Buscando novos destinos, europeus são maioria nos voos da Air France entre Paris e Fortaleza

O novo diretor para a América do Sul da companhia, Manuel Flahault, ressalta ainda o potencial e atrativos do Nordeste no retorno das operações

Legenda: Manuel Flahault assumiu a direção geral para a América do Sul do grupo Air France-KLM há pouco mais de um mês.
Foto: Divulgação

Adiada diversas vezes em função da pandemia, a volta dos voos da Air France-KLM ligando Fortaleza a Paris deve finalmente acontecer no próximo dia 22 de outubro. Com três frequências por semana, a operação deve trazer um contingente significativo de turistas europeus ao Estado.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, o novo diretor da companhia para a América do Sul, Manuel Flahault, revelou que as vendas estão apresentando um desempenho acima do esperado pela empresa.

Ele pontua que, para os voos até o fim do ano, o que se observa é um número maior de passageiros vindos da Europa para o Brasil do que brasileiros indo para o velho continente, proporção que, antes da crise sanitária, era de 50% para cada.

Sem revelar números, o executivo garante que mais da metade dos assentos está destinada para passageiros europeus com destino ao Brasil, mais especificamente ao Nordeste. 

"Isso acontece por causa da estação do ano. Agora é inverno na Europa. Os europeus estão procurando por bons lugares para descansar e que tenham algum sol. Portanto, esperamos que o potencial do Nordeste seja aproveitado", afirma.

Embora esteja confiante e otimista, Flahault ressalta que a Air France está focada na força e segurança dessa reinauguração, tendo em vista o cenário ainda muito incerto causado pelo vírus. Dessa forma, os planos da companhia estão sendo limitados a curto prazo, em até cinco meses.

Com três frequências semanais, Fortaleza será a capital do Nordeste com mais voos internacionais por semana, segundo o secretário do Turismo do Estado, Arialdo Pinho. Ao todo, o Aeroporto de Fortaleza terá sete operações, sendo as outras quatro para Portugal, operadas pela TAP.

Pinho ressalta que a recuperação da aviação civil irá impulsionar novamente o turismo local, que deve ser destaque no País nos próximos meses.

Mercado cearense

O executivo lembra que os voos de Fortaleza foram uma forte aposta de seu precursor Jean-Marc Pouchol, que reconheceu o potencial da capital cearense e a possibilidade de crescimento que a operação traria para a companhia.

Ele justifica que um dos fatores que torna o trecho Fortaleza-Paris tão interessante para a empresa é exatamente essa busca dos europeus por novos destinos, o que coincide com a vasta disponibilidade de praias no Nordeste.

"Hoje, a maioria das fronteiras asiáticas estão fechadas para europeus. Então, eles estão procurando por lugares bonitos, praias maravilhosas e naturalmente nós acreditamos que essas pessoas estão olhando mais e mais para o Brasil. Esta é minha primeira vez em Fortaleza e já vejo o potencial de atração que há aqui"
Manuel Flahault
Diretor para a América do Sul da Air France-KLM

Além disso, Flahault indica que o Nordeste representa um potencial interessante para a Air France no transporte de carga, especialmente de frutas frescas.

Questionado se ainda há espaço em Fortaleza para novos investimentos, o executivo reitera que a companhia está trabalhando com planos a curto prazo, mas que segue monitorando e avaliando novas oportunidades.

Avião KLM
Legenda: O retorno das operações da KLM ligando Fortaleza a Amsterdã ainda não tem previsão para acontecer.
Foto: Kleber Gonçalves

Voos para Amsterdã seguem sem previsão de retorno

Embora os voos para Paris já estejam com volta iminente, o retorno das operações da KLM ligando Fortaleza a Amsterdã, na Holanda, ainda não tem previsão para acontecer.

O diretor do grupo ressalta que, por enquanto, a empresa está focada no retorno e desempenho das frequências da Air France.

"O cenário ainda é muito incerto. Somente agora as fronteiras dos Estados Unidos estão sendo reabertas. Quando a KLM irá voltar para Fortaleza, eu não sei dizer. Nós gostaríamos (de retornar), de ter uma posição forte para ambas as marcas, Air France e KLM, em Fortaleza, mas não podemos garantir"

Flahault ainda destacou a solidez e satisfação da parceira entre a Air France-KLM e a Gol. Segundo o executivo, o trabalho que vem sendo desempenhado nos últimos anos é satisfatório, mas as empresas buscam a contínua melhora da conectividade entre os trechos internacionais e nacionais.

Legenda: Com volta dos voos para Paris, Fortaleza deve ser a capital nordestina com mais operações internacionais.
Foto: Divulgação

Nova gestão

Anunciado oficialmente para a diretoria geral para a América do Sul do grupo Air France-KLM há mais de um mês, Manuel Flahault revela que o foco no consumidor e na sustentabilidade são os dois principais objetivos de sua gestão, fatores que devem guiar os passos da empresa nos próximos meses.

Ele se orgulha em lembrar que as operações que conectam o Brasil à França foram suspensas apenas pelo tempo em que vigoraram severas medidas restritivas entre os dois países.

"Nós nunca paramos de investir para promover ao consumidor uma experiência segura, flexível e confortável. Nós sabemos que muitos clientes desistiram de voar porque as fronteiras estavam fechadas. Mas nós sempre propusemos uma solução, talvez não todo dia, mas uma ou duas vezes por semana", frisa.

A renovação da frota de aviões pelo Boeing 787-9 Dreamliner vai em linha com as duas prioridades mencionadas. Por ser uma aeronave maior e mais silenciosa, o avião proporciona maior conforto aos passageiros, além de consumir menor combustível, o que reduz os níveis de poluição.

O modelo passou a ser utilizado no trecho Fortaleza-Paris em março de 2020 e deve retornar para a reinauguração da rota.

"A Air France-KLM está convencida que a demanda sustentável é a chave para os clientes decidirem por qual companhia eles irão viajar", pontua Flahault.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios