Sistema para consulta de dinheiro 'esquecido' em bancos voltará a funcionar em 14 de fevereiro

O recurso foi liberado na segunda, mas foi derrubado diante da alta demanda. Agora, só voltará 21 dias após o lançamento

Escrito por Redação,

Negócios
Fachada do Banco Central
Legenda: Segundo o Banco Central (BC), no início da operação do sistema, a quantidade de acessos ao site foi 20 vezes maior que um dia de alto volume
Foto: Banco Central

O sistema de consulta para saldos de valores devidos por instituições financeiras a pessoas físicas e jurídicas volta a funcionar a partir do próximo dia 14 de fevereiro. A ferramenta foi lançada na segunda-feira (24), mas passou por instabilidades devido à alta demanda e saiu do ar no dia seguinte.

A transferência do dinheiro, contudo, só poderá ser agendada a partir de 7 de março.

Segundo o Banco Central (BC), no início da operação do sistema, a quantidade de acessos ao site foi 20 vezes maior que um dia de alto volume ou 50 vezes maior que um dia normal. As informações foram divulgadas, nesta quinta-feira (27), em nota.

A instituição ponderou que os cidadãos não devem se preocupar com a manutenção dos valores não procurados nesse período. 

"Não há risco de prescrição ou perda desses recursos, que permanecerão guardados pelas instituições financeiras à espera de seus proprietários", diz nota.

A estimativa é há cerca de R$ 3,9 bilhões previstos para serem devolvidos nesta primeira fase. Esses valores têm as seguintes origens:

  • Contas-correntes ou poupança encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o Banco Central;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; e
  • recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados;

Outros R$ 4,1 bi restantes serão disponibilizados ao longo deste ano. Neste caso, eles vêm de:

  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, previstas ou não em Termo de Compromisso com o BC;
  • Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • Contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários encerradas com saldo disponível; e outras situações que impliquem em valores a devolver reconhecidas pelas instituições.

Caso o usuário verifique que tem direito a resgatar algum valor, poderá recebê-lo das seguintes formas:

  • Diretamente via PIX na conta indicada no sistema Registrato, para bancos e instituições financeiras que aderiam a um termo específico junto ao Banco Central;
  • Em um meio de pagamento ou transferência a ser informado pela instituição bancária, nos demais casos. Aqui, o beneficiário informará seus dados de contato no sistema para receber a comunicação. 

Cuidado com golpes

O Banco Central alertou para o risco de fraudes utilizando o nome do  Sistema Valores a Receber (SVR). Veja como evitar cair em golpes:

  • O BC não entra em contato com os cidadãos;
  • Qualquer informação sobre valores a receber só poderá ser obtida a partir de 14/02/2022;
  • A solicitação de resgate no SVR será feita por meio de usuário e senha e os recursos serão transferidos diretamente das instituições financeiras para os cidadãos, que não devem fazer qualquer depósito prévio a qualquer pessoa ou instituição.

 

Telegram

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste


Mario Mesquita

Comércio exterior do Nordeste

Mario Mesquita
26 de Maio de 2022