Prévia do PIB sobe 3,14% no 4º trimestre de 2020 ante três meses anteriores

Por outro lado, o BC informou que o IBC-Br acumulou baixa de 0,69% no quarto trimestre de 2020 ante igual período de 2019

Legenda: Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para o Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses
Foto: Fabiane de Paula

A atividade econômica no Brasil apresentou recuperação nos últimos meses do ano passado, após os impactos mais intensos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia. O Banco Central informou nesta sexta-feira (12) que o Índice de Atividade (IBC-Br) registrou alta de 3,14% no acumulado do quarto trimestre de 2020, na comparação com os três meses anteriores (julho a setembro), pela série ajustada sazonalmente.

A alta do IBC-Br no quarto trimestre ante o terceiro trimestre de 2020 surpreendeu e ficou acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam resultado entre 2,42% e 3,10% (mediana em alta de 2,90%).

Por outro lado, o BC informou que o IBC-Br acumulou baixa de 0,69% no quarto trimestre de 2020 ante o mesmo período de 2019, pela série sem ajustes sazonais.



A queda do IBC-Br no quarto trimestre de 2020 ante o mesmo período de 2019 também surpreendeu ao vir menor do que o esperado pelo mercado financeiro.

O resultado ficou acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam resultado entre baixa de 1,74% e declínio de 0,80% (mediana em queda de 1,00%).

Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para o Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios