De chapéu de cowboy a relógio: idosos em abrigos contam o que esperam receber de Natal em 2020

Em um ano marcado pela distância, abrigos na Capital arrecadam doações

Aos 67 anos, Margarida deseja ganhar um relógio dourado ou um vestido
Legenda: Aos 67 anos, Margarida deseja ganhar um relógio dourado ou um vestido "bem bonito" para este Natal
Foto: Divulgação/ Lar Três Irmãs

Para o fim de ano, o paraibano de 64 anos quer receber uma bermuda, um par de chinelos e um chapéu. Por trás da escolha inusitada, lembranças da terra natal: “É para lembrar da Paraíba. Usava muito o chapéu. É para matar a saudade da roça”, explica o idoso, que não teve o nome divulgado.

Ele é um dos 70 idosos acolhidos no Abrigo Olavo Bilac, em Fortaleza. De responsabilidade da Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social (STDS) do Governo do Estado, o lar temporário para idosos participa da campanha Um Sonho Pra Chamar de Meu, organizada pelo Instituto João Carlos Paes Mendonça (IJCPM) de Compromisso Social e do shopping RioMar Kennedy. 

É a quinta edição do projeto na Capital. O objetivo é contribuir para o Natal de idosos em lares temporários com presentes doados por voluntários. Quem escolhe o que gostaria de ganhar é o próprio idoso. Para participar do projeto, é preciso nome, idade e a lista de desejos. 

Na casa há pouco menos de um ano, é a primeira vez que o paraibano participa da ação. Bem no começo de 2020 contraiu Covid-19, mas conta que os sintomas foram leves. “Quase nenhum sintoma”, relembra. Apesar de a pandemia ter reduzido a visita de familiares por conta das medidas sanitárias, o que não falta para ele são motivos para alegria. “Isso vai passar. Por aqui pelo abrigo a decoração está tão bonita, todo mundo animado. Os desenhos da casa, as decorações. Só quero amizades, paz e o amor do pessoal do abrigo”, enumera o idoso. 

Mais presentes

Há quase três anos no Lar Três Irmãs, em uma sede em Fortaleza, Margarida Maria Vieira de Brito, de 67 anos, espera receber um relógio dourado ou um vestido “bem bonito” para passar a noite de Natal. “Espero muita coisa boa desse Natal”, comenta a idosa, que diz sentir falta da rotina com o filho, agora distante devido à pandemia. 

Margarida, que sofre com a doença de Parkinson, deseja para 2020 uma melhora no tremor frequente. “Queria mesmo era ficar boa. Essa doença atrapalha muito a minha vida”, lamenta. 

Já na Casa de Nazaré, no Montese, Francisca da Silva, de 74 anos, deseja ganhar um ventilador novo de presente no Natal deste ano, "porque o meu já está velhinho". 

A idosa fez três anos na casa e deseja, ainda para este Natal, a liberdade de sair e receber visitas, ações suspensas no período da pandemia. "Eu sei que a gente precisa se conformar pela saúde da gente. Só vejo meu sobrinho quando ele vem deixar meu dinheiro, mas sinto falta", diz.

Diagnosticada com Parkinson, a idosa pede pela melhoria da saúde em 2021
Legenda: Diagnosticada com Parkinson, a idosa pede pela melhoria da saúde em 2021
Foto: Arquivo pessoal/ Lar Três Irmãs

Memórias 

Outro idoso, de 81 anos, também encara o encerramento do ano como momento para gratidão. “A gente fica meio assim, mas tenho que agradecer pelas pessoas. Faz parte de estar nessa família que a gente construiu. Eu não tenho contato com a minha família, mas a minha família é quem mora aqui comigo”, conta. Cobrador aposentado, o idoso também participa da campanha do Abrigo Olavo Bilac. Há 11 anos na casa, ele repete em 2020 o pedido do ano passado: “Um chapéu de cowboy. Eu uso muito. Quando o meu tá perto de ficar velho, peço outro”, justifica. 

As memórias da infância também motivaram o senhor a insistir mais um ano no presente natalino. “Uso desde menino. Meu pai tinha uns animais e sempre ajudava ele com chapéu de couro, chapéu de vaqueiro”. Vaidoso, o idoso não descarta o estilo que a peça traz ao seu guarda-roupa.

Como presentear

No Lar Três Irmãs, com sedes em Fortaleza e em Caucaia, 44 idosos já fizeram a lista de presentes para o Natal de 2020. A maioria dos pedidos são de autocuidado, como perfume, roupas e pijama. Para prevenir o contágio por conta do coronavírus, os padrinhos e as madrinhas não podem visitar o presenteado. 

O interessado deve entrar em contato com o lar, identificando nome, telefone de contato e o idoso que deseja presentear. A lista com todos os idosos que esperam por presentes está disponível nas redes sociais do abrigo.

O endereço para entrega das contribuições depende do local onde o idoso está hospedado: 

Fortaleza: Rua Joaquim Pimenta 291, Montese
Caucaia: Av. Principal, 709, Est. Garrote, Cumbuco (próximo ao santuário de Santa Edwiges) 

Para presentear os idosos da Casa de Nazaré, o doador por entrar em contato com a associação pelas redes sociais ou através do telefone (85) 98415-5006.

A contribuição para a campanha "Um Sonho pra Chamar de Meu" pode ser feita de forma virtual, no site da ação. Na página inicial, o doador encontra os pedidos feitos ao Papai Noel. Basta escolher uma nuvem de pedido, clicar na opção “adotar um sonho” e levar o presente solicitado até o dia 22 de dezembro ao SAC do RioMar Kennedy (Piso L1), no horário de funcionamento do shopping (segunda a sábado, 10h às 22h, e aos domingos, das 13h às 21h). 

Também é possível presentear através da área de “Ação Solidária” da plataforma digital de vendas RioMar Kennedy Online, até o dia 21, com doação a partir de R$ 10, que será destinada diretamente para o Lar Torres de Melo.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores