Ceará é o estado com maior investimento público do País pelo sexto ano seguido

Segundo a secretária da Fazenda, Fernanda Pacobahyba, em 2020 foram investidos R$ 2,48 bilhões, o correspondente a 11,3% da Receita Corrente Líquida (RCL)

Legenda: O valor chega a superar em 12,33% o montante investimento em 2019.
Foto: Natinho Rodrigues

Mesmo em meio à crise instaurada pela pandemia, o Governo do Ceará realizou investimentos da ordem de R$ 2,48 bilhões em 2020, o correspondente a 11,3% da Receita Corrente Líquida (RCL) do Estado, que é a soma de todas as receitas tributárias. O percentual foi o maior entre os estados brasileiros pelo sexto ano seguido.

A informação foi divulgada pela secretária da Fazenda do Ceará, Fernanda Pacobahyba, durante apresentação das metas fiscais a deputados estaduais na tarde desta segunda-feira (1º).

Conforme a secretária, o valor chega a superar em 12,33% o montante investimento em 2019, que representou 10,59% da RCL daquele ano e também foi o maior do País.

"Esses 11,3% da RCL que foram para investimento público no ano passado é quase o dobro da média nacional, que ficou em 5,8%. Chegamos ao sexto ano seguido em primeiro lugar do Brasil", ressalta Pacobahyba.

Em valores absolutos, o Ceará conquistou o terceiro lugar do País, atrás apenas do Paraná (R$ 3,07 bilhões) e de São Paulo (R$ 8,22 bilhões). "Observem, que o Paraná tem uma economia que é quase o triplo da do Ceará", pontua a titular da Sefaz.

"Investimento público é política focada para transformar a vida das pessoas. Isso movimenta a economia. O Estado tendo essa possibilidade, ele gera uma cadeia positiva, que não é de hoje", acrescenta.

Gastos com saúde

Os gastos com saúde cresceram 26,42% no ano e ultrapassaram os R$ 4 bilhões, segundo Pacobahyba. Ela aponta que o valor corresponde a 16,54% da Receita Líquida de Impostos e Taxas (RLIT), ultrapassando em 4,54 pontos percentuais o mínimo constitucional de 12% da RLIT.

As despesas com educação também ultrapassaram o piso de 25% da RLIT e chegaram a 27,1% em 2020.

Já os gastos com pessoal, que é referente ao pagamento de rendimento de servidores públicos, do Executivo reduziram levemente para 40,55% da RCL. As despesas com pessoal de todos os poderes soma 49,51% da RCL

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios