Emprego temporário: confira perfil das vagas e áreas com mais oportunidades no Ceará

Segundo Sine/IDT, oportunidades se concentram nas atividades de comércio e serviços e oferecem remunerações de 1,5 a 2 salários mínimos

fotografia
Legenda: Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL), estima que, todo ano, cerca de 4 mil vagas são ofertadas pelo comércio varejista.
Foto: Helene Santos

A temporada de vagas temporárias de fim de ano já iniciou no Ceará. As atividades de comércio e serviços são as que costumam abrir mais oportunidades. Confira as principais características da modalidade no Estado.

O Sistema Nacional de Emprego do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Sine/IDT) já disponibilizou 80 vagas temporárias em novembro até o momento, sendo a maioria delas para comércio (37) e serviços (24). Apesar de em menor escala, indústria (6) e construção civil (6) também estão contratando temporários.

No acumulado do ano, já foram abertas 4,53 mil vagas temporárias no Estado, com foco predominantemente em serviços (2,24 mil). O gerente da unidade de atendimento do Sine/IDT no Pecém, Grijalba Marques, explica que, pela configuração da economia cearense, durante todo o ano, o setor de serviços é o que mais abre vagas temporárias, mas que no fim de ano o comércio assume o protegonismo.

"Esse ano está sendo atípico, serviços está com uma quantidade menor de vagas comparado a outros anos. Nós temos o fator da pandemia e da incerteza sobre a movimentação turística e também temos as mudanças causadas ainda pela reforma trabalhista com o emprego intermitente", explica.

Ele acredita que o setor irá ofertar mais oportunidades de última hora no início de dezembro.

  • Qual é a faixa salarial média?

Segundo dados do Sine/IDT, a maioria das vagas temporárias ofertadas no Ceará oferecem remuneração que varia de 1,5 a 2 salário mínimos. No entanto, no caso do fim de ano, a prevalência é que os ganhos sejam variáveis por haver a presença de comissão e gratificações. Das 80 vagas ofertadas em novembro, 71 delas indicaram salário a negociar.

Marques lembra que, apesar de ser variável, a remuneração mínima é de um salário mínimo, fixado em R$ 1.045 este ano.

  • Quais são as principais exigências dos recrutadores?

Já em relação aos requisitos, o mais comum é a exigência apenas de ensino médio completo, caso de 57 vagas em novembro. Este mês, ainda houveram 7 oportunidades sem escolaridade exigida, seguida por ensino fundamental incompleto (6), ensino fundamental completo (6), ensino médio incompleto (3) e apenas uma exigiu ensino superior completo.

O gerente do Sine/IDT aponta que essa característica prevalece durante todo o ano e alerta que os empregadores não podem fazer discriminação. "Não é mais permitido, na hora da capitação, exigir que o contratado seja homem ou mulher, esteja em determinada faixa etária, etc", destaca.

  • Porte das empresas

Apesar da crescente participação das pequenas empresas na oferta de vagas temporárias, os empregadores de grande porte ainda não responsáveis por parte significativa do contingente no Estado. Dos 80 postos de trabalho disponibilizados este mês, 51 deles são para grandes empresas e apenas 11 para pequenas. As médias empresas, até o momento, abriram 9 vagas, segundo o Sine/IDT.

Marques pontua que, pela natureza das atividades e porte de atendimento, as grandes empresas acabam precisando de mais funcionários para atender o crescimento da demanda do que as pequenas.

Confira abaixo a lista dos cargos mais comuns em vagas temporárias no Ceará este ano:

- Operador de computador
- Garçom
- Alimentador de linha de produção
- Trabalhador da pecuária
- Agente de segurança
- Vendedor varejista
- Cartazeiro
- Mecânico de manutenção
- Faxineiro
- Soldador
- Servente de obras
- Assistente administrativo
- Eletricista de manutenção eletrônica
- Técnico de manutenção eletrônica
- Operador de telemarketing receptivo

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios