Com apartamentos de até R$ 17 milhões, Avenida Beira-Mar tem novo 'boom' imobiliário

Cerca de 15 empreendimentos residenciais na região estão sendo lançados ou construídos

Escrito por Carolina Mesquita,

Negócios
Legenda: Empreendimento de luxo da Diagonal Engenharia deve substituir hotéis no Mucuripe.
Foto: Reprodução

Os meses de lockdown impostos pela pandemia em 2020 e 2021 reativaram o desejo e a busca por imóveis maiores e mais confortáveis.

A ascensão desse nicho de mercado iniciou uma nova onda de valorização nos arredores da Avenida Beira-Mar de Fortaleza, que hoje possui cerca de 15 empreendimentos residenciais em lançamento ou em construção.

Conforme o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE), Patriolino Dias, as unidades de altíssimo padrão são fomentadas por famílias que já possuíam reservas financeiras e, durante o isolamento social, mudaram o fim dos recursos.

"Na pandemia, as pessoas passaram cinco meses em lockdown. Então, as que estavam juntando dinheiro e viram parentes e amigos perdendo a vida decidiram que seria mais interessante fazer um upgrade em casa", explica.

No caso dos empreendimentos localizados na Beira-Mar e arredores, os apartamentos custam de R$ 8 a R$ 17 milhões dependendo do tamanho da unidade, andar e endereço.

Dias ainda esclarece que, nesse tipo de projeto, fecha-se um grupo de compradores que procuram a construtora para viabilizar o projeto. Dessa forma, todos os imóveis geralmente já estão vendidos quando as obras iniciam.

"São condomínios fechados. Um grupo de pessoas contrata a construtora que, nesse caso, é apenas uma prestadora de serviços. A partir de então, aprova-se o projeto e iniciam as intervenções"

Apesar da "corrida" do mercado, os novos empreendimentos devem se limitar aos lançamentos já conhecidos. Isso porque a região não possui mais espaços disponíveis, além do padrão dos imóveis ser direcionado a um público específico.

Substituição de hotéis

Dois negócios recém-fechados chamam atenção por substituir hotéis na orla da Capital cearense.

O Ponta Mar Hotel foi vendido para a JJA Desenvolvimento Imobiliário por cerca de R$ 100 milhões e deve dar lugar ao Ponta Mar Condomínio.

Projeto do Condomínio Ponta Mar
Legenda: Projeto do Condomínio Ponta Mar
Foto: Reprodução

O luxuoso empreendimento terá 44 apartamentos de até 906 metros quadrados (m²). Ao todo, o prédio contará com 50 níveis, incluindo subsolos, andares de apartamentos e de lazer.

Apesar do projeto, com assinatura do escritório de arquitetura Nasser Hissa, já estar sendo divulgado, a gerência do Ponta Mar Hotel afirma que "há um diálogo com a Diretoria, mas nada está concretizado".

Conforme informações do colunista Egídio Serpa, o local deve permanecer aberto apenas até 31 de janeiro do próximo ano.

Projeto do Condomínio Ponta Mar
Legenda: Projeto do Condomínio Ponta Mar
Foto: Reprodução

Outra negociação que iniciou ainda antes da pandemia e foi concluída é a compra dos hotéis vizinhos Vela e Mar e Samburá pela Diagonal Engenharia. No lugar dos dois será construído o condomínio Pininfarina.

Imagens preliminares do projeto já circulam no mercado, projetando um prédio de mais de 50 pavimentos e 47 apartamentos com 525,5 m² cada.

A construtora, no entanto, não divulgou mais detalhes do lançamento por haver pendências a serem resolvidas.

Legenda: Condomínio Pininfarina deve contar com mais de 50 pavimentos e 47 apartamentos.
Foto: Reprodução

Decisões individuais

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros, avalia que a hotelaria em geral passou por momentos críticos durante a pandemia, mas que não teria sido a causa das vendas.

Ele acredita que as decisões foram tomadas de forma particular, pesando o que valia mais a pena para os envolvidos.

"Com a pandemia, a elevação dos custos e a supervalorização de terrenos na Av. Beira-Mar, todo empresário coloca esses detalhes na balança", afirma.

Ele garante que nenhum dos três hotéis vendidos faliram e que o movimento não deve chegar a virar uma tendência por ser uma análise que varia caso a caso.

"A família Ary (proprietária do Ponta Mar Hotel) tem outros dois hotéis que estão sendo reformados, melhorados. Então, é uma questão estratégica mesmo", esclarece.

Medeiros também lembra diversos outros lançamentos e obras em andamento nas proximidades que seriam suficientes para atender a atual procura por imóveis na região.

Outros empreendimentos

Além das tratativas para o edifício Pininfarina, a Diagonal Engenharia também está com um lançamento na Av. Beira-Mar, o Connect Beira Mar.

O empreendimento terá estúdios de 21,4 a 42,8 m² com preços a partir de R$ 305.295,35 e vagas rotativas.

Legenda: O Connect Beira Mar terá studios de 21,4 a 42,8 m² com preços a partir de R$ 305.295,35 e vagas rotativas.
Foto: Reprodução

A construtora Colmeia está com um condomínio para grupo fechado no Mucuripe.

Chamado de One Residencial, o empreendimento, em construção, terá apartamentos de 601 m² a 604 m². As plantas variam entre cinco, quatro ou três suítes mais estar íntimo.

Por ser um projeto destinado a um grupo de pessoas já definido, o site da empresa não disponibiliza mais detalhes.

Legenda: A construtora Colmeia está com um condomínio para grupo fechado no Mucuripe chamado One Residencial.
Foto: Reprodução

A Marquise Incorporações também está com obras do Hemisphere Residence em andamento.

O prédio, localizado a 300 metros da Av. Beira-Mar, terá unidades de 58,07 a 82,14 m². Os apartamentos podem ter dois ou três quartos e uma ou duas vagas na garagem.

Os valores partem de R$ 712.292,90 conforme a tabela de vendas referente ao mês de novembro deste ano para a unidade de 58,07 m².

Legenda: O Hemisphere Residence da Marquise Incorporações, localizado a 300 metros da Av. Beira-Mar, terá unidades de 58,07 a 82,14 m².
Foto: Reprodução