Com a liberação de público, cinemas, museus e bibliotecas no Ceará precisam correr para se readaptar

A partir de segunda-feira (14) estes equipamentos culturais voltam a realizar atividades presenciais. Sem dinheiro, bibliotecas comunitárias de Fortaleza devem reabrir somente em 2022

Esta é uma foto do Cinteatro São Luiz por dentro, com poltronas e tela a vista
Legenda: Cineteatro São Luiz é um dos espaços que podem reabrir por conta do novo decreto estadual
Foto: Guilherme Silva

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, na última sexta-feira (11), o retorno de público a bibliotecas, museus e cinemas no Ceará. A reabertura ocorre em quase todo o Estado, exceto a região do Cariri cearense. Como o novo decreto vale a partir de segunda-feira (14), as restrições continuam durante este fim de semana (12 e 13 de junho).

Segundo o Diário Oficial do Estado (DOE) publicado no dia 12, está liberado "o funcionamento de museus, bibliotecas e cinemas, observadas as regras estabelecidas em protocolo sanitário, bem como a limitação de capacidade de 50% (cinquenta por cento), para museus e bibliotecas, e de 30% (trinta por cento), para cinemas". Mesmo assim, a volta das atividades presenciais é motivo de comemoração.

O comércio, por exemplo, prevê incremento da circulação de pessoas nos shoppings do Ceará. Desde maio, o setor cobra a reabertura com a proposta de funcionamento com 30% a 50% da capacidade. No final de agosto de 2020, cinemas e museus foram reativados com capacidade limitada a 35%.

O mercado cultural é uma das áreas mais impactadas pela pandemia do novo coronavírus. Mesmo com a liberação, a reabertura plena e imediata será um desafio para quem atua no meio. Sem poder oferecer segurança aos visitantes torna-se inviável reabrir alguns equipamentos no atual momento. 

Faltam recursos

Segundo a articuladora da Rede de Leitura Jangada Literária, Sâmia Alves, as bibliotecas comunitárias atendidas pela instituição só voltarão a contar com público em 2022. A falta de recursos financeiros é o grande entrave.

"Nossa previsão é continuar trabalhando remotamente durante esse ano. Vivemos de recursos apoiados por parceiros, não temos condição de comprar materiais de segurança para atender nossa demanda", avalia.

Sâmia explica que sem poder adquirir itens de proteção como álcool em gel, termômetro e tapete sanitizante (dentre outras exigências sanitárias) fica inviável reabrir. A Rede de Leitura Jangada Literária é responsável por 11 bibliotecas comunitárias, que atuam em Fortaleza e São Gonçalo do Amarante, no estado do Ceará.

A unidade localizada no bairro Presidente Kennedy, descreve Sâmia, chega a atender cerca de 1.100 visitantes por mês. São crianças, jovens e adultos que estão desamparados em meio à pandemia. 

"Somos os únicos equipamentos culturais nestas comunidades. Sem a biblioteca, este público está ainda mais vulnerável", alerta Sâmia Alves, que também atua como mediadora de leitura.

Se a reabertura ainda é algo distante, a Rede de Leitura Jangada Literária segue resistindo. A instituição realiza a campanha "Vacina Literária"  e mostra a importância tanto da vacinação como da leitura. A ideia é divulgar depoimentos nas redes sociais da Rede.

Se você já foi vacinado, grave um vídeo recitando um poema e ao final, fale sobre a importância da vacina. Para conhecer melhor a iniciativa, acesse a conta de Instagram da Rede de Leitura Jangada Literária.

Reorganização

Com atuação reconhecida por oferecer formação e exposições voltadas ao campo fotográfico, o Museu da Fotografia Fortaleza anunciou ser necessário um tempo para readequação do espaço. A volta da visitação será divulgada em breve. 

Legenda: Museu da Fotografia Fortaleza organiza nova agenda
Foto: FOTO: FABIANE DE PAULA

"Ciente do novo decreto, a diretoria do Museu da Fotografia Fortaleza irá preparar o equipamento para uma reabertura segura para o público, funcionários e acervo", aponta a gestão em nota.

A exigência de precaução quanto ao retorno também é realidade dos equipamentos públicos culturais. A Secretaria da Cultura de Fortaleza (Secultfor) defendeu a necessidade de reorganização. Qualquer previsão, somente na próxima semana, período em que o novo decreto passa a vigorar.

"Foi marcada uma reunião, na próxima segunda-feira (14/06), com os diretores das bibliotecas públicas municipais, administradas pela pasta, para alinhamento do plano de retomada das atividades presenciais", reforçou comunicado enviado pela secretaria. 

No âmbito estadual, por parte da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), a organização da reabertura vai se basear no que o decreto determinar. 

"Podemos adiantar é que a Secult e os equipamentos vinculados irão garantir todas as medidas necessárias para o cumprimento das normas sanitárias de prevenção à pandemia de Covid-19, respeitando os protocolos de segurança vigentes, orientados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Governo do Estado do Ceará, via Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa)", explica a nota do órgão.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?