Fortaleza avança à fase 2 e RMF à fase 1 da retomada; Juazeiro recua e volta a lockdown com Sobral

Com progressão, 80% dos empregos e atividades que compõem 85% do PIB cearense ficam liberados, segundo secretário Maia Júnior. Nova fase deve durar 14 dias

Legenda: A população desocupada foi de 9,8 milhões na primeira semana de maio a 11,8 milhões na segunda semana de junho.
Foto: Thiago Gadelha

O Estado do Ceará dará novo passo no Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais, confirmaram ontem (20) o governador Camilo Santana (PT) e o prefeito Roberto Cláudio (PDT). Com isso, na segunda-feira (22), o Estado passará a ter em torno de 85% das atividades que compõem o Produto Interno Bruto (PIB) estadual em funcionamento e aproximadamente 80% dos empregos em todo o Ceará liberados para atuar. 

Apenas Fortaleza avança para a fase 2 no cronograma de reabertura, que inclui a reabertura de restaurantes para o horário de almoço. Os demais municípios da Região Metropolitana avançam para a fase 1, de reabertura do comércio, enquanto o restante das cidades permanece na fase de transição, com exceção de Sobral – que já estava e permanecerá em isolamento social rígido – e Juazeiro do Norte, que voltará no regime diante do crescimento no número de casos nas últimas semanas.

De acordo com o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior, os percentuais não são maiores justamente porque o Estado avança por partes, acompanhando a avaliação da saúde em relação aos índices da doença em cada macrorregião do Ceará. “Seria um pouco mais se o interior tivesse acompanhando as liberações”, explica.

Na fase 1, segundo o secretário, aproximadamente 80% das atividades econômicas e 70% dos empregos diretos estavam liberados. A partir de amanhã (22), conforme o plano do Governo do Estado, Fortaleza passa a contar com a permissão para atividades presenciais relacionadas à comunicação, publicidade e editoração; indústrias e serviços de apoio; tecnologia da informação; assistência social; alimentação fora do lar; atividades religiosas (com 20% da capacidade) e esporte, cultura e lazer. Uso de máscara continua obrigatório e aglomerações permanecem proibidas.

Restaurantes

Com o avanço para a fase 2, os restaurantes da Capital ficam autorizados a funcionar de 11h às 16h, com até 50% da capacidade do estabelecimento e com o limite de duas pessoas por mesa (até quatro, se forem da mesma família). Os espaços também deverão disponibilizar álcool gel e farão aferição de temperatura dos clientes na entrada, conforme protocolo sanitário elaborado em conjunto pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no Ceará e o Governo do Estado.

O segmento aponta que a nova flexibilização está em linha com o que havia sido acordado entre o setor e o Governo do Estado. Taiene Righetto, diretor executivo da Abrasel no Ceará, elogiou o trabalho conjunto na elaboração dos protocolos sanitários para o retorno das atividades. 

“A Abrasel participa do grupo de trabalho que discute a retomada, fizemos esse protocolo a quatro mãos e estamos disponibilizando para nossos associados desde segunda passada. Com isso, conseguimos nos preparar. Diferentemente dos demais setores, não temos mercadoria em estoque, precisamos comprar produtos perecíveis e convocar parte da equipe que estava com contrato de trabalho suspenso, então foi importante esse tempo de preparação”. 

Com as novas regras para o funcionamento, Righetto acredita que o faturamento dos estabelecimentos ficará em torno de 30% de um dia normal, fora do cenário de pandemia.

“A gente entende que nossa demanda não vai voltar 100% agora, até porque ainda estamos em quarentena. A palavra recuperação é algo que vai ficar para 2021 mesmo. O prejuízo de 90 dias de portas fechadas é quase irreparável e sabemos que alguns não vão conseguir reabrir. É um período de teste e muita cautela”, afirma o diretor.

Anúncio

O avanço no plano de retomada foi anunciado em transmissão pelas redes sociais do Governo. “Por ter continuado com a redução de todos os indicadores, a decisão é que Fortaleza passa para a fase 2 a partir de segunda-feira”, justificou o governador Camilo Santana.

Ele lembrou que a nova fase vai durar 14 dias, mas, como o decreto vale por sete, caso haja alguma piora nos indicadores, os protocolos poderão ser reavaliados. “A segunda fase permite o reinício de novas atividades e a ampliação do número de trabalhadores atuando”.

O governador fez questão de frisar que não se trata de um “retorno à normalidade” e que “a pandemia continua”. “É um retorno gradual, sustentável e depende dos irmãos cearenses. É fundamental o uso de máscara e é proibida qualquer aglomeração. E todas as empresas são obrigadas a cumprir os protocolos. As prefeituras estão fiscalizando, a Polícia está nas ruas e só assim vamos conseguir avançar”, disse Camilo Santana.

O prefeito Roberto Cláudio, lembrou que três indicadores em especial permitiram o avanço: queda consistente do número de óbitos, queda na procura pelas UPAs e baixa na ocupação dos leitos”, disse. “Tudo isso não pode fazer o cidadão se descuidar do básico, como o uso de máscara e álcool em gel. Se houver algum risco na abertura, será interrompida”, finalizou.

Interior

Ainda de acordo com Camilo, as autoridades de saúde aconselharam que Sobral seguisse no regime de isolamento social rígido por mais uma semana. “Lá melhorou muito, mas é questão de segurança”, disse. “E entrará também Juazeiro do Norte, no Cariri, com barreiras sanitárias e um controle para diminuir a velocidade de transmissão", detalhou.