Entrevista com Zenir: empresa quer abrir mais 20 lojas no Ceará até 2023

Convidado desta semana do Diálogo Econômico, o fundador da companhia ainda comenta sobre os desafios e avanços durante a pandemia

Escrito por Carolina Mesquita, carolina.mesquita@svm.com.br

Negócios
senhor zenir, zenir móveis
Legenda: José Alves de Oliveira, mais conhecido como Sr. Zenir, é o entrevistado desta semana do Diálogo Econômico
Foto: Fabiane de Paula

Filho de agricultores e com apenas o ensino fundamental completo, José Alves de Oliveira, mais conhecido como Sr. Zenir, alcançou o objetivo comum a muitos cearenses e brasileiros ao traçar uma trajetória de sucesso. 

Completando 30 anos de atuação em maio de 2022, o número de lojas da empresa deve chegar a 60 até a comemoração das bodas de pérola da companhia. 

Entrevistado desta semana do Diálogo Econômico, o empresário cearense ainda planejar abrir novas 20 unidades no Ceará até 2023, alcançando a marca de 3 mil colaboradores. 

Mesmo sofrendo duros impactos decorrentes da pandemia, a companhia ainda realizou investimentos na compra da fábrica de colchões Eurosono e no desenvolvimento da plataforma própria de e-commerce, prevista para ser lançada no primeiro trimestre de 2022. 

Nascido em Jucás, no Ceará, Zenir ainda revela priorizar o aporte de recursos no Interior do Estado, com o objetivo de gerar emprego e renda na região. 

Confira a entrevista completa:

Como sua trajetória de empreendedorismo começou?

Em maio de 1992, nós começamos com uma loja de 60 metros quadrados vendendo só colchões Ortobom consignado. Naquele ano, eu olhei pra cima e disse: "Deus vai dá força, coragem”. 

Credibilidade (eu já tinha) devido eu ter começado na loja do meu tio trabalhando de faxineiro, depois passei pra vendedor, depois passei para gerente. 

E quando foi em maio de 1992, inauguramos a primeira loja exatamente só com colchões consignados da Ortobom em Iguatu. 

Em 1993, nós começamos, como diz aquele ditado, olhando pra cima e pedindo força, coragem e determinação pra que nós, além dos colchões, colocássemos mais produtos, aumentássemos o mix da nossa loja. 

Nossa empresa é cearense, começamos nossa trajetória em Iguatu. Vamos completar 30 anos em maio de 2022. 

Hoje, nós estamos com 56 lojas e, se Deus quiser, até maio dos 30 anos vamos estar com mais quatro lojas, comemorando 60 lojas. 

Onde serão essas novas quatro lojas?

Já tem duas trabalhando, que é no Centro de Fortaleza, na Praça do Ferreira, e mais uma em Aquiraz. As outras duas que já estão no planejamento são em Camocim e Baturité. 

São mais dez lojas em 2022 e mais dez em 2023. Ou seja, são 20 lojas nos próximos dois anos.

Legenda: Com 29 anos de operação, Zenir Móveis possui 58 lojas abertas.
Foto: Fabiane de Paula

Há interesse em abrir lojas em outros estados? 

No nosso planejamento, tenho sempre feito reunião com meus filhos, com nosso superintendente, a prioridade é dar oportunidade aqui no nosso Estado. 

A logística fica mais fácil, a mídia, tudo isso é importante. Ou seja, (nosso objetivo) é fortalecer cada vez mais a marca Zenir Móveis. Já é forte, mas fortalecer mais ainda. 

E principalmente agora com os times cearenses levando não só para o Brasil, mas pro mundo inteiro a marca Zenir. 

Tem muitas cidades no Interior que nós não temos loja e que temos a oportunidade de expandir. 

E vem o e-commerce também que vamos lançar no próximo ano. Então, também são projetos voltados para o fortalecimento da marca no Estado do Ceará. 

Já tem data para o lançamento do e-commerce?

Essa operação, para exatamente não dar errado, a gente tem que fazer um planejamento muito bem feito, tem que ter uma plataforma muito bem feita, tem que ter uma logística muito bem feita. 

Por isso, nós ainda não entramos, porque tem que ser um negócio bem planejado. E nossa entrada é só no Estado do Ceará. 

Vamos aproveitar a estrutura logística que já temos hoje para atender as lojas físicas para atender o público cearense. 

Então, o ecommerce, a entrada dele se dará inicialmente pra atender o Estado do Ceará através do nosso site próprio. 

