é costureira da Econfort há nove anos e se diz satisfeita por morar no mesmo bairro (Quintino Cunha) onde fica a fábrica. "A gente produz aqui umas 80 peças por dia, mas em grupos de 12, 13 pessoas. Temos um prêmio de produção, plano de saúde e gosto de trabalhar aqui porque é perto de casa", afirma.

Além de Fortaleza e Frecheirinha, o presidente do Sindicato das Indústrias de Confecção de Roupas e Chapéus de Senhora no Estado do Ceará (Sindconfecções), Elano Martins Guilherme, cita o distrito de Sítio Alegre, na cidade de Morrinhos, como destino onde "praticamente toda a população" trabalha com moda íntima. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.