Vamos ter esse desenvolvimento e gerar mais um canal de vendas junto aos nossos clientes. 

Hoje, a empresa atua somente em loja física, mas já temos a venda via WhatsApp, que se desenvolveu na pandemia, assim como muitas empresas utilizaram essa ferramenta. 

Nós desenvolvemos primeiro o canal no WhatsApp e agora o próximo projeto é o ecommerce. 

Queremos que o lançamento seja no primeiro trimestre, logo no início do ano, entre janeiro e março. O objetivo é ser o mais breve possível.
 

Iríamos lançar agora, mas como veio a Black Friday com uma demanda muito alta e por ser um novo canal de vendas, a gente preferiu prorrogar um pouquinho mais pra lançar em um outro momento. 

E usar também como uma das estratégias no início do ano o lançamento desse novo canal de vendas. 

Legenda: Na infância, Sr. Zenir trabalhou na agricultura com os pais e, depois, na loja do tio até abrir o próprio negócio em 1992.
Foto: Fabiane de Paula

Quais influências o senhor teve que ajudaram a desenvolver essa aptidão para empreender?  

Desde novo, Deus me deu o dom. Primeiro, gosto de trabalhar, sou louco pelo meu trabalho. 

Pra você ter uma ideia, eu não tenho estudo, só estudei até a 8ª série em escola pública, meus pais nunca tiveram condição de pagar colégio. 

Mas sempre eu olhava pra cima e dizia "vou ter fé, vou pensar positivo, vai dá certo o meu negócio”, acreditando na força do trabalho, na fé, na credibilidade, na humildade, com respeito aos colegas de trabalho, aos concorrentes, a clientela, porque nós consideramos que nossa cliente e nossa colaborador é o maior patrimônio da empresa. 

Começamos com três colaboradores. Hoje, passa de 2 mil pais de família. E nossa meta com a abertura dessas 20 lojas é chegar a quase 3 mil colaboradores. 

Acabamos de adquirir uma fábrica de colchões, a Eurosono, que está há 61 anos no mercado. 

O ex-dono, devido a idade dele pensou em sair do mercado. Devido a nossa parceria já com essa fábrica há 20 e tantos anos, quando ele pensou em vender essa fábrica, pensou exatamente no grupo Zenir Móveis. 

Então, essa fábrica vai nos gerar quase 200 colaboradores. E também outra coisa que já estamos investindo é a energia solar, com mais de 3 MW, porque energia é o futuro.

Legenda: Primeira loja da Zenir Móveis era especializada na venda de colchões consignados.
Foto: José Leomar

De quanto foi o investimento na fábrica?

Entre investimento físico e equipamento, quase R$ 25 milhões. (O acordo) Foi fechado esse ano e já está funcionando com todos os equipamentos. 

A fábrica de colchões é em Jaguaruana. Já está instalada lá há mais de 40 anos. 

Até o meio do ano de 2022 já devemos estar com essa usina gerando energia pro grupo Zenir Móveis. 

Os dois investimentos sempre no Interior, dando oportunidade e gerando emprego no Interior.

Legenda: Ecommerce da Zenir deve ser lançado no primeiro trimestre de 2022.
Foto: Fabiane de Paula

O que mudou nas regiões de atuação da Zenir depois que a empresa foi criada? Você vê mais emprego e renda?

Não tenho nem dúvida. Na Capital sempre está o PIB maior. No Interior, por exemplo, uma indústria, é um ponto fundamental quando tem no Interior.  

Mas o Varejo, como sempre, é o principal segmento do Estado. Por exemplo, a Zenir Móveis, quase todos os prefeitos querem uma loja da gente lá. 

Porque a gente vai gerar emprego, renda, desenvolvimento e crescimento para o município. Nossa empresa tem hoje uma credibilidade não só estadual, mas a nível Brasil. 

Hoje nós temos mais de 3,5 milhões de clientes registrados na Zenir Móveis. 

E no Interior a Zenir Móveis tem um ponto fundamental e importante quando a gente chega em uma cidade: é a venda do nosso crediário próprio. 

O cliente gosta do carnêzinho, aquele cliente que não tem um talão de cheque, um cartão.  

Então, a nossa empresa onde a gente chega é bem-vinda, porque nosso crediário é nosso patrimônio, e o cliente gosta. 

Esse é um ponto fundamental do nosso crescimento, de dar oportunidade ao cliente. 

Como a pandemia afetou o comércio em geral e a Zenir Móveis?

Não foi fácil o ano passado pra ninguém. O mundo inteiro sofreu, as empresas, e o mais difícil de tudo isso foi a perda do pessoal, das vidas. 

Para nós da Zenir, nós temos nosso crediário próprio. Teve loja que passou 126 dias fechada. Nem podia receber o carnê, nem podia vender. 

Mas graças a Deus, temos quase 30 anos no comércio, e sempre apostamos, pensamos positivo, motivamos a nossa equipe, dizemos 'olhe, não se preocupe, vai dar certo'. 

Chegamos ao final do ano passado, foram abertas mais quatro lojas, as oportunidades que apareciam de abrir os pontos nós aproveitamos. 

Sempre com motivação, com fé em Deus, com trabalho, com determinação, isso foi um dos principais (pontos) para que em 2020 nós chegássemos ao final do ano com os resultados positivos. 

E também entramos 2021 com a mesma garra, com o mesmo trabalho, com a mesma ambição de abrir lojas. 

Já abrimos duas lojas, era para abrirmos mais duas agora em dezembro, mas não deu tempo, reformamos lojas, adquirimos a fábrica de colchões Eurosono, a usina de energia solar. 

Isso tudo foi através de um planejamento, um planejamento que previa tudo isso pra 2020 e 2021, e já conta com a preparação para 2022 e 2023. 

Legenda: Para Sr. Zenir, um dos maiores diferenciais da empresa é a venda no crediário próprio.
Foto: José Leomar

Quais os desafios que a Zenir precisa superar em 2022?

Tem algumas lojas que estamos reformando. Todas as lojas, se Deus quiser, em 2022 vão estar climatizadas, pra dar conforto aos nossos colaboradores, aos nossos clientes. 

O investimento do nosso CD em Maracanaú, uma área de 80 mil m², com investimento também no e-commerce, com os novos investimentos da Eurosono em Jaguaruana, de emprego, estrutura física para dar mais conforto no nosso desenvolvimento. 

Tudo é através de um planejamento bem consolidado. 

Mas o nível de vendas já retomou ao patamar anterior à pandemia?

O ano de 2021, não só para o varejo, como para a indústria, e principalmente agora no segundo semestre, sofreu uma retração de compra, de venda. 

Até porque as coisas subiram muito e o poder aquisitivo do povo, o salário, com esses aumentos absurdos de energia, alimentos, em tudo, têm afetado um pouco o comércio, principalmente nesses últimos quatro meses do ano. 

A black friday não aconteceu como nós esperávamos, em todos os segmentos. 

Legenda: Atualmente, grupo Zenir Móveis possui mais de 2 mil colaboradores, com meta de chegar a 3 mil até 2023.
Foto: Fabiane de Paula

Qual a sua opinião sobre a importância de exemplos de empreendedorismo como o seu para o desenvolvimento econômico no Interior? 

Primeiramente, você tem sempre que ter fé. Se você vai abrir o primeiro negócio tem que acreditar. Não pode ir já pensando negativo, tem que pensar positivo. 

'Ah, vou abrir isso, se não der certo, fecha'. Já está começando errado. 

Se você tem força de vontade, garra, 50% já tem. Tudo que se vem de sucesso é através de trabalho. 

É como eu digo, a Zenir Móveis não cresceu só, o sucesso não é só meu como empresário, dos meus filhos, dos nossos superintendentes, é de todos.
 

A importância que tem uma pessoa que faz a limpeza, do motorista, do entregador, todos têm uma importância para o sucesso, para o crescimento. 

Então, a gente fica muito feliz (em ver) um empresário que começou pequenininho. 

Como acabei de dizer, começamos em Iguatu com três colaboradores e hoje temos mais de 2 mil, vamos chegar a 3 mil até 2023, mas é sempre com trabalho, com fé, com determinação, com credibilidade, com respeito aos nossos concorrentes, aos nossos clientes, com credibilidade no mercado. 

Nossa empresa sempre deu preferência para as indústrias locais. 

Sempre valorizamos as indústrias do nosso Estado, porque se a indústria está bem, o varejo está bem. Se aquele funcionário da indústria está lá (trabalhando), está comprando na nossa loja. 

Então, a gente valoriza muito os nossos parceiros do Estado do Ceará. 

A Zenir quer sempre investir, está sempre focada no nosso Estado, no nosso negócio.